O dia que recriarem o mamute

Postado em 15 de mar de 2012 / Por Marcus Vinicius

Cientistas russos e coreanos resolveram unir forças para recriar o mamute. Esqueça qualquer outra necessidade do mundo atual, o importante mesmo é conseguirmos tirar o Jurassic Park das telas e, quem sabe, até ser devorados por algum T-Rex um dia.

Só que por mais que tal experiência soe bizarra, ela nos fornece material para muita imaginação, afinal, não faltam coisas que poderiam ser revividas num labotarório e que tornariam o mundo bem mais interessante do que a volta no Mamute, ou "mamofante", como os cientistas resolveram chamar o bicho (ainda que isso pareça mais o nome do último sucesso do carnaval baiano).

Pra começar, podiam trazer de volta a vergonha na cara. Porque nem as ombreiras, nem a pochete e nem o mullet (aquele cabelinho que o Chitãozinho e o Xororó usavam quando a Sandy ainda nem pensava em fazer comercial da Devassa e dos benefícios do sexo anal), ficaram tão fora de moda quanto a vergonha na cara.

Digamos que vergonha na cara seja o mamute dos costumes, junto com o senso do ridículo, que é o mico leão dourado dos costumes.

Uma outra coisa que poderia ser ressucitada é a infância. Sim, porque esses mini-adultos cheios de opiniões, vontades e iPhones de hoje em dia são chatos pra cacete. Meninas de 7 anos se preocupando com o peso e moleques de 8 dizendo que querem "comer a Sabrina Sato" não são engraçacinhos, são apenas um sintoma de que a humanidade - que já não é algo que tenha dado muito certo - conseguiu piorar.


E depois do surgimento de Elvis, dos Beatles, do flower power, psicodélico, punk, pós-punk, gótico, metal, britpop e afins, alguma boa alma científica poderia reviver o rock'n'roll, porque do jeito que vai não haverá material para produzir nenhum revival nas próximas décadas, provavelmente fazendo surgir coisas como o neo-neo-neo-grunge.

Outra coisa legal seria alguém libertar expressões como "licença", "por favor" e "obrigado", entre outras, de algum fóssil e trazê-las de volta à vida.

Porque imagina que legal seria aquela mulher com 237 sacolas de compras e um poodle dentro da bolsa passar correndo por você na calçada, esbarrar, quase te derrubar no chão e ao invés de dizer algo como "porra, sai da frente, seu cara de cu", falar simplesmente "desculpa".

Finalmente os cientistas podiam dar uma forcinha e trazer de volta algumas coisas que você encontrava em qualquer esquina antigamente e que já não existem mais, como os fliperamas, aquele cheiro de álcool quando imprimíamos algo num mimeógrafo e o chocolate Surpresa, que era tão legal que teve até uma série de figurinhas sobre os dinossauros.

Pronto, poderiam lançar um Surpresa-Mamofante, assim todo mundo ficaria feliz.

5 Comentários:

Roberta Ricchezza postou 16 de março de 2012 12:20

hahahahahahahaha.... Muito bom!
Só fiquei na dúvida se podia rir!!! :P

Roberto Josino postou 16 de março de 2012 13:55

excelente texto!

e saudade que deu da minha infância, cheia de chocolate surpresa e figurinhas de dinossauro, foi enorme

Isabel postou 16 de março de 2012 14:11

Que saudade do chocolate Surpresa!! Podiam recriar o Mirabel também, pois os similares não são a mesma coisa, rss.
Adorei o texto!

Matei, Léo postou 16 de março de 2012 19:25

Cara,você descreveu o meu pensamento.Não sou tão velho assim mas me da vergonha de ver essa garotada com a minha idade ou menos dando uma de machão e sem um pingo da educação que seus avós passaram à seus pais...

Matei, Léo postou 16 de março de 2012 19:30

Cara,você leu o meu pensamento.
Não sou tão velho assim mas me da vergonha de ver essa garotada com a minha idade ou menos dando uma de machão e sem um pingo da educação que seus avós passaram à seus pais...

Mas bem que poderiam recriar os desenhos animados que rodavam na tv ate o inicio da década de 90

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo