Como agir como um perfeito cretino e ainda dizer que tem razão

Postado em 10 de abr de 2012 / Por Marcus Vinicius

Seja um defensor dos animais, dos partidos de esquerda (o que dá quase no mesmo), da comissão da verdade, da legalização da maconha, da “causa gay”, do estado laico ou do que for, basta seguir um modelo de comportamento bem simples que você será um militante de primeira e estará pronto para participar de qualquer debate em fóruns da internet.

Sempre que se deparar com a figura ameaçadora de um não-doutrinado, comece dizendo a ele suas idéias. Explique tudo o mais detalhadamente possível e seja didático, de preferência tratando o outro como se fosse uma criança de 7 anos numa aula de pintura em guache.

Quando terminar sua explanação, dê espaço para que ele diga o que pensa, mas caso ainda assim a resposta não seja uma “verdade, você tem razão”, afirme que ele não te entendeu bem e que talvez seja esse o motivo de discordar de você. Reinicie então a explicação inicial - repetindo tudo o que já disse - só que desta vez tratando-o como se fosse uma criança de 3 anos que misturou o cocô com a massinha e está fazendo um boneco do Saci Pererê.

Na eventualidade do sujeito teimar em discordar, chegou a hora de assumir um tom mais professoral e dizer a ele para se informar melhor, ler mais ao invés de assistir BBB, enfim, implicitamente sugerir que ele seja menos ignorante e estude mais, porque com toda certeza se ele tivesse uma capacidade intelectual e uma bagagem cultural como a sua, ele concordaria contigo.

Este é um momento crucial, pois ele pode te lembrar de coisas inconvenientes e sem importância, como o fato de fazer parte da mesma turma que a sua na faculdade ou de ter uma formação melhor. Não desanime, basta dizer que o problema é que ele utiliza mal o que sabe, ignorando questões importantes, se deixando influenciar pela Globo e adotando uma postura de burrice voluntária, precisando abrir mais a mente.


É possível que todas essas inferências à suposta estupidez do seu interlocutor e uma ou outra afirmação de que ele “fala merda demais” faça com que ele fique um pouco na defensiva, bem, nesta hora o seu debate está prestes a virar um embate e aí você fica liberado para deixar toda a sua suavidade revolucionária de lado e endurecer sem nenhuma ternura.

Mas antes de incorporar o Maçaranduba Guevara, faça uma última tentativa de estabelecer a paz e melhorar o clima debochando do que ele diz, sugerindo que ele seja um gorila direitista, um fascista caricato ou mesmo enumerando algumas das suas características físicas "muito" pertinentes ao tema como "cabeção" e "orelha de abano".

Se ainda assim não funcionar, é hora daquele argumento destruidor: diga que ele é um grandessíssimo filho da puta, escroto, cara de cu, que caga pela boca e provavelmente é viado.

Torça para ele responder que viado é você, porque este é o momento exato de se fazer de ofendido e dizer coisas como “e se eu fosse, qual o problema, você é homofóbico também?” ou então “olha aí, me chamou de viado, não sabe argumentar, perdeu a razão!”.

E finalmente, já que a conversa descambou para a briga de puteiro mesmo, chame alguns amigos para xingar o cara, acuse-o de ser neo-nazista, fã de Sertanejo Universitário, diga que a avó dele certamente trabalhou num bordel como amante de Goebbels e o ameace de dar umas porradas na rua.

Provavelmente depois de tudo isso ele vai baixar o nível também, então você poderá dizer com toda a calma do mundo e aquele ar zen que aprendeu a fazer quando foi fumar maconha numa rave na Bahia:

- Tá vendo? Desde o início sabia que debater com alguém como você ia acabar em baixaria.

3 Comentários:

Anthony Azevedo postou 10 de abril de 2012 07:39

sensacional, vou fazer uso de todas essas técnicas pra discutir lá em casa. HAHAAHA

Lost in Wonderland postou 10 de abril de 2012 08:23

Pois é, infelizmente o mundo está repleto de cretinos pseudo-intelectuais cheios de si, discutir com esse tipo de pessoa é impossível e todos os pontos levantados no texto são reais, sempre que em vejo em meio a uma discussão com um desses eu digo o tão esperado: verdade, você tem razão - Afinal mesmo os cretinos merecem ser felizes com sua razão torta alguma vez na vida.

Willians postou 12 de abril de 2012 21:42

Numa discussão, eu sempre ouço tudo o que meu interlocutor tem pra falar, vou maquinando mentalmente o que vou falar pra só depois vomitar tudo.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo