As costas largas do stress

Postado em 14 de fev de 2011 / Por Marcus Vinicius

O stress, considerado verdadeiro mal da vida moderna, é uma espécie de pochete ou ombreira psicológica: você nunca vai admitir que já teve, mas ainda assim terá.

Só que diferente dos famigerados ítens do vestuário, o stress parece nunca sair de moda.

Segundo a mãe dos burros, a Wikipedia, ele é "a soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos, pode ser causado pela ansiedade e pela depressão devido à mudança brusca no estilo de vida e a exposição a um determinado ambiente".

Simplificando: é uma espécie de saco cheio com embasamento científico.

Você fica puto, mau-humorado, sem paciência ou simplesmente prestes a explodir por motivos variados, desde o seu vizinho ouvindo funk todo sábado de manhã, até sua esposa resolve discutir relação justo na hora que você queria ter sua sessão mensal de sexo, passando pelo seu chefe que não te dá aumento de salário mas triplica sua carga de trabalho e até o fato de deputados ainda respirarem.

Tudo isso é colocado na conta do stress.

Mas o pobre coitado, devivo à sua ampla definição, acaba levando culpas que não são dele.

Chuck trai a esposa, bate nos filhos a troco de nada, mistura lixo orgânico ao inorgânico e ainda por cima olha pro decote da mulher do vizinho no elevador. Ele não está estressado como gosta de dizer quando questionam seu comportamento. E nem é o emprego de bosta cheio de retardados que ele tem que aturar todo dia que o faz ser assim, ele é só um filho da puta mesmo.


Maria Lúcia, ou Marilu para os íntimos, sai, enche a cara, fica com 30 na bwatch, acorda todo sábado e domingo de ressaca e na cama de um desconhecido, ela atribui sua atitude auto-destrutiva ao stress com a monografia que ela passa a semana escrevendo. Mas o fato é que ela é só bêbada e fácil mesmo.

Maicoul Jaquisson é taxista. Ele vive dando fechadas nos outros motoristas, estaciona o carro onde bem entende, urina no acostamento de viadutos, xinga até a velhinha que está demorando demais pra atravessar a rua e vive dando trombadas nos outros porque dirige falando no celular, não é um pobre trabalhador estressado com a violência do trânsito, é só um péssimo motorista e um cidadão de merda.
Alicinha come sete fatias de torta por dia, toma dois litros de Coca-Cola no jantar, se alimenta basicamente de nachos e lasanhas, mas explica que só é gorda porque está estressada e deprimida. Até acredito, mas se ela experimentar remover aquela torta prestígio que come todo dia no lanche, talvez mate alguns quilos de fome.

Muitos dos nossos problemas acabam com o nosso humor. E eu sei que todo mundo tem os seus, mas os meus são piores justamente pelo fato de serem...meus. Por isso não defendo essa coisa de pensar positivo, de rir dos meus problemas, porque sei que não funciona.

Se for pra rir, prefiro rir dos problemas alheios.

Mas acredito que devemos dar um refresco pro stress, porque nem tudo é culpa dele.

Eu, por exemplo, admito que sou mau-humorado e ranzinza. Talvez reclamar pra mim seja um esporte, vai saber. Mas não me justifico pelo fato de ter recebido um filé delicioso para almoçar e ainda assim preferir reclamar do arroz servido ser parboilizado.

Não coloco a culpa no stress, admito que sou reclamão mesmo.

Acho que todo mundo poderia fazer o mesmo admita que é mau-humorado, fácil, beberrão, problemático, indeciso, egoísta, comilão, preguiçoso, enfim, seja o que for. Admita, ainda que internamente e tire a culpa das costas do stress.

Só, por favor, não venha encher o meu saco.

11 Comentários:

Stocker.'. postou 14 de fevereiro de 2011 07:39

Brilhante análise. Eu sou é puxa-saco, mesmo. huahuahua

Muito bom.

Estela Arlete postou 14 de fevereiro de 2011 07:46

Concordo absolutamente com tudo.
Sou uma velha ranzinza, com muito tempo livre, e sem qualquer paciência para os coitadinhos da vida.

E quero que os espertinhos da vida se dêem muuuuito mal.

Rsrsrs

Mas gosto de rir.

Tuka Siqueira postou 14 de fevereiro de 2011 10:38

Eu sou mau humorada e ranzinza, talvez por isso me identifique tanto com você que fala tão bem sobre as nossas chatices. Mas também sou estressada, ansiosa e deprimida. Tudo isso num corpo só, me transforma na pessoa mais chata do planeta. Fazer o quê, né? Eu tenho que me aguentar...

Abraços

Ninon postou 14 de fevereiro de 2011 12:42

E eu que sempre queria saber se vc era stressado ou só um cara mto mal humorado e ranzinza mesmo... rsrsrs
Bjos.

(Ahh, minha mãe está com vergonha de dizer quem é ela, pq vc pode pensar que ela só quis aparecer, depois daquele meu comentário! Mas se ela não se manifestar nest post, eu deduro ela no próximo!!)

Gil postou 14 de fevereiro de 2011 13:03

Bem, para falar a verdade...eu aguento( será com trema?) "alguns" estressados, ranzinzas, e xaropes...então, eu procuro ser um pouquinho "Polyana"(simmm, aquela que vocês ranzinzas devem achar chatérrima)porque assim, eu acredito que evito algumas guerra na família.
Acredito também, que as pessoas que dizem o que querem, vivem muito mais, porque nunca engolem sapos...e,cada um com seus problemas...beijosss!

Gil postou 14 de fevereiro de 2011 13:06

Ah! Marcus...sou a mãe da Ninon!Falei e disse...beijosss!

mvsmotta postou 14 de fevereiro de 2011 13:13

Prazer em conhecer (como mãe e filha) vocês duas!

Beijão!

Maysa postou 15 de fevereiro de 2011 04:46

Crônica super bem escita, de gostosa leitura, mas,"Simplificando: é uma espécie de saco cheio (sem nenhum) embasamento científico."
Posso e devo discordar de você, porque neste assunto tenho 30 anos de estudo.
Beijos Angela Vieira

Carla postou 15 de fevereiro de 2011 05:20

Marcus,
Tenho minhas chatices e nem fico colocando a culpa no estresse. Simplesmente acho que é meu jeito mesmo. E quando não estou a fim de ver a cara de ninguém e nem de abrir a boca, dar sorrisos forçados, me fecho no meu mundo. Tem gente que me acha antipática, nesse caso só posso desejar um belíssimo, foda-se.

bjs

Fernanda Lizardo postou 15 de fevereiro de 2011 11:10

Eu ainda prefiro ouvir um "Estou estressado" do que "Eu sou bipolar".
Beijo!

mvsmotta postou 15 de fevereiro de 2011 11:14

Fê,

O stress é bipolar. :P

(Eu sou mau humorado e ranzinza mesmo, mas tipo, tudo isso num bom sentido, se é que há)

Beijos

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo