Mulher Nota Mil

Postado em 7 de fev de 2012 / Por Marcus Vinicius

 Muito prazer, eu sou a Tati. Mas poderia ser Júlia, Isa, Márcia e até mesmo Lu. Sou uma dessas meninas-mulher que tanto fazem sucesso em filmes e biografias de perfil de internet. Mas não só da boca pra fora, sou assim mesmo.

Falo palavrões, mas também sei dizer coisas fofinhas. Curto pop rock, heavy metal, punk. 

Como pizza, chocolate, bebo cerveja, mas tal qual essas modelos e atrizes que dão entrevista por aí, consigo manter essa minha barriga lisinha quase sem esforço.

E mesmo curtindo Ramones e Iron Maiden, eu não me visto como se fosse figurante de "Jovens Bruxas" ou de "Walking Dead". Uso roupas estilosas, não tenho uma tatuagem tosca e nem vou ao cinema num domingo à tarde usando uma coleira com spikes e batom preto.

Curto filosofia e ficção científica, mas isso não me impede de ir na praia e em festas de verdade (nada de Campus Party) e, pra ser sincera, acho que essa moda babaca de cultuar nerds é invenção dos próprios nerds, que de burros não têm nada.

Mas nem por isso curto homens bombados, com aquela pinta de Alexandre Frota depois do filme pornô. Gosto de homens que contam piadas, que curtam um filme europeu e saibam que, antes de botar de quatro e chamar de cachorra, toda mulher merece um bom oral (que retribuo com prazer e técnica apurada, diga-se de passagem).


Jogo video game todo dia e se você quer saber, dificilmente vai me superar no GTA. Curto também jogos antigos, tipo Super Mario, Space Invaders e adoro jogar Ultimate Fighting e FIFA. Não ligo - e pra dizer a verdade até prefiro se estiver muito calor - de ficar em casa num sábado à noite, jogando, vendo seriados na TV e falando bobagem com os amigos.

Sei falar quatro idiomas e agora estou estudando chinês, mas nem por isso fico me exibindo ou esfregando na cara dos outros aquele pedantismo acadêmico que, pra falar a verdade, me enoja um pouco. Falo sobre futebol, sobre o Super Bowl, sobre teorias mirabolantes e até escatológicas,  e até sobre balé clássico.

Em relacionamentos sou equilibrada. Cuido sem sufocar, dou espaço sem parecer que não ligo. Não cobro, acredito que todo homem precisa de amigas mulheres para exercitar sua sensibilidade (e melhor que sejam bonitas, só assim sei que meu namorado tem bom gosto) e não sei porque haveria algum problema dele fazer uma viagem pela Europa sozinho. Ah sim, e não traio.

Sim, eu sei que pareço perfeita, boa demais pra ser verdade. E na realidade, sou mesmo. Não perfeita, mas boa demais pra ser verdade, muita areia pra qualquer caminhão.

Sei disso principalmente porque não sou mesmo de verdade. Sou uma invenção do autor deste texto, uma espécie de Mulher Nota Mil que só poderia existir num filme, numa biografia de perfil de internet ou aqui nessa página.

E convenhamos, se eu existisse mesmo, o que talvez não existisse seria um homem que me merecesse, muito menos você, que vive me inventando aí na sua imaginação, né?

5 Comentários:

Ana Caroline postou 7 de fevereiro de 2012 07:01

hahaha o sonho de vcs..falta pouco então pra eu chegar nesse "patamar" hahaha

lais postou 7 de fevereiro de 2012 08:47

santo deus parece que acabaram descrever me, só nao so da parte das 4 liguas aashuhsa
choquei LOL

Nath postou 7 de fevereiro de 2012 13:42

Cara, acredito que tem muita mulher assim no mundo... as gurias ai em cima e eu... só que nunca mais joguei GTA, viciada em CS ultimamente! XD

Corinthians na veia, falo tres linguas e caminho para a quarta.. e por ai vai... ah, e sou linda, sim, LINDA, pra ninguem colocar defeito...

Homens, parem de procurar na aparencia o que voces só vao ver depois de uma boa conversa, de amigos mesmo... Assim, nós saímos do sonho e adentramos suas realidades.

Angel postou 14 de fevereiro de 2012 11:51

E todo mundo tratou de fazer sua propaganda pessoal nos comentários...impressionante!

mvsmotta postou 14 de fevereiro de 2012 11:55

Hahahahahahahahaha deixa quieto...

Beijos!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo