Confessa: nem você sabe o que isso aí que você usa quer dizer

Postado em 27 de dez de 2012 / Por Marcus Vinicius

Nossa roupa diz muito sobre nós. E nem falo da moda propriamente dita, que pode determinar se você é uma pessoa estilosa ou um brega indigno de ser até mesmo cumprimentado na rua dependendo da tendência da vez.

Numa noite de ano novo, por exemplo, basta a cor e já te identificam. 
Branco, quer paz. Vermelho, amor. Amarelo, dinheiro. Preto, você é só um cretino que quer causar polêmica, e por aí vai.


E quando a camisa que você usa quer passar uma mensagem específica? Quando frases, imagens e números pretendem dizer algo sobre a pessoa que está usando aquela peça de roupa?

Algumas são bem claras: virgindade é doença, vacine-se aqui. Rock in Rio, eu fui. Pode ser simplesmente propaganda, como "Mercadinho Tanajura" ou "Papelaria Aritana", o que, aliás, não difere muito de usar um "Cavalera" ou "Osklen" estampado no peito, com o detalhe de que nestes casos você paga (caro) para fazer propaganda dos outros.

Tal qual acontece com times de futebol, onde cada torcida faz questão de dizer que sua camisa é um "manto sagrado", o que eu não concordo muito, afinal, "mantos sagrados" não deveriam feder a jaula com apenas 5 minutos de uso.

Blusas de bandas de rock também são fáceis de identificar: ali vai um sujeito que curte 5 marmanjos com tanta força que usa até as fotos deles numa blusa. Se for menininha fica menos estranho, mas quem sou eu pra falar? Logo eu, que tenho camisetas do Kiss e dos Smiths.
Mas até aí, tudo bem. Gostando ou não, concordando ou não, cada um desses casos (times de futebol, frases engraçadinhas, propagandas, bandas de rock), tudo isso diz claramente qual é o espírito da coisa, spo que algumas camisetas são tão aleatórias que parecem não dizer nada.

Faça um passeio por uma dessas grandes lojas de roupas e tente ler aleatoriamente o que eles escrevem nas blusas. Já vi coisas como "Califórnia Café - New York" (???), "Bonaire Netherlands 3.73", "Moscow Surf Club 89", "Bungee Jump Saara", "Tijuana Disco Night 1974", entre outras.

Certa vez achei um cartoon que tentava adivinhar como esses nomes eram escolhidos. Um sujeito tirava um papelzinho num sorteio e saía "Disco Club", daí rodavam um globo terrestre e onde o dedo parasse era o nome da cidade, tipo "San Jose" e por fim um macaco cagava em cima de uma tabela de números e eles decidiam que a estampa seria "San Jose Disco Club 1983".

Pode ser assim mesmo ou então o cara pode colocar uma roda de hamster, contar as voltas que o hamster dá e com isso decidir que o número estampado vai ser "3607". Depois colocaria um mapa mundi colado na parede e pediria para pra uma criança de 5 anos atirar uma gelatina ali, onde a gelatina grudasse seria o nome da cidade.

Pronto, dessa forma chega-se à maravilhosa estampa "Calcutá-Búzios 3607".

O sistema ainda pode funcionar de diversas formas, como contar as pessoas num vagão do metrô, ligar no Discovery Channel e ver o primeiro animal que aparecer e, finalizando, juntar o primeiro com o segundo nome de cidades com nomes duplos.

Chegaríamos assim a estampas como "Hippo 59 New Paulo" e "Golfinho 179 Buenos de Janeiro".

E tão certo quando haveria alguém para comprar, seria o fato de que todos os compradores não fariam a menor idéia do que aquela porra quer dizer.

2 Comentários:

Isabel postou 27 de dezembro de 2012 09:17

Têm blusas que me deixam intrigada, pois não dizem nada com nada. O mais engraçado é que as pessoas compram mesmo assim. O mais comum são nomes de cidades junto com números. Talvez haja alguma relação entre essas informações, mas para mim é totalmente obscura..

Anônimo postou 27 de dezembro de 2012 12:02

Eu já tive uma camiseta com a frase "The Eagle" e a estampa de um leão.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo