O que que tá olhando?

Postado em 4 de dez de 2012 / Por Marcus Vinicius

O que é bonito é pra se mostrar, logo, para se olhar, certo? Depende. Nem tudo o que a gente olha é bonito e nem tudo o que é bonito dá pra olhar.

Quem já viu animal atropelado em estrada sabe bem do que eu estou falando (ou aquele vídeo bizarro que você quer parar de olhar mas simplesmente não consegue). Suas retinas já estão ardendo só de ver aquela cena do sujeito se cortando com uma faca, do moleque vomitando dentro de um capacete de astronauta ou do tubarão quase pegando o surfista, mas ainda assim você continua olhando.

E isso é um problema. Pense em você sentado num restaurante e chega aquele casal, cada um com mais de 100 quilos, em roupas de banho. Você nem é de reparar nessas bobagens, sabe que cada um pesa o quanto quiser e o fizer feliz, mas aí eles resolvem colocar 3 quilos de rondelli ao molho branco com arroz a piamontese e sorvete no mesmo prato e começam a comer bem na sua frente.

Agora me diga como desviar a visão desta cena sem que o olho volte a encarar tudo de novo automaticamente?

Dois homens se encarando geralmente dá no mesmo. Nunca entendi direito o porque, mas homens em geral têm esse problema com outro olhando. Frases como "o que que tá olhando?" ou "tá me encarando?" são normais desde a infância. Pode ser aquela idéia de que o outro está dando mole e assim ferindo sua masculinidade ou então ser entendido como tentativa de intimidação.

A impressão que dá é que o simples olhar é um ato de desafio. Dizem que em presídios a primeira coisa que os presidiários aprendem é a só olhar com o canto do olho, pra não provocar ninguém. 

Mas o curioso em toda essa fixação dos homens com outros olhando para eles, é que, para saber isso, você precisa estar olhando o outro também. Quem começou? Porque ninguém parou? Aí rola aquela situação:

- Porra, aquele sujeito tá me encarando qual é a dele?

E o outro sujeito de lá pensando:

- Qual é a daquele mané? Não para de me olhar por que, cacete?



Assim duas pessoas saem na porrada porque uma achou que a outra era meio parecida com o Michael Jackson depois da segunda ou terceira troca de cor.

Outra situação em que não desviar o olhar pode trazer problemas é quando estamos diante de alguma gostosa. Mulheres especialmente têm essa disfunção cognitiva que as leva a pensar que vão sair na rua com uma micro saia e um macro decote e ninguém vai encarar.

Uma gola "V" que bate no umbigo e a senhorita puta porque o sujeito não faz eye contact. Porra, pendura uma foto do King Kong cagando na testa que talvez você consiga desviar a atenção, do contrário, maneira no decote (ou deixa os outros se divertirem).

Mexer? Talvez. Passar a mão? Definitivamente não. Mas olhar, só os fortes resistirão. 

Metrô lotado, 18:00 horas, você jogando seu Fórmula 1 no celular e de repente vê algo vermelho. Quando sua visão começa a desembaçar vê também que no meio daquele minúsculo vestido vermelho tem peitos e bunda de fazer inveja a uma temporada inteira do BBB.

O seu carrinho bate, o Felipe Massa vence a corrida e você só descobre que está encarando quando um fio de baba cai da sua boca ao mesmo tempo em que a voz do metrô avisa que já se passaram duas estações depois da sua.

E esse é o menor dos seus problemas, porque a moça poderia estar acompanhada do namorado dela, que ignora aqueles princípios como "o que é bonito é pra se olhar" ou "os outros que olhem, ela está comigo mesmo" e resolve te chamar para um duelo de canivetes em pleno vagão, quando você só sabe lutar usando sabres de luz.

Aliás, problema mesmo nem é o namorado dela estar do lado, é a sua namorada estar por perto e resolver pedir o canivete do sujeito emprestado para fazer alguma coisa bem pior.

1 Comentário:

Luciana postou 5 de dezembro de 2012 05:40

O problema dos homens, quer dizer o mais-um-problema dos homens - e isso já é conhecido de todos - é que não têm a capacidade de "disfarçar" como a mulher. Sabemos que a mulher olha um homem dos pés à cabeça sem mexer um fio dos cílios.

Os homens não: não somente olham como viram a cabeça para olhar a bunda... ou sei lá o que!

Depois quer reclamar de que, meu fio?

(Esses códigos para postagem são o fim!)

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo