Crescer é diminuir

Postado em 23 de mar de 2011 / Por Marcus Vinicius

Crescer e aparecer. Essa talvez seja a maior de nossas grandes ambições.

Crescer.

Seja profissionalmente, emocionalmente, financeiramente, culturalmente e até fisicamente (os anabolizantes estão aí pra me dar razão), todo mundo quer ficar "maior".

Paradoxalmente, terminamos ficando menores.

Durante a infância, ainda que sejamos limitados por diversos fatores, temos todo o tempo à nossa frente. Podemos sonhar até em ser super-herói, nada é impossível. Já na adolescência, mais ou menos no mesmo tempo em que descobrimos que querer ser super-herói é ridículo, começamos a diminuir.

Conhecemos nossos primeiros amores, que aí são para toda a vida, nossos sonhos, aspirações e o futuro se abrindo inteiramente. Você pode escolher tudo. Ser médico, engenheiro, piloto de avião, astronauta.

O vestibular, as condições financeiras, o esforço demandado, tudo isso começa opera sua mudança em nós. Descobrimos que ser astronauta é meio complicado, que ser piloto de avião é caro, que para ser médico é preciso estudar dia e noite durante anos.


A escolha de nossa carreira é nossa opção pessoal, e também uma renúncia a todas as outras opções, assim, de novo, diminuímos.

E o restante da vida vai fazendo isso pouco a pouco, em cada opção que nos obriga a tomar. A empresa em que trabalhamos, os amigos que preservamos, a rua onde moramos, a família que vamos formar.

Ser optamos pelos filhos, de repente viramos o "pai da Marina" e a "mãe do Diogo". Se optamos por não ter, vamos ser o "Tio ou Tia do Joãozinho".

Mas responsabilidades vêm acompanhadas de possibilidades. Conhecemos o mundo, viajamos, estudamos, vamos fazendo nosso caminho por onde nossas escolhas nos levam e um dia, vemos que o tempo passou.

E o que mais nos torna menores é justamente isso: a escassez do tempo. Sem tempo, não existem mais tantas opções.

Envelhecendo, nossa mobilidade diminui. De repente, só a praça. Depois, só a rua. Um dia, só a casa. Até que, sabe-se lá, ouvimos a frase fatal:

- Alguém vai lá e tira o vovô do sol?!

Crescer é ir diminuindo pouco a pouco, até desaparecer, ou, como dizem por aí, "virar pó".

Por isso corra enquanto é tempo, senão o aspirador te pega.

6 Comentários:

Anônimo postou 23 de março de 2011 10:12

Texto maravilhoso! Tenho pensado muito nestas coisas ultimamente - sobre as escolhas profissionais e pessoais e as restrições que vamos tendo mediante cada caminho que escolhemos seguir - e vc sintetizou com perfeição o que estava pensando. Parabéns!

@paulovddr postou 23 de março de 2011 10:14

Perfeito cara ^^

Anônimo postou 23 de março de 2011 10:23

Muito bom esse post, com certeza uma visão bem real da nossa vida e de nossas escolhas.

Aninha postou 23 de março de 2011 10:26

Adorei o texto, resumi o conteiro de que a vida é feita de escolhas... A medida que vamos amadurecendo, naturalmente nossas escolhas começam a ser minimalistas e com isso vamos diminuindo... Acho isso algomuito feliz!

alinecarraro postou 23 de março de 2011 13:56

é... qto mais percebemos que estamos diminuindo mais apavorante fica essa história! Medo de desaparecer sem ter sido notado...

nic postou 24 de março de 2011 23:13

O mais complexo de tudo isso é: o alimento espiritual,como saber o motivo das escolhas e quem senão Deus (o verbo que se fez homem) para justificar tamanha grandeza!Inexplicável pois se conselho fosse bom não era de graça...
Então pergunto claramente qual é a razão dessa loucura chamada VIDA?
Gostei da sua visão.
Mas por opção te dedico.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo