O analista super honesto

Postado em 28 de ago de 2013 / Por Marcus Vinicius

- Doutor, eu estou com um problema. Não consigo me relacionar com ninguém.

- E por que isso?

- Quando ela não é muito grudenta, é fria demais. Quando não quer transar o tempo todo, é porque não transa nunca. Se fala demais, eu enjoo. Se fala de menos, eu acho uma chata.

- Mas o que você procura exatamente? Uma ficante, uma namorada, algo mais sério?

- Pois é, também não sei direito. Se elas querem só ficar, eu quero namorar. Se querem namorar, eu não quero nem ficar. Se falam em casar um dia, já imagino a relação caindo na mesmice e o divórcio.

- Entendo, mas por que então não procurar criar expectativa alguma? Só deixar as coisas acontecerem.

- É que sou muito ansioso. Se elas fazem isso, deixam rolar, fico inseguro. Começo a comer demais, a dormir de menos, fico gordo, com olheiras e aí mesmo é que eu acho que nenhuma delas vai querer nada comigo, porque me olho no espelho e me acho horroroso.

- Se importa muito com a beleza?

- Tanto nelas quanto em mim. Me cuido, passo cremes, faço massagem e detesto mulher com sapato brega.

- Sei, mas e se ela for bonita, não dá pra desculpar os sapatos?

- Depende, doutor, o que seria bonita?


- Não sei, você precisa me dizer que tipo de mulher você considera bonita, o meu gosto não importa aqui.

- Ah, sinceramente? Esse é outro problema. A Aninha é alta demais. A Bruna é muito baixinha. A Luciana é muito mais gordinha do que eu gosto. A Bia é mais magra do que um pauzinho de laranjeira.

- Você disse "pauzinho de laranjeira"?

- É, aquele pauzinho que as manicures usam e...

- Eu sei o que é, mas continue.

- Então, a Valéria é loira falsa, a Juliana é loira verdadeira mas ficaria muito mais bonita se pintasse o cabelo de morena, a Lúcia tem a bunda muito grande, a Marília praticamente não tem bunda...é um suplício tentar achar alguém doutor!

- Você disse "suplício"?

- Sim, é que eu uso muito esse termo, enfim, o senhor acha que eu vou conseguir encontrar alguém um dia?

- Assim que você conseguir se encontrar.

- E como eu faço isso? Me ajude, por favor!

- Bom, no seu caso eu começaria procurando nos braços de um estivador forte, de cabeça raspada, braço tatuado...

1 Comentário:

Ed Soares postou 7 de setembro de 2013 19:11

Cara, rsrsrs... No inicio do post já comecei a imaginar que o final era bem previsível, e justamente foi... O cara não estava procurando elas, tava procurando por ELE. rsrsrs

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo