O amante traído

Postado em 6 de mai de 2011 / Por Marcus Vinicius

Dizem por aí é que não tem nada melhor do que ser amante, porque você só fica com a parte boa da brincadeira. Bom, essa é afirmação que carece de testes comprobatórios, mas que acabou virando verdade por difusão.

Dizem que o (a) amante é tudo o que seu marido (esposa) era antes de casar. OK, contas do mês, futebolzinho do Domingo, reuniões da Amway na sala de estar, calcinhas bege e toalhas molhadas em cima da cama tiram um pouco do glamour do relacionamento e botam tudo na mesmice.

Aí vem o ciúme, aquele sentimento de insegurança, aquele medo ser trocado. É nessa hora que você começa a achar que o seu parceiro (não adianta, eu detesto essa expressão) pode se interessar muito mais por qualquer outra pessoa do que por você e, dependendo do seu comportamento (e do tempo que você passa no sofá) isso pode mesmo ser verdade.

Existe quem diga que ter um caso ajuda a aliviar o peso da rotina, tenho minhas dúvidas, mas e o outro lado? E o "ser amante"? Será que é bom?

Comecemos pelo que pode ser mesmo "divertido": amante não tem compromisso, só encontra o outro perfumado, bem disposto, aplicado. Nada daquele negócio de gozar e ir dormir ou de aparecer nua sem depilar a virilha. Rola calcinha comestível, dormir de conchinha, surpresas, torpedos sacanas pelo celular, unha francesinha.

Por isso que é comum todo mundo achar que está rolando Ricardão (ou Ricardona) quando, de repente, o outro começa a se arrumar demais. Sabe como é, a hipótese da pessoa querer reestabelecer velhas conexões e reconquistar a paixão perdida parece "boa demais pra ser verdade", tipo aqueles emails dizendo que você ganhou uma fortuna de um milionário nigeriano.


E justamente por ser tudo tão fora da realidade (e obviamente muito mais legal) durante um caso, é que o envolvimento é difícil de ser evitado. Quem trai começa a achar que está andando de Fusca enquanto poderia continuar passeando naquela Maserati, mas em contrapartida o amante começa a pensar que está dando mole, como se tivesse ganhado um pacote de 7 dias na Disneylandia e só usasse 1 ou 2 desses dias.

Durante caso extra-conjugal ninguém paga conta de luz ou tem uma diarréia. Essas bondades ficam em casa.

Mas curiosamente não é raro que, quando a paixão aparece e a pessoa passa a querer tudo, o amante começe a sentir ciúmes até mesmo dessa rotina chata da qual não participa. E é aí que termina a parte "divertida" de ser amante:

- Pera aí, você discutiu com ele por causa da por causa do por causa das compras do supermercado? Porra, esse cara é um sortudo, ele é corno mas tem uma intimidade que eu nunca vou ter contigo.

- Ah, então eu não sirvo para segurar o balde enquanto você bota os bofes para fora por causa desse rotavírus? Só aquela puta da sua esposa é que pode aturar seu vômito e lavar suas cuecas sujas?

E convenhamos, tirando por aquele lance meio chato de ser o "último a saber", qual é a pior parte de ser traído? É justamente saber que o outro faz coisas que não faz contigo, que tem determinados momentos que você não tem.

Nessa hora, brota aquele pensamento que só pode ser algum castigo vindo diretamente das masmorras do rei Xerxes, que é o amante pensar "porra, eu quero é ser o marido!".

E o final dessa história nunca é divertido, porque o que geralmente acontece é alguém terminar ouvindo algo como:

- Pô, entre a gente está tudo tão bom, sexo, diversão, rotina eu já tenho em casa, tô fora.

Ou então a pessoa larga cônjuge, filhos, cachorro, periquito, jogo de buraco na Sexta-Feira e muda de mala e cuia para uma nova casa.

Nessa hora, a maldição se completa, no exato momento em que a pessoa pára de repente e pensa:

- Pera aí, eu virei o Orkut, quem vai impedir que ela vá cutucar outro no Facebook?

Como o "ser corno" vai muito de como a pessoa se vê (tem muita gente que é sem ser), nessa hora a maldição se completa: real ou não, o amante virou corno.

3 Comentários:

André postou 6 de maio de 2011 12:54

Caralho, a realidade !
Muito bom irmão, abraços.

@andrecoqueluche

Maysa postou 6 de maio de 2011 12:58

Marcus,
como sempre impecável, sentirei falta por ficar um tempo sem Internet, mas tudo é a pura verdade, experimentada por mim e tantos outros...
É de chorar, mas apaixonado e corno
é terrível!
Bjs e muito sucesso

Luiz Fernando postou 6 de maio de 2011 13:13

kkkkkk Muito bom.

Essa sua história me fez lembrar de um colega que descobriu que a mulher o traia. O corno dizia, "pô, o cara compra coisas pra ela que meu orçamento jamais permitiria e de vez em quando ainda paga umas contas dela tb.

Pra disfarçar o caso ela me trata melhor, faz o que eu quero na cama, está sempre arrumada... Na boa. O corno dessa relação é ele."

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo