Eu sou o pé ou o chinelo?

Postado em 17 de jan de 2012 / Por Marcus Vinicius

Depois de uma certa idade todo mundo quer saber porque você ainda continua solteiro. Não interessa o fato de metade dos seus amigos que casaram terem separado antes de dois anos de casamento, o problema é você, que continua por aí fugindo do enlace matrimonial.

E basta ir numa festa, batizado, coquetel de divórcio, seja onde for,  que fatalmente vai ter que explicar que sim, esta é uma opção sua e, sim, também é uma opção dos outros e, sim, também é porque você acha que não precisa unir seus defeitos intoleráveis com os defeitos intoleráveis de outra pessoa só para ser infeliz junto de alguém.

- Nossa, você é linda, independente, culta, porque tá sozinha?

- Ah, fui ficando mais exigente, sabe?

- Quem escolhe demais fica sem nada, viu?

Mas pense bem: você conhece uma pessoa que parece legal, rola aquela atração física, saem a primeira vez, ficam, resolvem que vão continuar e tal, e um belo dia a pessoa telefona e te chama pra uma micareta.


Como você quer dar uma chance, até pensa em ir, sabe como é, só pra agradar, mas depois pensa "E se isso der em namoro? Porra, eu vou ter que ir a micaretas o resto da vida". E então comete aquele erro fatal que faz as pessoas gostarem bem menos de você: é honesto. Vira e diz "pô, micareta não rola, eu simplesmente tenho mais horror disso do que de um tsunami de bosta". Pronto, lá se vai aquela possível relação embora atrás do trio elétrico.

O problema é que isso tudo soa muito razoável na hora, mas quando você vai contar para alguém sempre fica parecendo que foi um exagero seu:

- Qual o problema? Uma micaretinha de vez em quando? Você é muito intolerante.

Dito isso a mocinha resolve deixar de ser "tão intolerante" e cede às cantadas de Reginaldo Rossi do filho do vizinho. Combinam uma saída no domingo (programa mais light e tal) e quando entra no carro dele nota que o MC Jibóia está tocando no volume máximo, olha os CDs tentando achar algo que se salve, mas só encontra Parangolé, Chiclete, Revelação e Swing & Simpatia (ou seja lá como se chamam essas coisas), aí pensa: preciso mesmo namorar alguém que ouve a trilha sonora do Domingão do Faustão?

 Mas a cobrança nunca termina:

- Se você não escolhesse tanto.

- É, acho que é chatice mesmo, pronto, eu escolho demais, admito. Agora vamos falar mal de outra pessoa que esteja ausente? É mais divertido.

- Não se irrite, sempre tem um chinelo velho pra um pé cansado.

- Sério? Então me diz, você acha que eu sou o pé ou o chinelo?

9 Comentários:

Alana postou 17 de janeiro de 2012 07:06

Ora, não dá para agradar todo mundo. Tentar se encaixar melhor numa pessoa é uma coisa, mudar é outra. Não acredito que eu possa mudar e ter um relacionamento com alguém que provavelmente não vá dar em muita coisa para alterar o status de relacionamento no Facebook ou pra seus parentes e amigos pararem de encher meu saco com questão de namoro, casamento, o djaboaquatro.
Também acredito que isso não seja certo. Casamento é uma união de espírito, muito mais do que corpos. É preciso os dois se encaixarem, se entenderem e se respeitarem para que prospere. CERTO?

Bruna postou 17 de janeiro de 2012 07:08

Concordo.. mas ainda é pior a situação inversa: "pq vc ainda está com este traste?"

O cara é um ciumento maniaco, que não deixa vc sair, te controlam, e até marca na conta telefônica o numero e os minutos vc ficou no telefone.

Mas ninguém vê que ele passa a noite fazendo carinho na sua cabeça, que pediu demissão pra cuida de seus filhos pq a baba sumiu, ou que simplesmente liga no meio do dia pra falar "eu te amo".
Mas ele é um traste pq não tem carro, sendo que gastou 20 mil reais com vc para arrumar a sua casa.

o certo é que pra fofoqueiro, nada nunca está perfeito!

mvsmotta postou 17 de janeiro de 2012 07:08

Alana,

Tem quem diga que casamento é igual submarino: pode até boiar, mas foi feito pra afundar.

Mas não acredito nisso 100% não. ;)

Beijos!

@saicuu postou 17 de janeiro de 2012 07:08

Pois é, como digo, antes só do que com alguém que escuta funk no volume máximo.

Vanessa Lira Leite postou 17 de janeiro de 2012 08:26

Os encontros verdadeiros são raros!

Isabel postou 17 de janeiro de 2012 09:27

Muito bom!! Mas esse tipo de desculpa "ando muito exigente" muitas vezes é pra despistar o real motivo: a pessoa não desencalha pq não consegue! hehehe

Danilo Sergio Pallar Lemos postou 18 de janeiro de 2012 18:31

Seus escritos tem uma realidade apresentada em forma de humor que valoriza muito seu blog, o qual estarei curtindo.
wwwsabereducar.blogspot.com

Anônimo postou 8 de março de 2012 09:38

Alana,

mas tem hora q dá vontade de ter alguém só pra família e amigos pararem de encher o saco.

Francielle postou 8 de março de 2012 09:41

Se vc falar que é exigente podem ocorrer duas situações: ou a pessoa pensar que vc "se acha" ou pensar q vc está mentindo, só diz isso pq não consegue ninguém.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo