O bonzinho, a exagerada, o esportista, o maridinho e o pára-raio de Heleninha Roitman

Postado em 22 de jul de 2011 / Por Marcus Vinicius

Certos assuntos são quase proibidos durante um namoro. Comentários sobre a amiga gostosa dela, sobre a fixação dele por camisas de futebol e sobre ex-namorados estão fora de questão, pelo menos teoricamente.

Mas se regras fossem para ser seguidas, bem, ninguém olharia pro decote da mulher do vizinho no elevador. Desde os 10 mandamentos até o Código Penal, tudo que é proibido é mais gostoso.

Quase toda mulher odeia que você fale sobre suas ex-namoradas, que para ela são todas putas, gordas, vacas e desequilibradas, que só faziam sua vida ser miserável e por isso não existe explicação que justifique o fato de você  falar qualquer coisa sobre elas.

Já quando o assunto são os ex-namorados dela a coisa muda um pouco, afinal, são pessoas que, ainda que não tenham dado certo, a moldaram e a ajudaram a ser quem elas são hoje (e talvez isso explique o hábito dela revirar seus bolsos e ficar em posição de sentido quando toca o hino do Vasco).

E a verdade é que ex-namorados podem até não definir a garota , mas certamente explicam bastante sobre a sorte dela no amor.

Por exemplo, tem aquela que só tem ex bonzinhos. Todos são bons alunos, bons filhos, falam idiomas, tem futuro promissor e usam camisa polo com pulover de crochê pendurado no ombro. Cada um deles parece existir somente para te fazer perguntar: o que diabos ela está fazendo comigo?

Ainda mais porque provavelmente depois de um tempo você vai começar a achá-la meio chata.

Outro tipo é a superlativa. Ela é provavelmente meio mitômana, por isso todos os seus ex-namorados serem mais fortes do que o Conan, mais ricos do que o Eike, mais bonitos do que o Brad Pitt, mais generosos do que São Francisco de Assis, mais inteligentes do que Einstein e provavelmente tão verdadeiros que são frutos de um cruzamento entre a Fada do Dente e o Coelho da Páscoa.


Sua esperança é que um dia ela também se refira a você usando desses exageros, ainda que você desconfie que será "o maior babaca do mundo".

Os ex-namorados esportistas são uns dos mais difíceis de aturar. Quando namorava com um deles, ela estava sempre escalando, correndo, natando, saltando, atirando, acampando e mais qualquer outra coisa que as pessoas fazem enquanto você dorme até meio-dia todo sábado.

Para agradá-la você até resolve passar a ir na praia com regularidade, mas sair debaixo do guarda-sol para jogar frescobol já é demais.

Outro tipo complicado é o atencioso. Quando casar, ele dará um excelente "maridinho", sabe como é? O maridinho - pego essa emprestada do mestre Nelson - nunca grita, nunca diz não, nunca está indisposto. Seu esporte preferido é abrir portas, puxar cadeiras, dar presentes, falar usando diminutivos, imitar voz de criança e nunca, jamais, sob nenhuma hipótese dizer "não".

Você que se achava um gentleman até namorar a ex de um sujeito desses pode se preparar: em uma semana você vai pensar que é o Shrek.

O último tipo é o psicopata. Difícil alguém não esbarrar com um psicopata na vida. É aquele cara que colocou um vírus no GPS do celular dela só para acompanhar todos os passos, que espreita suas saídas por detrás dos postes e transformou a Kombi velha do avô numa imitação tosca de furgão de TV a cabo, que curiosamente agora vive estacionado do outro lado da rua, em frente a casa dela.

Tem mulher que atrai esse tipo de coisa, é como se ela fosse um pára-raio de Heleninha Roitman. Quase todo ex dela está preso ou sob algum mandato de restrição. Menos esse, que agora vive perseguindo vocês e aparece "sem querer" na fila de trás no cinema, o que te obriga a passar o filme inteiro tendo sobressaltos, imaginando alguém te atacando com uma faca ou um saco de pipocas.

E foi justamente por causa dele que ela comprou aquele aparelho de choque e o gás de pimenta que vive carregando na bolsa e que ela não hesitará em usar contra você, se por acaso você ameaçar comentar alguma coisa sobre a amiga gostosa dela ou falar de alguma ex sua.

2 Comentários:

Som postou 22 de julho de 2011 10:00

Estereótipos que existe em todo lugar realmente. Por outro lado é mais fácil de se separar o joio do trigo, melhor do que sair com uma garota sem personalidade, vazia, isso se você procura algo mais, do que sair uma única vez.

Dica: Coloque ao menos comentários do facebook no blog, é chato comentar pela caixa nativa do blogger.

EmmillyPriscilah* postou 22 de julho de 2011 12:08

Nem sempre se pode julgar as garotas por seus ex.. pq as vezes as garotas namoram e soh depois veem qm são os caras !

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo