Acho que ele vai ser alpinista...

Postado em 29 de jul de 2011 / Por Marcus Vinicius

Uma das maiores questões de qualquer ser-humano, mais do que onde está e para onde vai, mais do que dúvidas existencialistas sobre a existência ou não do destino, da sorte ou mesmo do Batman, mais até do que dúvidas sobre se gostar de observar pernas cabeludas (no caso dos caras) ou os seios da amiga (no caso das meninas) no vestiário da academia te faz ou não ser gay, é: o que eu vou ser quando crescer?

Muita gente cresce e não consegue responder essa pergunta, tanto que ela gera uma outra: pera aí, será que o que eu quero ser existe?

É mais fácil quando você é criança, afinal, tudo nessa fase da vida é possível. Eu já quis ser ditador do mundo. Sério, não me queira mal por isso. Meu sonho era oferecer algum país (não sei porque a Itália sempre me vinha em mente) para a minha esposa no dia do casamento.

Passava tardes no telhado de casa fungindo que derrubava aviões inimigos com uma bazuca de plástico azul. De novo, não me queira mal (ou ache que sou caso perdido) por isso, porque juro que eu mudei.

Depois da Síndrome de Mussolini Jr, eu desejei ser goleiro de futebol. Enquanto todo mundo queria ser o Zico, o Roberto Dinamite ou o Maradona, eu queria ser o Waldir Peres, o goleiro careca da Seleção Brasileira.

Sorte que não consegui uma coisa nem outra. Não virei goleiro e nem fiquei careca.

Conforme o tempo passa, a coisa complica um pouco.


Primeiro porque por mais que estudemos, nos preparemos, façamos cursos e o escambau, muito provavelmente em algum momento nosso destino será decidido por algum RH cretino, que depois de "O Aprendiz" resolveu pensar que é o Roberto Justus ou o Donald Trump.

Depois porque o mercado de trabalho atualmente funciona baseado no seguinte princípio: "vamos demitir três, contratar um para fazer todo o trabalho e pagar 1/3 do que pagaríamos a cada um deles". Tudo isso faz parte desse novo universo onde "empregado" passou a ser "associado" ou "colaborador", o que na verdade quer dizer que você não é merda nenhuma.

Aposto que qualquer um em sã consciência preferiria ser chamado de "lacaio" ou "escravo" e em troca trabalhar 20 horas por semana e ter 60 dias de férias.

Sonhos com astronautas, goleiros da seleção e super-heróis vão ficando para trás e no final das contas você opta por algo mais realista e vai ser dentista, advogado, engenheiro, professor, etc, etc. Mas que fique bem claro: se a democracia funcionasse mesmo e se fosse verdade que "podemos ser tudo que quisermos", você deveria estar nesse momento vestido com uma malha meio esquisita, usando uma máscara e disparando teias de aranha das mãos enquanto voa entre prédios.

Nenhum teste vocacional deve dizer que você tem propensão a cowboy de filme, mas nenhum também deve dizer que você leva o maior jeito para proctologista ou técnico de exame de fezes e no entanto muita gente acaba fazendo isso pra viver.

Aliás, se essas vocações aparentes funcionassem mesmo, talvez fosse mais fácil do que parece. Outro dia falava com uma amiga e perguntei sobre filho de 2 anos dela, o diálogo valeu meu dia:

- E aí? Como vai o Arthur?

- Ele tá bem, levadíssimo...inclusive acho que vai ser alpinista já que é a décima vez que eu tenho que correr para tirá-lo de cima do armário...

5 Comentários:

Wanderson Vinícius Santos SouZa postou 29 de julho de 2011 10:22

Bom texto e uma triste verdade, descobrir que não exite a possibilidade de uma aranha radioativa te picar e vc virar o "Cabeça de teia," ou de vc descobrir que é um alienigena enviado a terra por seus pais. Eu queria ser astronalta, e até uns dois anos atraz isso estava em minha mente e hoje sei que nao vou ser nem um astronomo, devemos deixa de lado a vida que queremos pra nos e viver a vida que nos aguarda.

FelipeBFontana postou 29 de julho de 2011 11:32

É tão clichê assim querer ser astronauta quando criança?

e eu que me achava o descolado...

mvsmotta postou 29 de julho de 2011 11:48

Pô, cara, é bem clichê. :P

ana maria sales postou 29 de julho de 2011 15:47

E eu que sou Gestora de Recursos Humanos... tô lascada! kkkkk Há tempos não te lia, já estava sentindo falta! EXCELENTE!

Opinião e Crítica Brasil postou 29 de julho de 2011 19:45

Como diria Shakspare: ''ser ou não ser, eis a questão.''
Parabéns pelo blog. Ótimo texto.
Acesse: www.opiniaoecriticabrasil.blogspot.com
Valeuuu!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo