Cuidado, ficar solteiro pega

Postado em 4 de out de 2010 / Por Marcus Vinicius

Geralmente o problema começa depois dos 30, mas antes disso também pode se manifestar, basta que a pessoa termine um relacionamento longo ou então que esteja solteira há algum tempo.

O que acontece nesse caso é que os amigos, a família, os colegas de trabalho, os vizinhos e qualquer coisa que se encaixe aqui no conceito abstrato de "sociedade", tendem a achar que essa pessoa é uma pobre coitada, abandonada como um cão sem dono, triste e com a vida incompleta.

Não interessa se a moça ou o cara terminaram um relacionamento de 4 anos com um psicopata que telefonava para eles 48 vezes por dia, sempre que o relógio marcava minutos ímpares, que vasculhava seus bolsos, que era fã de Legendários e que o prato preferido era quiabo com palmito.

Se a pessoa saiu de um relacionamento longo, merece ganhar um livro do Paulo Coelho, um CD do Oswaldo Montenegro e uma caixa de chocolates, acompanhados de um cartão escrito "não deu certo, mas você vai sair dessa".

Ninguém considera o fato de não ter dado certo durante os 1.460 dias que o relacionamento durou, e que o rompimento só tenha demorado tanto porque o outro ameaçava jogar o peixinho dourado da pessoa na privada ou então se matar com um bilhete no bolso incriminando-a caso ela terminasse.

Se de repente alguém ficou solteiro, merece condolências. E pior, merece que todos se unam para animá-lo e remediar o "grande problema".

Se for homem, os amigos passam a chamar o cara para tudo que é churrasco, pagode, micareta, puteiro ou qualquer outro local onde ele possa afogar a suposta tristeza em álcool e mulheres fáceis. Se for mulher, as amigas a levarão para as compas e para tudo que é churrasco, pagode, micareta (menos puteiro), ou qualquer outro local onde ela possa afogar a suposta tristeza em álcool e homens fáceis que estão atrás de mulheres fáceis.

Outra parcela do círculo social vai achar que a melhor cura para um relacionamento rompido é outro relacionamento logo em seguida.


O cara pode esperar então que sua mãe queira lhe apresentar a uma filha da prima de uma amiga dela que é "uma gracinha" e até trabalha pro Exército da Salvação. A garota pode aguardar que alguém vai querer logo arrumar um encontro com o sobrinho do amigo de um colega de trabalho do seu pai que estuda na PUC, tem um Audi, faz iatismo e também terminou um relacionamento há pouco.

Por alguma razão inexplicável, a "sociedade" supostamente acredita que encontros às escuras são melhores do que deixar a pessoa em paz.

Mas nem todo relacionamento dá errado o tempo todo. Acontece às vezes de ser muito bom, mas simplesmente esgotar. Termina, quase de comum acordo, ainda que isso seja raríssimo. O normal é um dos dois - geralmente o que ficou com a parte do pé na bunda - não se conformar, sofrer, mas depois entender que foi melhor mesmo e ambos virarem bons amigos (com a vantagem de já saberem como ficam quando estão pelados).

Essa é outra coisa que ninguém entende. "Como pode? Amigo de ex? Cruz credo!". Falam como se isso fosse uma convenção social tipo não tirar meleca durante um jantar, não passar a mão na bunda da prima da namorada ou não atender celular no cinema. Tudo bem que é algo tão raro quanto ver morcegos fazendo sexo oral, mas acontece. Há provas disso.

Outro tipo de solteiro é aquele por opção. A pessoa prefere se dedicar à carreira, à sua coleção de selos, a viajar pelo mundo, a ouvir música na altura que quiser dentro de casa sem ouvir um "abaixa que eu tô vendo a novela" e a deixar suas toalhas molhadas em cima do móvel que preferir. Ela não faz isso porque é egoísta, porque é incompleta, porque foi maltratada na infância, porque deixou de fazer análise ou porque é alguma espécie de reencarnação da Odete Roitman, algumas vezes a pessoa se basta, é feliz sozinha e aceita isso muito bem.

No entanto todos acham isso um problema e usam a pergunta infalível para testar a resolução do solteirão/solteirona convicto: mas você não vai querer filhos? Sim, a pessoa pode querer filhos, mas nem por isso precisa casar. Existe barriga de aluguel, existe adoção, existe aquela amiga/amigo que também quer continuar solteiro mas ainda assim procriar e existem gatos, que também são excelente companhia.

Na verdade quase todo mundo tem pavor de ficar solteiro, daí a achar que isso é uma doença e que precisa "curar" os amigos que sofrem dela o mais rapidamente possível. Não por solidariedade, mas por medo do contágio.

21 Comentários:

Fernanda Cunha postou 4 de outubro de 2010 10:36

kkkkkkkkkkkk amei! Tudo de bom! ri alto aki.
parabéns! :)

Anônimo postou 4 de outubro de 2010 10:37

Ri muito hahahah

Maraguary postou 4 de outubro de 2010 10:39

rsss... não importa sobre o que tu se resolva escrever. Tu é bom nisso! Rsss... Parte do meu "dia de cadela" se foi nesse minuto! rsss... E concordo! C-O-M T-U-D-O, desde o tim-tim unocoal até o tim-tim final! Tô me acabando de rir! Se não era essa a intenção, perdoa aí vá, mas não tô conseguindo evitar, viu?

Maraguary postou 4 de outubro de 2010 10:41

Rsss... não importa sobre o que tu se disponha a escrever. Tu é bom nisso! Rsss... Parte do meu "dia de cadela" se foi nesse minuto! rsss... E concordo! C-O-M T-U-D-O, desde o tim-tim inicial até o tim-tim final! Tô me acabando de rir! Se não era essa a intenção, perdoa aí vá, mas não tô conseguindo evitar, viu?

rzimbres postou 4 de outubro de 2010 10:48

muito bom!! vou divulgar isso!!!

Alice in Wonderland postou 4 de outubro de 2010 10:59

adorei. todo mundo tinha que ler isso.

Isabel postou 4 de outubro de 2010 11:09

Esse texto me fez lembrar o filme "Simplesmente Feliz", e como os parâmetros de felicidade das pessoas são diferentes.
Beijos

Carla postou 4 de outubro de 2010 11:10

Muito pertinente seu texto. Amo os gatinhos.
[]

Carla postou 4 de outubro de 2010 11:12

Muito pertinente seu texto. Outros tempos ... Amo os gatinhos !!
[]

mvsmotta postou 4 de outubro de 2010 11:13

Isabel,

ENRAHA!

(Pra quem não entendeu nada, procure pelo filme "Simplesmente Feliz" (Happy Go Lucky), que é maravilhoso)

Vika Maluk postou 4 de outubro de 2010 11:30

kkkkkkkk né q é mesmo kkkkkkkkkkkk, mas como vc falou, tem aqueles q preferem ficar só por opção. esse é o meu caso. tou abusada desse povo problemático Uó.

Gisela Brum postou 4 de outubro de 2010 11:32

Como é difícil para os outros aceitarem que uma pessoa possa ser feliz sozinha! Ou ainda, que está sozinha por exclusiva opção! A obrigatoriedade de estar junto de alguém - feliz ou infeliz - faz parte de outros tempos. Evoluam!
Gostei demais do texto, parabéns!

Biel postou 4 de outubro de 2010 11:50

Muito bem dito. Há quem diga que quem tenta resolver os problemas dos outros tem problemas internos não-resolvidos.

eduardo postou 4 de outubro de 2010 12:33

Cara tu é um gênio!
hauahauhauahuahauhauahau...

Anônimo postou 4 de outubro de 2010 13:51

Eu sou o exemplo disso certamente. Na verdade o pior de todos os exemplos, ou melhor como queira. Nunca tive um namorado, mas nunca estive sozinha e minha solteirisse não me encomodava até que agora com 20 anos todos resolveram me taxar de solteirona encalhada. É triste e dói. Começou a machucar e fiquei até depressiva por um tempo. Pensei realmente que tudo isso fosse verdade. Ainda não tenho o tal namorado, mas já deixei a pira de lado, acho que há alguém que goste de mim, mesmo sem ser namorado ou marido oficialmente.

Anônimo postou 4 de outubro de 2010 13:51

Eu sou o exemplo disso certamente. Na verdade o pior de todos os exemplos, ou melhor como queira. Nunca tive um namorado, mas nunca estive sozinha e minha solteirisse não me encomodava até que agora com 20 anos todos resolveram me taxar de solteirona encalhada. É triste e dói. Começou a machucar e fiquei até depressiva por um tempo. Pensei realmente que tudo isso fosse verdade. Ainda não tenho o tal namorado, mas já deixei a pira de lado, acho que há alguém que goste de mim, mesmo sem ser namorado ou marido oficialmente.

Ana postou 4 de outubro de 2010 16:42

imagine eu, q sou uma eterna solteira. eu sofro, com essa "sociedade"

Solange Baumer dos Reis postou 5 de outubro de 2010 04:20

Fora ainda que se vc se separa,porque simplesmente esgotou-se na relação,da relação,ou seja como for,separa-se da família toda,porque acabam excluindo vc,como se vc fosse uma traidora,uma doente,como pôde separar dele...ele era tãooo bonzinho.kkk
Mas seu texto é perfeito para os dias de hoje onde todos metem-se demais na vida alheia.

Mariana Terra postou 5 de outubro de 2010 10:57

texto divertido, meu caro. mas creio que mtos dos que o leram, estão fazendo um grande esforço para se encaixar nesta de 'solteirão conviccto'. ou melhor 'solteirona conviccta'! porq homens eu até acredito que estejam (ou sejam) solteiros por opção, mas mulheres.. são raras! e estas que não são a exceção e sim, a regra, devem estar te agradecendo fervorosamente por ter ofertado este bom texto que, pelo menos por alguns momentos, irá confortá-las, fazendo-as crer que elas são, sim, solterias por pura convicção!

p.s.: falo por q sou mulher. e antes q me achem machista, respeitem minha opinião e tbm divulguem as suas!

abs a todos!

Camila Di Assis postou 5 de outubro de 2010 17:56
Este comentário foi removido pelo autor.
caquiufal postou 16 de outubro de 2010 21:53

Identifiquei-me com muitas coisas ditas e acho que é MUITO BOM ficar solteiro e a socidade tem que entender que nossas vidas para serem completadas não necessariamente precisa estar atrelada a de outra pessoa.Estar acompanhado é bom demais, mas não precisa ser uma regra para todos.Achei muito feliz esse texto e devemos propagar por aí essa idéia.Ser solteiro tem suas vantagens e muitas por sinal.rsrsrs.Não precisamos dar satisfações, é a melhor de todas,podemos sair com amigos sem que os mesmos sejam criticados pelo parceiro(a), podemos dormir o quato quisermos, sem necessariamente er que acordar cedo pra ir aquele almoço na casa da família dele(a), podemos ir ao cinema sozinho e assistir os filmes que gostamos e não o que somente os dois gostam.Ou para agradar abrimos mão de nossas preferências para agradar o outro(a).Podemos programar nossa férias e não adeuarmos as férias da família dele(a).E para encurtar, temos a desvantagem,as vezes, de passar o dia dos namorados sozinhos, mas já pensaram no que é passar o carnaval namorando e o pior, na casa do interior onde nem judas quer ir buscar as botas.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo