Eu não tenho sotaque

Postado em 27 de out de 2010 / Por Marcus Vinicius

Quando era criança, eu jurava pra todo mundo que o carioca era o único povo que não possuía sotaque. A minha imaginação infantil jamais suspeitaria que, na verdade, eu não percebia um dos sotaques mais carregados do mundo, que é o do nativo do Rio de Janeiro, cheio de "xis", "esses" e "erres" xiados.

Foi durante uma viagem, quando me pediram entre risos e espanto que eu repetisse o pedido de um "xisssssssburrrrger", que eu entendi isso perfeitamente.

O sotaque é um dialeto domesticado.

Conhecê-lo e identificá-lo, demanda grande intimidade com o idioma. Russo pra mim é russo de qualquer jeito, ou seja, incompreensível. Mas imagine que delícia conhecer a diferença entre o russo falado em Moscou e o falado em Vladivostok. Tudo bem que a utilidade disso não é muito grande, mas você, por exemplo, eu tenho certeza que não sabe reconhecer essa diferença. Nem eu.

Quando aprendemos um idioma, no início - como todos os inícios - tudo são flores. Queremos saber como dizer coisas básicas, como expressar vontades e sentimentos. Até as coisas simples do dia a dia como comprar um pão, pentear o cabelo, fazer a barba, xingar um motorista ruim de roda são novas descobertas. Só depois disso é que o estudante do idioma escolhe o sotaque de sua preferência. É como nascer de novo, podendo escolher se vai falar como um paulista, carioca ou mineiro.
Sotaque britânico ou americano? Irlandês ou australiano? Entonação portenha ou espanhola? Se espanhola, das ilhas ou da península? Se da península, madrilenho ou catalão? E por aí vai. O sotaque é a intimidade do idioma.

Ele permite que reconhecidos se identifiquem ainda mais. Se estou viajando pelo exterior e ouço alguém falando português, em cinco segundos consigo descobrir se é baiano, carioca, gaúcho e até se gosta de funk ou é eleitor do Tiririca.

E o sotaque não está só nas palavras, está também no ritmo. Mesmo que você viva num país por anos, e domine completamente o idioma, a sua língua materna deixará nas entrelinhas do seu jeito de falar a sua impressão digital, o seu DNA. É a forma de alongar ou encurtar uma vogal, a velocidade em dizer uma sílaba, qualquer coisa, por menor que seja, e o ouvido nativo vai identificar ali o forasteiro.

Só não tente entender um japonês falando inglês. Hamburger vira "rambago" e luz (light), vira "laito".


Mas por vezes o sotaque também enfeita o novo idioma. Os portugueses, com sua pronúncia mais dura, dizem que as brasileiras falam "com açúcar" e uma latina falando inglês é definitivamente sexy, assim como uma russa falando qualquer idioma também é (talvez só por ser russa mesmo, vai saber).
 
É mais fácil você fazer uma plástica e virar a Sharapova do que se livrar dos resquícios do idioma que aprendeu desde quando te ensinaram as primeiras palavras.
 
Mas nunca esqueça duas coisas muito importantes: sim, você tem sotaque e, principalmente, antes de aprender uma língua estrangeira, procure primeiro aprender a sua, ninguém precisa de um semi-analfabeto bilíngue.

10 Comentários:

mvdsister postou 27 de outubro de 2010 09:29

Sempre sofri por causa do sotaque. A maioria eram elogios "Nossa, você fala português sem sotaque" (sou uruguaia). Mas a maioria das vezes era "Você nao tem personalidade". É que depois de dois dias em Recife, ou Salvador, ou Porto Alegre, começo a falar como uma nativa.. Os sotaques grudam em mim como carrapato!

renato postou 27 de outubro de 2010 09:30

Ouh mai gode... De buque is on de taibou?

Mia Knox postou 27 de outubro de 2010 09:31

"latina falando inglês é definitivamente sexy" hahaha já ouvi muito isso. Não dá pra entender o porquê, mas é real.
Mas ó, eu sou paulista e paulista não tem sotaque!!!! :P

TigerGirlSP postou 27 de outubro de 2010 09:39

Ahh.. Adorei o texto.
Existem mesmo pessoas q nao imaginam que sim, tem sotaque...
Um amigo meu, mineiro, diz q sou muuuito paulistana, e cariocas vivem me pedindo para falar a palavra porta. rsrsrs By the way, o sotaque de homens cariocas eh o que chamo de sexy..

Seeya Sweet

Maysa postou 27 de outubro de 2010 09:45

Nada mais correto que, antes de aprender um idioma, aprender bem a sua própria língua e as nuances de cada região de seu país.Todos temos sotaques e eu, particularmente os percebo facilmente, assim como autodidata aprendi os sotaques da França e Inglaterra- ainda brigo com o americano. Todo piloto internacional precisa aprender bem o inglês, como sua língua pátria, pois em caso de acidentes, pane, ele certamente irá recorrer à sua língua nativa. Daí o uso constante das 2 ou mais. Abraços

Maraguary postou 27 de outubro de 2010 10:35

Rss... Acabo de retornar de uma viagem nas Ilhas Galápagos e eis que uma senhora me pergunta como se fala "contente" em português, respondi que pode ser "contente" mesmo ou então "feliz". Qual não foi minha surpresa ao ouví-la repetir o ensinamento:"FeliXXXX"!!! Vi então meu "carioquês" espalhado pelo mundo!!! E olha que nem sou carioca!!! Quanto ao inglês, o meu é realmente péssimo, e comprovei em uma viagem para a África. Nunca fiquei tanto tempo calada em minha vida! Meu filho, que morou alguns anos nos EUA, diz que meu inglês é horroroso e ainda tenho sotaque de mexicano!!! Resumindo: Sou um desastre em comunicação internacional!!

(...mas dia aí, onde é que eu faço a tal da plástica pra virar a Sharapova?)

mvsmotta postou 27 de outubro de 2010 10:46

Maraguary,

Hahahahahahaha essa plástica da Sharapova deixaria muito médico milionário, né?

Beijos

Jubarulho postou 27 de outubro de 2010 11:30

Rá! Finalmente vou poder argumentar contigo!

É q eu não tenho sotaque! Ou melhor, tenho o MEU sotaque. Duvido que vc descobriria de onde eu sou somente me ouvindo falar!

Filha de milico, morei em vários lugares. Pai soteropolitano, mãe carioca com avó boliviana. Resumindo, "criei" um sotaque particular. Tanto q já me perguntaram se eu sou de MG, do RJ, de SP, do sul, do nordeste e por aí vai...

Mas é engraçado ver as pessoas se espantarem achando que não têm sotaque.

Se vc entende bem o inglês e gosta de sotaques, procure no youtube por "24 accents". É um garoto londrino fazendo vários sotaques. É sensacional!

Beijos!

Marise postou 27 de outubro de 2010 15:17

Ahahahah! Todo mundo me pede o sotaque carioca até escrevendo..rsrsr
é uma boxxxxxxxta!
beijoxxxxxxxxxxxxx

Anônimo postou 8 de julho de 2015 10:18

Adorei seu texto! Sabe aque negoço de q americano acha sotaque britanico sexy e tal? Eu acho q serve pra Brasil e Portugal também, pq quando ouço um portugues falando eu acho super sexy e fofo. Eu sou paulista e tenho um sotaque que todo mundo ouve menos eu, pra mim eu falo completamente normal, e que dizem q eu tenho sotaque carioca...mas ate q eu gosto😋

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo