Acabe com a alegria de um mala: concorde com ele

Postado em 25 de out de 2010 / Por Marcus Vinicius

Eu já achei que para gostar do Schwarzenegger não dava pra gostar também do Stallone (mais tarde descobri que ambos são tão bons quanto os dois amendoins que cada um carrega no lugar do cérebro), que se gostasse de Smiths não poderia gostar do Iron Maiden, que se preferisse praia deveria detestar ir para a montanha. Depois cresci, parei de acreditar que a Xuxa usava Monange e aprendi que cada um gosta do que quiser, até mesmo axé music, desde que longe de mim, é claro.
Tem quem pense que uma opinião, pra valer alguma coisa, deve ser única. Algumas pessoas se receberem uma concordância imediata ou se ninguém cuspir a sopa quando dizem uma de suas verdades, saem dali frustradíssimas, reavaliando toda a sua existência.

É uma espécie de indie ideológico, bem assemelhado a uma madame de boutique com pavor de encontrar alguém usando um vestido igual por aí. O problema desse tipo de postura é que você acaba indo da direita de Hitler à esquerda de Che Guevara em uma frase, buscando sempre o espanto do interlocutor.

Porque o que diferencia uma opinião polêmica de uma polêmica pura e simples, é que no caso da primeira a pessoa que a emite nem sempre se diverte com isso. Ser chamado de "reacionário", "preconceituoso", "inconveniente" ou mesmo "de mal com a vida" não é necessariamente uma coisa legal. Só que você não vai deixar de dizer o que pensa só por medo de ouvir essas coisas, então precisa defender sua posição, argumentar e fazer o que existe de pior, que é tentar convencer um cretino de alguma coisa.


Porque o idiota puro e simples tem uma disposição que o cretino não tem, que é a de mudar de opinião. Você chega pra ele, conta que o céu é azul e depois de alguma dúvida ele aceita isso. O cretino não, ele sabe que o céu é azul, mas continua dizendo que não é só para irritar, para provar um ponto ou mesmo só pela diversão de criar polêmica.

E é aí que entra a grande diferença da opinião polêmica para a polêmica. O polemista vai chegar no meio de flamenguistas e declarar: "o maior time de futebol do mundo é o Vasco!". Se o alarido não for alto o suficiente ele ainda vai completar: "e o segundo maior é o Fluminense!". Se a coisa ainda assim for meio tranquila, tipo, se ele não conseguir pelo menos levar com um copo de chopp na cara, ele completa: "e tem mais, o América tem a maior torcida!".

O compromisso do polemista com a realidade geralmente é nulo, o que importa é encher o saco mesmo.

Se ele estiver em São Paulo, falará mal da poluição. Se estiver no Rio, vai dizer que só tem vagabundo na praia. Se for para um show de rock, será fã de sertanejo universitário e por aí vai.

A frase mais deliciosa para um polemista dizer é "não concordo". Não interessa se você estiver defendendo, sei lá, a cura da gripe, ele vai querer ouvir e defender o outro lado. Será advogado do vírus.

A melhor maneira de lidar com esse tipo de gente é concordando com elas. Acredite: não tem nada mais frustrante para um cretino do que alguém concordar com ele.

- Sou a favor de aterrarem o rio Amazonas!

- Concordo! E o Pantanal também!

- Aí eu não concordo...acho que o Pantanal podia virar uma espécie de parque aquático.

- Verdade, você tem razão, bem melhor...

- Mas aterrar não seria má idéia...matar todos aqueles peixes.

- Verdade, pra que peixes?

- Pô, você tá me confundindo!

- Concordo contigo!

É tiro e queda. Pra lidar com um chato, só sendo duas vezes mais chato do que ele.

5 Comentários:

Anônimo postou 25 de outubro de 2010 08:43

Gostei do seu texto. Seu fluxo de pensamento parece ser contínuo,o texto acaba ficando leve. Isso me lembrou que não fiz curso de Direito porque detesto a ideia de ser obrigado a me posicionar sobre tudo e de ter que convencer alguém sobre algo com uma teia de argumentos. Isso sim é chato. Enfim cada um com seu cada qual...
Herclemand

Contriller postou 25 de outubro de 2010 08:52

Achei a estratégia de concordar, seja lá com o que for um pouco extrema... Afinal, tendo uma opinião, é difícil ter que concordar com cada absurdo que umas pessoas acham certo, Mas tá aí...

Afinal não tem nem graça discutir qualquer coisa com uma pessoa cujo único diferencial é o "diferencial" em si, ou seja só ser diferente por ser e acabou. Normalmente duas opiniões diferentes uma da outra ATÉ se entendem, mas quando o cara só quer discordar... hahah.

Ótimo post!

Carla postou 25 de outubro de 2010 09:05

Hahaha ! Tem razão !
Olha que não são poucos os chatos!
Já concordei várias vezes pra ver se a conversa era logo encerrada.

Parabéns!

[]

Sobrenome: SOLIDÃO postou 25 de outubro de 2010 09:26

Totalmente de acordo com suas palavras. Incrível como algumas pessoas insistem em "polemizar" temas que nem merecem discussão. Ser polêmico, não significa duvidar até do ar que respira. Ótimo post pra iniciar a semana!

Liz postou 25 de outubro de 2010 09:53

adorei esta: "Não interessa se você estiver defendendo, sei lá, a cura da gripe, ele vai querer ouvir e defender o outro lado. Será advogado do vírus." Percebi que existe sempre alguém que torce para o jacaré no filme do Tarzan, né??? Gosto muito do seu blog

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo