Um carioca exilado no Rio

Postado em 14 de out de 2010 / Por Marcus Vinicius

Tenho amigos que juram que sou paulista. Alguns outros já pensaram - com a minha sacana colaboração - que eu era argentino. Já me perguntaram até se nasci em Minas, mesmo não tendo nada que leve alguém a pensar isso, tipo torcer pro Galo, falar "uai" e andar com um queijo no bolso, mas, dentre todos, a maioria se assusta mesmo é quando descobre que eu sou carioca:

- O que? Você? Carioca? Mas carioca, carioca mesmo, desses que nascem no Rio?

- É, desse tipo de carioca...

- Mas tipo, carioca do Rio de Janeiro da Mangueira, do Flamengo, do sambinha, da feijoada, dos malandros, da gente bronzeada jogando futevôlei na beira do mar, que chamam noite de "night", que sentem frio em qualquer temperatura abaixo de 30 graus, que acha favela atração da cidade, funk manifestação cultural, que pensa que a cidade inteira é maravilhosa só por causa do que existe de um dos lados do túnel Rebouças, esquecendo a feiúra do resto da cidade?

- Desse tipo aí não, sou carioca mas não faço nada disso aí que você falou, gosto de muita coisa daqui, nem sei se mudaria, mas sou bem diferente do estereótipo que o carioca criou para si, inclusive sou até palmeirense, detesto favela e funk...

- Mas pera aí, você nasceu mesmo no Rio? Então não foi criado aí, né?

- Pelo contrário, nascido e criado, é que...

- Não, me explica isso direito, você é nascido e criado no Rio, é um desses "cariocas da gema"? Desses que contam suas experiências em assalto e arrastão até com certo orgulho, que vão ao Maracanã levar saco de mijo na cabeça e adoram, que quando encontram artista na rua fingem que nem ligam pra "não bancar o capiau", desses que acham que não ir na academia é pior do que assassinar a família e ir ao cinema, que falam gírias como “perdeu”, “já é”, “é nóis”, “vaza”, que chamam cachorro-quente de "podrão", que enchem pizza de ketchup, que dizem pra alguém "passar lá em casa" e se a pessoa passar mesmo contam pra todo mundo que ela é uma "sem noção", que adoram uma praia lotada, harmonizam suco com sanduíche natural?



- Olha, deixa eu te explicar, eu considero tudo isso aí ridículo, mas sim, sou carioca, é que eu penso direfente e tem mais cariocas iguais a mim, que acham que...

- Desculpa interromper, mas é que você está me confundindo, tem certeza que você é carioca? Tipo, você viu sua certidão de nascimento? Você tem certeza de que não esteve em coma nos últimos 20 anos e acordou achando que nasceu e foi criado no Rio de Janeiro?

- Tenho, tenho certeza absolu...

- É que fica difícil acreditar que você é carioca mesmo, sabe? Desses que acham que é justificável até dar esconder o Bin Laden em casa mas que é imperdoável perder um dia de praia, que acha mate-limão a melhor bebida do mundo, que realmente acredita que o biscoito Globo é um diferencial gastronômico da cidade, que considera diversão ficar com o umbigo no balcão de um boteco bebendo cerveja e ouvindo gente cantar sambinha batucando na mesa, que se acha "malandro", que vai em ensaio de escola de samba ouvir barulho, sentir calor e ficar espremido numa multidão e ainda recomenda o programa, que prefere um terremoto do que um dia de chuva, que mesmo só conhecendo Cabo Frio, Barbacena, Petrópolis e Porto Seguro tem "certeza" de que o Rio é "a cidade mais linda do mundo"?

- Olha, eu pessoalmente não acho isso não. É bonito, quer dizer, uma parte é muito bonita, mas está longe de ser a cidade mais bonita do mundo...

- Juro que não acredito, na boa. Você então realmente não acha que "mais vale um corpo bonito e bronzeado" do que ter lido pelo menos 3 livros na vida, que puxar uma menina pelo braço e dizer "goxxxtosa" é uma boa técnica de abordagem, que o desfile de escolas de samba não é a mesma coisa repetitiva todo ano?

- Não.

- Ah tá...sei...então você não é mais um que fala mal de flanelinha mas quando encontra um deles chama de "chefia", brinca e acaba pagando, que sua em bicas no verão mas "adora um calorzinho", que acha que aplaudir por-do-sol não é uma coisa meio sem sentido, que considera saber em "qual posto" você vai na praia quase tão importante quanto decorar seu CPF, que acha normal combinar algum programa sem ter a menor intenção de ir?

- Não, cara, na verdade acho isso aí tudo até meio babaca...

- Desculpa, amigão, mas você não é carioca...

- É, acho que não sou mesmo.

13 Comentários:

Leticia postou 14 de outubro de 2010 11:06

Rindo de rolar aqui...

Isa Dora postou 14 de outubro de 2010 11:07

Eita moço! Carioca é babaca? rsrs

Divertidíssimo seu blog. Li outro dia aquele texto sobre "solteirice". Gostei hehe Parabens!

mvsmotta postou 14 de outubro de 2010 11:20

Isa,

Na verdade alguns estereótipos que o carioca criou para si mesmo é que são babacas.

Mas tem gente boa e gente cretina na mesma proporção que existe no resto do mundo inteiro, talvez até no Tibete.

Beijos

L@ra postou 14 de outubro de 2010 11:29

o título podia ser " eu me acho foda! " que tal?

Rondinelli Fortalesa postou 14 de outubro de 2010 11:38

Eu morei uns 3 anos no Rio e vi todo tipo de gente e confesso que os que mais representavam o estereótipo de carioca eram os que tinham se mudado pra lá, ou seja, representavam mesmo.

mvsmotta postou 14 de outubro de 2010 11:39

Lara,

Obrigado por me achar isso. Se você conseguir juntar mais 9 pessoas que me digam o mesmo vou acabar ficando convencido e achando isso também.

;)

Aline postou 14 de outubro de 2010 11:47

Cara, passei por tudo isso aí várias vezes! Já morei fora do Rio uma vez e tô morando fora de novo! hhahaha É exatamente isso!

Dani postou 14 de outubro de 2010 11:53

Como uma boa mineira que já viajou pra muitos lugares mas nunca foi ao Rio tô chocada! Jura que você é mesmo carioca?
Adoro seu blog!
Bjs.

Íntimo Infinito postou 14 de outubro de 2010 12:11

O post é engraçado e até concordo que tem gente babaca assim, que acha bonito ser babaca... em todas as cidades!
Eu sou carioca, gosto demais da minha cidade e não penso nem 1/3 das coisas que o "estereótipo descrito do carioca" pensa. E, parando pra pensar com cuidado, também não conheço ng babaca assim!

Vc escreve muito bem. Torna a leitura interessante.
Só uma dúvida: de que cidade seria o pentelho que interrompe todas as suas falas?? :P

mvsmotta postou 14 de outubro de 2010 12:13

Íntimo,

Nunca perguntei, mas tenho quase certeza de que ele é de alguma cidade com nome estranho, tipo Pindamonhangaba ou Registro. :P

Abs

Gisa postou 14 de outubro de 2010 13:31

Com tais coordenadas sou capaz de achar um carioca em qualquer lugar agora! Não me enganam mais! kkkkk
Muito divertido e, como gaúcha, ri muito!
Beijo
Gisa

Keeka Bergamin postou 14 de outubro de 2010 14:14

Parabéns pelo Post Marcus! Como sempre muito divertido de ler.
Descreveu bem aquelas pessoas que acham que só por ter nascido em uma determinada cidade, você obrigatoriamente tem que ser de uma determinada maneira, gostar de determinadas coisas e fazer outras tantas!

Você escreve muito bem, parabéns novamente!
Beijos!

Mariana Terra postou 18 de outubro de 2010 22:07

em homenagem ao seu texto divertidíssimo, vou dormir lembrando de como eu "era" carioca, butequeira, suburbana, descolada e... feliz! e não sabia... sim é clichê, mas é verdade! pelo menos ainda sou carioca, flamenguista, mangueirense... e ainda gosto de samba, de funk, de calor e sol... mas agora tbm sou pseudo-paulistana!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo