Rotina boa é a dos outros

Postado em 10 de jan de 2011 / Por Marcus Vinicius

Bom humor e pensamento positivo são duas coisas importantes, porém meio super-valorizadas. Não adianta querer mentir, depois de um tempo o otimismo se resume basicamente em torcer para que não dê nenhuma cagada.

Eu sei que sou meio ranzinza, mas sinceramente, essa é a atitude mais condizente com a rotina que somos fatalmente obrigados a encarar quando chegamos na tal idade adulta.

A rotina é mais ou menos como um desses telejornais noturnos. Para ser honesto mesmo, o William Bonner jamais poderia começar o Jornal Nacional com um "boa noite", ele deveria dizer algo como "olha, eu sei que vou estragar o seu dia com notícias de merda, mas tente abstrair se puder".

Mas nesse ponto eu já estou falando do final do dia, como se não existisse o resto dele antes disso.

Você já acorda com aquele despertador te sacaneando. Sim, porque faz um som estridente ou então toca alguma música do rádio, quando na verdade deveria é ter uma voz cavernosa dizendo "acorda aí, não tem jeito. E não me xingue, porque foi você que me programou".

Depois você enfrenta um engarrafamento dirigindo, dentro do ônibus ou um engarrafamento de pessoas num trem ou metrô. E o ponto alto dessa parjornada será o almoço, onde você troca sua mesa cheia de trabalho acumulado por uma velha meio gorda de uns 70 anos catando ovos de codorna e atrasando a fila do restaurante a quilo.

Costumo dizer: me chame de filho da puta, mas não me chame pra um restaurante de comida a quilo.


Na volta pra casa, outro engarrafamento, programação meia-boca na TV e ir dormir pra começar tudo de novo.

Quem diz que rotina é uma coisa maravilhosa só pode ser amante da Angelina Jolie ou então deve ser o próprio Brad Pitt, porque a rotina deles, sim, deve ser maravilhosa, mas a minha e sua são é bem mais ou menos.

Quando conheci Fernando de Noronha não tirava da cabeça que aquele ilhéu (habitante de lá) que nos servia de guia devia achar um saco a sua rotina, que com certeza todos os turistas ali invejavam.

Não podia deixar de imaginá-lo de manhã, reclamando com a esposa em casa:

- Aqueles golfinhos de merda, as mesmas tartarugas de bosta, sem contar esse sol filho da puta!

Fazer a mesma coisa todo dia é um saco, ainda que existam poucas alternativas para isso caso você não ganhe numa loteria, receba uma herança ou resolva virar hippie.

Um dia você descobre que existe algo de errado na sua vida quando a sua maior ambição é passar o dia sem levar nenhum esporro ou sem ter que dar nenhum esporro em alguém.

Pra piorar tudo, você espera o final de semana ansioso e no final das contas se vê em casa, à toa no sábado de noite, porque preferiu ver o Supercine do que ir naquele barzinho de música ao vivo escutar algum pentelho tocando Raul Seixas.

E no final das contas sabe onde tudo termina? Numa segunda-feira. De novo.

6 Comentários:

Flávia Naves postou 10 de janeiro de 2011 08:50

Realmente, ta de parabéns. Falou e disse!
Rotina nunca é bom.

juliana postou 10 de janeiro de 2011 09:03

O ser humano é um eterno insatisfeito, essa que é a realidade.
BJOS.

Rodrigo Santos postou 10 de janeiro de 2011 09:31

A grama do vizinho sempre é mais verde ahsasaushu.
Tem alguma coisa a ver com a necessidade do ser humano de explorar o novo.
A gente almeja ter a riqueza do Bill Gates, mas ninguém sabe se a rotina dele é boa. Resolver problemas, reuniões, administrar a empresa e tanta coisa. Aposto que ele as vezes queria ter uma 'vida normal'.
Resumindo... rotina nunca é bom. Enquanto a gente estiver fazendo as mesmas coisas todos os dias, vamos reclamar.

Isabel postou 10 de janeiro de 2011 10:18

Nossa, hoje vc está realmente azedo, rssss. Todo mundo tem certas rotinas das quais não pode fugir, como trabalho, horário rígido de almoço, etc, mas cabe a cada um torná-la menos maçante e incluir atividades que te agradam. Não adianta só ficar reclamando, só depende da gente buscar alternativas mais divertidas pra nossa vida, como um cinema depois do trabalho, uma caminhada de manhã cedo, um sorvete depois do almoço, ouvir música bem alta durante o banho... Algumas pessoas têm dificuldades de valorizar as pequenas coisas da rotina que tornam o dia um pouco menos cansativo, e acabam ficando amarguradas. Não seja assim!
E viva a comida a quilo! :)

Maysa postou 10 de janeiro de 2011 13:59

Estou com preguiça de escrever tudo de novo: "A página expirou!"...
Como sou o retrato do seu Blog e nado contra a corenteza desde que nasci, desconheço a palavra rotina e nem sei viver nela. É uma merda.
Você vai invejar a minha vida: acordo depois do almoço, jogo freecell, canto e leio (música e livros bons), viciada em cinema-SKY-aposentada por invalidez -coluna e dor. Esperando a marcha da maconha pra poder usar como remédio para os males da dor de todos os tipos rsrsrs
Mas fico triste por não poder ser croonner do Keith Richards!!!

Anônimo postou 10 de janeiro de 2011 18:11

“Oh dia, oh vida, oh azar“.Somente o Hardy entende o que acho da rotina...
Excelente visão do pessimismo humano.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo