Seu roommate é seu futuro ex-amigo

Postado em 13 de jan de 2011 / Por Marcus Vinicius

Quem já dividiu apartamento com outras pessoas seja porque estudou fora ou simplesmente porque quis um pouco mais de liberdade, sabe muito bem o que eu digo: é uma situação com propensão a dar merda em 99% das ocasiões.

Quase todo mundo é muito legal até que passe a conviver contigo debaixo do mesmo teto. Pense na quantidade de casamentos desfeitos e você concordará comigo.

Um roommate é como um cônjuge sem direito a sexo (se bem de que essa informação é controversa sob vários aspectos, já que nada impede o sexo entre roommates e nada garante o sexo entre cônjuges).

Amizade de bar, coleguismo casual e até mesmo companheirismo de longa data são a versão fraternal do namoro: depois que casa, dá cagada.

Muitos casos eu mesmo presenciei ( nunca vivi porque sempre morei na casa dos meus pais e depois, sozinho). Grandes amigas, daquelas que trocam até namorados entre si, vão morar juntas e em seis meses já se odeiam mais do que uma pessoa que assiste BBB detesta livros.

Mas o legal mesmo são aqueles apartamentos que juntam três, quatro, cinco amigos. Todo mundo se dá relativamente bem, mas não há amizade que resista a um sujeito lavando roupa na pia da cozinha porque o tanque entupiu, a uma cueca usada - talvez até com uma freiada de caminhão de brinde - jogada no sofá da sala ou ao esperto que come seu biscoito Bono todo dia e coloca um de chocolate da marca Tremembé no lugar.


O primeiro sinal de que aquele amor dos tempos de mudança - quando todos vão recolhendo mesas na casa de praia dos pais, almofadas na casa da avó, pegam televisão e geladeira emprestada de algum tio e se juntam para comprar um fogão - está indo pro ralo, é o aparecimento das etiquetas na geladeira.

Sabe como é, o dia de fazer compras juntos e toda a diversão de ir "zuar" no supermercado virou uma chatice semanal, então cada um compra o que bem entende. Só que sempre tem o sujeito que prefere gastar seu dinheiro com maconha, CDs ou doações para alguma ONG, do que comprar gêneros alimentícios.

Mas como ele precisa comer, come tudo que é dos outros. A tática então passa a ser cada um comprar o seu e colocar uma etiqueta com seu nome e até um aviso "se comer, morre". Dá-se a multiplicação dos requeijões, manteigas e caixas de leite, cada um de uma pessoa diferente.

Quartos compartilhados com camisinhas usadas do dia anterior também contribuem para que aquele seu amigo gente boa (e que você tinha certeza que daria um bom colega de apartamento) se transforme no maior cretino da face da terra. De repente você acorda e se vê morando com o Carlinhos Brown, o Ivo Meirelles e o Dado Dolabella.

Mas não são eles, é a convivência. A convivência e as manias que todo mundo tem, mas que ficam escondidas dentro de casa, num canto do quarto, e que se escancaram quando a casa e o quarto estão logo ali no final do seu corredor.

É quando descobrimos que nosso colega de apartamento gosta de criar animais na área de serviço, que coa o café da manhã com a meia usada no dia anterior ou simplesmente é um folgado que "esquece" de pagar a conta de luz quando era a vez dele, só porque "teve" que viajar pra Búzios no feriado e gastou todo o dinheiro que tinha.

Ao dividir apartamento é quase certo que você vai subtrair suas amizades. Pode ser algo tão ruim, que chega a ser até pior do que esse trocadilho.

8 Comentários:

juliana postou 13 de janeiro de 2011 10:00

Por incrível que pareça eu tive uma experiência maravilhosa morando com uma amiga por 2 anos, tenho mais probleminhas hoje dividindo o teto com meu marido,hehehe...Bjoss

Leo Ribeiro postou 13 de janeiro de 2011 12:18

Cara ja penso em trabalhar em um jornal ou algo parecido? Se tivesse uma coluna mesmo que mensal em qualquer lugar saiba que teria um leitor assíduo. Teus textos são muito bom. Parabéns.

Guilherme dos Reis postou 13 de janeiro de 2011 12:18

É exatamente isso... dividi por 1 ano um AP com um "melhor amigo"... preciso dizer o pq das aspas? rsrsr
mas enfim este texto traduz exatamente o que realmente significa divir AP com amigos...

mvsmotta postou 13 de janeiro de 2011 14:36

Leo,

Ainda não, mas adoraria ter uma (pra que mentir?) rs

Abraços!

Pi, Pinga, Perescila...whatever! postou 13 de janeiro de 2011 15:35

Cara, divido apartamento há 3 meses no Canadá. Primeiro era só um koreano. Convivio muito bom, cada um com seu espaço e os que sao divididos (banheiro, cozinha, sala), sempre arrumados pelo ultimo que usou.
O unico problema foi quando um casal de koreanos veio morar com a gente. Affff, louça amontoando no escorredor, louça tendo que ser relavada. Uó! Mas eles saíram e chegaram 2 meninas. Apesar de fazerem café da manha as 5am, nao temos problemas.
A questao é: cada um no seu quadrado. E respeitando os quadrados em comum. :)

Jheny Torquato. postou 13 de janeiro de 2011 18:02

Meus respeitos pelo seu trabalho! Você é bom mesmo e merecia melhor. Parabéns sincero! Boa sorte, que seu talento seja, um dia, reconhecido nesse país "maravilhoso". Abraço. P.s. : Eu também adoro suas twittadas! Confere :@TorquatoGda

Maysa postou 14 de janeiro de 2011 04:42

Faço minhas as palavras dos leitores, porque eu busco sua coluna todo dia à espera de um assunto polêmico e muito bem escrito, voc~e faz com que nós naveguemos à sua deriva, saindo totalmente da rotina massacrante.
Você merece mesmo!
Quanto morar com alguém que não seja seus filhos é desesperador.
5 experiências das quais prefiro não compartilhar hoje...
Bj Angela

Liv postou 19 de janeiro de 2011 06:39

Dessa eu vou descordar. Minha roomate foi uma das pessoas mais cativantes que já conheci. A gente se entende suuuper bem.
É um relacionamento, né? Tem que ceder dos dois lados pra não dar confusão. Tem como dar certo sim. Difícil, mas tem como.
Abs

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo