Xuxa, as celebridades e o Twitter

Postado em 29 de ago de 2009 / Por Marcus Vinicius

Esta semana um dos assuntos (invariavelmente trash) do Twitter foi a aventura mal ajambrada da Xuxa por esta rede social.

O busílis todo se deu porque Xuxa primeiro não teria gostado de ser corrigida pelos "fãs" que a alertaram para não escrever em caixa alta(sinônimo de gritos na internet), o que a "rainha dos baixinhos" havia atribuído a um suposto "jeitinho" seu, e depois ficou contrariada quando seus seguidores começaram a fazer galhofa pelo fato de sua filha, Sasha(aquela criança que teve a sua gestação televisionada no Faustão com direito a ultra-sonografia em rede nacional e tudo) ter escrito "sena", ao invés de "cena" em uma twitada que fez usando a conta da sua mãe.

Xuxa ficou irada, respondeu rispidamente e finalizou sua aventura no Twitter com uma bobagem mais ou menos assim: "Vocês não merecem falar comigo nem com meu anjo".

Essa menina, Sasha, aliás é um caso único. Seu parto, seu primeiro banho, a primeira meleca que tirou do nariz, tudo foi parar no Jornal Nacional. Isso por si só já é uma aberração digna de Michael Jackson e suas esquisitices, mas ela não merece ser punida realmente pela falta de noção da mãe.

Ruy Castro disse muito bem, à época: "Nem Cristo foi tão esperado. Nem o bebê de Rosemary".

E foi. Mas quem pegou no pé da garota porque ela escreveu "sena" ao invés de "cena", na verdade queria é pegar no pé da Sra. X, que acabou dando razão a antipatia que muita gente sente por ela, querendo bancar a "das zelite", dizendo que sua filha escreve errado porque "foi afabetizada em inglês".

Talvez a menina tenha estudado em alguma instituição de ensino em New York (S)ity?

E assim, ao que parece, Xuxa saiu do Twitter. Posso dizer que já foi tarde. Menos uma.

Mas este não é, se me permitem o trocadilho, o "X" da questão.

Isso tudo começa pela falta de noção que a própria Xuxa tem, assim como a maioria destas pseudo-celebridades do Brasil. Todos querem privacidade, todos querem que "respeitem sua vida pessoal", mas invariavelmente fazem de tudo para se expor.

Sei que é um fenômeno mundial, não é exclusividade nossa. Mas vivo no Brasil, então, falo por nós, brasileiros.

Não estou falando aqui de área de atuação, mas do que os tais "famosos" fazem da vida quando não estão sendo apenas "famosos".

Posso ser rabugento demais, não nego isso e nem faço questão de faze-lo, mas vejo a maioria das pessoas que fazem sucesso no Brasil, e entenda aqui por sucesso aparecer na TV, em revistas de grande circulação, em sites e programas de fofocas, como gente de qualidade artística medíocre.

São cantores e cantoras chulé, canastrões e peitudas inexpressivas de novelas, gente "bonitinha" que só presta mesmo para vender a imagem e fazer polêmicas com o intuito exclusivo de "aparecer", lógicamente preservando a "vida íntima".

Pegue uma revista "Caras" da próxima vez que for ao dentista, médico ou cortar cabelo e preste atenção no naipe das pessoas que são "VIPs" e "famosos" no Brasil.

São coroas desgovernadas metidas a garotona, gente burra metida a intelectual (sempre que vejo aquelas fotos de um boçal segurando um livro do Paulo Coelho, com óculos no melhor estilo "leio 192 livros por ano" e cara de estudioso me dá vontade de enfiar uma caneta Bic na orelha de um deles).

São atrizes e atores de novela que quando não estão nos presenteando com atuações regularmente ridículas em tramas ridiculamente iguais, que repetem-se com pequenas variações desde a época da Janete Clair(Um dia falarei, mal é claro, de novelas aqui), axezeiros, pagodeiros, enfim, o que faz sucesso no Brasil e é tido como nossa "classe artística" é, para mim, a nata do que existe de mais medíocre no país.

Se formos ver quem são fora da casca de noz brasileira, são os famosos "quem?". Tanto que quando viajam de férias para o exterior, precisam levar na bagagem seu paparazzi portátil, senão ninguém os fotografa "relaxando e lendo um livro no Central Park".

Basta ver que os mais espertos, os com um talento diferenciado, primeiro afastam-se de novelas (ou pelo menos realizam extensa produção fora do ambiente televisivo clássico) e depois tentam vôos maiores fora daqui.

Vê se o maestro Tom Jobim vivia em programas de auditório ou tirando fotos na praia do Leblon pra plantar em colunas sociais xinfrins depois.

Não quero dizer que o termômetro para ver se alguém é bom ou não é "fazer sucesso lá fora", o senso crítico deles pode ser igualmente ruim, caso contrário, bizarrices como Jonas Brothers não existiriam por lá.

O termômetro é existir fora deste métier de famosidades efêmeras e vazias.

Tem muita gente boa fazendo arte de excelente qualidade em nosso país, pena que não recebem o mesmo carinho e atenção do que os "globais" e "famosos" recebem.

Ser famoso nem é tão difícil comparado à complexidade que existe em mostrar algum talento.

Voltando ao Twitter, a maioria dessa gente "famosa" e acostumada a bajulação, achou que chegaria ali e encontraria os mesmos "fãs" adestrados que encontram nos auditórios e eventos-jabá que frequentam.

Quiseram ser "antenados" e aparecer um pouquinho também, é lógico, porque não?

Só que o Twitter não tem filtros, ali você fala o que quer e é obrigado praticamente a ler o que não quiser também.

Podemos bloquear a pessoa depois da primeira "tijolada", mas ela já o terá atingido de um jeito ou de outro.

É isso que ocorreu com essas pessoas. Chegaram ali e pensaram que tudo seria como um passeio no tapete vermelho da última festa de uma indústria de cosméticos, um camarote de cervejaria no carnaval ou a puxação de saco dos programas de TV.

Não foi.

Primeiro porque o Twitter não é nada disso, depois porque sua característica de "conversa direta" tornou possível, como muito bem disse o Mauricio Stycer, "um sonho de infância: xingar a TV".

Algumas destas celebridades estão descobrindo ali que, apesar do seu status no mundo de Caras, muitas pessoas não as tem num conceito muito bom.

E o melhor (para as pessoas, é claro), todo mundo diz isso sem pena. Nem acho injusto, afinal, alguém tem pena de nos fazer aturar a presença perene destas "caras" por onde quer que olhemos nas mídias convencionais? Não. então pronto, então "toma".

Só que os "famosos" não estão levando isso na boa. O caso da Xuxa foi somente o mais notório de todos.

A Claudia Leite (se ela quiser que eu escreva com dois Ts, como sua "numeróloga" deve ter mandado, me envie um cheque de R$500,00 que faço, veja que tá barato, é o preço de uma twittada da Twittess) já se irritou com um fã.

Aquele Junior (o irmão da Sandy, que aliás também está no Twitter) se envolveu num episódio ridículo junto com outras sub-celebridades a uns 2 meses atrás.E nesse caso da Sra. Meneghel, outros membros do "Sindicato das Celebridades, Famosos, Habitantes do Mundo de Caras, Contigo e Similares" como a Angélica, a Preta Gil e a Carolina Dieckmann saíram em sua defesa, "repreendendo os fãs" porque, adivinhem, "não respeitam a intimidade deles".

Vamos tentar entender: o indivíduo vive se expondo em revistas, em programas de fofoca, faz da sua vida pessoal um reality show, mas as pessoas é que tem que respeitar uma linha imaginária entre o que é público e privado, linha esta que eles mesmos não sabem nem aonde esconderam ou se perderam em um dos quartos do "castelo" ou da "ilha" de Caras no último verão.

Mas o fato é: pensaram que teriam ali a condescendência que repórteres e veículos que vivem de vender a imagem deles sempre tiveram, só que não encontraram isso. Ainda que o Twitter tenha sofrido uma "orkutização", a média das pessoas por lá ainda é maior do que a da audiência da TV aberta e dos leitores do "Meia Hora" ou "Expresso".

Os "twitteiros" tem um pouco mais de senso crítico e o resultado é este: rusgas, desentendimentos e alguns escândalos aqui e ali.

No entanto, bons exemplos de artistas que usam o Twitter de forma inteligente e potencializam assim sua relação com fãs e admiradores não faltam.

São vários como o Leo Jaime, o Roger do Ultraje, os humoristas do CQC (programa que eu não gosto, mas que seus membros são exímios em utilizar o Twitter a seu favor), o Ritchie, entre outros.

São artistas que foram inteligentes e entenderam que o contato ali é direto, que a internet diminui a "distância" e a timidez que existiriam em um encontro real e dispuseram-se a dialogar diretamente com seu público, sem subterfúgios e aceitando na boa ônus e bônus deste tipo de contato, seja na forma de elogios, risadas e bons momentos, seja na forma de virtuais "chamuscadas" que sempre ocorrem.

Estes estão no Twitter faz tempo e se dão bem por lá. Conversam, interagem, expõem detalhes curiosos e até engraçados de suas vidas pessoais, mas deixam claro que existe uma linha que separa isso do que é "íntimo" realmente, e sabe o que é mais curioso? Todo mundo entende e respeita.

Tira-se disto tudo que aqueles que não se esquecem que, ainda que possuidores de uma certa notoriedade em menor ou maior grau, ainda são pessoas comuns, cidadãos sujeitos a falar e ouvir, estes se dão bem

E aqueles que pensam que realmente vivem numa ilha ou castelo, aonde são bajulados e podem dizer todo tipo de idiotice que ninguém irá contestar acabam fazendo algum barraco, batendo-boca e "desiludindo-se" com a experiência.

O Twitter veio pra mostrar pra este pessoal do "mundo de Caras" que nem tudo o que reluz é ouro, e que nem todo mundo que tem fama é (ou merece ser) respeitado só por isso.

O tal castelo da revista neste caso revelou-se um castelo de cartas, e desabou bem em cima deles.

13 Comentários:

Miguel Dias postou 29 de agosto de 2009 07:43

Ótimo texto como sempre! Se eu não me engano a Xuxa voltou pro twitter com outra conta, mas não me preocupo com ela o suiciente para procurar. :]

Daniela Pedrinha postou 29 de agosto de 2009 07:50

Um dos melhores posts que eu li sobre o ataque de pelancas da Xuxa e sobre como usar o Twitter.

Parabéns!

karine postou 29 de agosto de 2009 07:54

Adorei, essas supostas estrelas pensam que tudo que dizem é uma lei, que estão em um pedestal inatingível, mas lá no twitter percebem uma outra realidade.

Letícia postou 29 de agosto de 2009 07:56

Adorei! Segundo post que leio e acho incrível, um senso de crítica admirável!

@gabrielcs postou 29 de agosto de 2009 08:03

Ótimo texto! Não sei nem o que dizer... tem muita coisa que eu já tive vontade dizer nesse post.
E vamos torcer pra que o Twitter não acabe sufocado por essas "seninhas" de pseudo-celebridades.

Parabéns!

Virgínia Allan postou 29 de agosto de 2009 08:14

É verdade, Marcos, tudo o que escreveste e esse povo pseudo-"artista", é mesmo um "pé no saco" (ops). Apesar de tudo, ainda gosto de televisão, de um modo geral (mesmo sendo mal aproveitada) e acompanho uma ou outra novela, embora o nivel literário de um roteiro hoje em dia, esteja bastante empobrecido, assim como as tramas, óbvias e inverosimeis... quanto ao resto, não bajulo gente que não fala ou pensa direito e tem "o rei na barriga" e pouco, ou quase nada, sei de suas vidas, mas é sempre bom saber que alguém, vez por outra, lhes fala alguma verdade.

Maiara Marafon postou 29 de agosto de 2009 08:21

Uau! Ótimo texo. sem mais...
Parabéns! :)

Infinito postou 29 de agosto de 2009 09:11

Você só errou ao tentar dividir as celebridades importantes e as não-importantes. Prejulga ator em novela como ator sem talento, ou critica o gosto de um ou outro nicho social.

O Danilo Gentili do CQC teve umas duas ou três dessas em que faltou a Finesse de seu humor stand-up, mas só um foi divulgado por envolver questões raciais. Ele prefiriu fingir que nada aconteceu, e voltou a fazer seu trabalho. Seria a atitude correta.

A "defesa" da xuxa só piorou o bafafá. Até @ocriador falou que essa gente não merece falar com ele nem com seu anjo. O kibeloco em 72 horas já tinha toda uma linha de piadas prontas a partir da inacreditável reação da Menegel.

Então, aqueles com senso de ridículo vão rir do episódio, e muito provavelmente não ouviremos falar mais da Xuxa no Twitter. Como já não ouço falar na TV aberta.

silvia masc postou 29 de agosto de 2009 09:26

Òtimo texto, é por isso que eu te sigo... :-)

Maite postou 29 de agosto de 2009 09:30

Objetivo, sincero e magnífico...
Adoro seu texto dá vontade de sempre ler mais e mais e ainda diz tudo que todos tem vontade de dizer...
Seu texto dá vontade de sentar numa mesa de bar e ficar por horas discutindo sobre...
Mto bom!!!
Bjos
;)

priscila postou 29 de agosto de 2009 14:00

Leio todos seus posts, acho muito interessante o seu modo de escrever, mas esse foi o primeiro dos seus textos com o qual concordo plenamente.
Parabéns pelas ótimas colocações!

Leo de Moraes postou 29 de agosto de 2009 17:44

Parabéns por escrever e sintetizar o sentimento de muitos.

Abs.,
Leo de Moraes
@direitodopovo

Cá Ponte postou 30 de agosto de 2009 21:36

excelente!
falou tudp...
bijo

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo