E assim foi meu Carnaval

Postado em 18 de fev de 2010 / Por Marcus Vinicius

Quem me lê diariamente sabe que não sou muito chegado a fazer ego-post. Este é um blog opinativo e não um diário de adolescente extemporâneo contando seu dia a dia. Mas tem horas que não dá pra fugir e esta é uma delas.

Resolvi fugir do burburinho no Carnaval e, como noticiei aqui para meus milhões de leitores, viajei pra pacata e bucólica Penedo e por isso quis contar aqui preguiçosamente como foi o meu feriado, já que meu ritmo ainda se encontra nos 50%.

Pra começar Penedo não é nem uma cidade e sim um bairro de Itatiaia, com jeitão de cidadezinha. Sua colonização finlandesa dá um charme todo especial, com fábricas de chocolate espalhadas por todos os cantos por onde olhemos.

A arquitetura é simples e agradável e as ruas apertadas aumentam a sensação de multidão que a invasão dos refugiados do Carnaval promove nesses dias.

A "Pequena Finlândia" (foto aqui) é muito bonitinha e não tem criança que não enlouqueça com suas lojas de brinquedos, doces e uma "Casa do Papai Noel" que é aberta diariamente para visitação.

Tudo bem, sei que não existe nada mais anti-carnavalesco do que Papai Noel ou a Finlândia em si, mas quem viaja pra Penedo quer exatamente isso: não ouvir nem um "bum", quanto mais "bumbumbaticumbumbrugurundum".

E não ouve mesmo. A primeira curiosidade que percebi foi um baile infantil onde colocaram uma cama elástica para as crianças brincarem, um coretinho enfeitado, confetes e...nenhuma música!

Hahaha nunca vi isso antes!

Outra coisa que também nunca tinha visto foi uma placa em uma loja deste shopping que realizou o baile silencioso, que dizia para os pais "soltarem as mãos dos seus filhos e deixarem que mexessem em tudo, pois eles se responsabilizariam", juro que li isso. Duvidei tanto que até tirei esta foto pra depois não achar que era alguma alucinação causada pela quantidade abissal de chocolates que eu havia ingerido.

Mas nem só de chocolates, trutas e ócio foi meu Carnaval. No Domingo resolvemos pegar uma excursão e ir até Visconde de Mauá, e de lá para Maringá (divisa do Rio com Minas) e Maromba.

Cada cachoeira linda, um escorrega natural de uns 6 metros e lugares que parecem que pararam no tempo, com destaque para uma espécie de comunidade hippie que existe em Maromba, que equivale a uma máquina do tempo direto para Woodstock ou algo semelhante.

É impagável a sensação de mergulhar num lago gelado, com a floresta te rodeando e aquele cheiro de terra, de natureza te acalmando. Uma delícia que eu quero poder vivenciar sempre.

O destaque curioso foi para uma família que viajou conosco para lá. Começaram perguntando se poderiam levar um cachorro(???) no passeio e terminaram sem entrar em nenhuma cachoeira sequer, e ainda arrumando a maior confusão com as outras pessoas porque ao invés de visitar uma das quedas d'água que estavam no roteiro, queriam ir para um "restaurante" comer.

Com certeza ficaram muito decepcionados por não existir nenhum McDonald's em Maromba.

Isso me chama atenção para o assunto que conclui esse ego-post de hoje, que é o fato de algumas pessoas poderem viajar para qualquer lugar do mundo, desde a Austrália até a Itália, passando pela India, Russia e Vietnã, que ainda assim não irão querer abandonar seus hábitos por poucos dias para desfrutar das peculiaridades do lugar.

Ao invés de comidas típicas, passeios exóticos e conhecer lugares inusitados, vão passar a viagem na piscina de algum hotel, procurando restaurantes de comida brasileira ou redes mundiais de fastfood, enchendo a mala de souvenirs inúteis e reclamando das mudanças de rotina que os passeios os obrigarão a fazer.

Esses poderiam comprar só um DVD com imagens de qualquer lugar, comprar alguns produtos pela internet e "viajar" do jeito que gostam: sem nem sair de casa, comendo o seu "feijãozinho temperado".

Eu não. Adoro absorver tudo o que o lugar pode oferecer e a minha pele queimada de sol, os sabores que desfrutei e minhas baterias totalmente recarregadas servem para me mostrar que eu trouxe de Penedo tudo aquilo que desejava quando fui pra lá: experiências que jamais esquecerei.

Espero que o Carnaval de vocês tenha sido bom, afinal, já estava com saudades. Também é gostoso estar de volta.

13 Comentários:

nomeiodocaos postou 18 de fevereiro de 2010 06:22

um charme o seu carnaval!

josi postou 18 de fevereiro de 2010 06:31

louquíssima a placa das crianças. fiquei com vontade de levar minhas meninas lá! :D

adoro viajar, não importa pra onde. só me dói fazer as malas. com crianças, é tralha que não acaba mais. hahahaha!

bjo na ponta do nariz.

Isabel postou 18 de fevereiro de 2010 06:42

Vontade voltar pra lá!!!Há tempos que não mergulhava numa cachoeira! E o melhor: nada de carnaval, rsss. Só a Laura que sentiu falta de um sonzinho naquele baile silencioso, hahahaha! Mas nada que umas serpentinas não resolvessem.
Beijos

Ana Luh postou 18 de fevereiro de 2010 06:55

É isso, exatamente isso que eu tento fazer todo carnaval, confesso q as vezes acabo me rendendo ao "bumbumbaticumbumbrugurundum"... mas nada como dar um chute na "rotina" e quando resolver ir atás dela de novo vc perceber que conseguiu se deixar contaminar pelas peculiaridades do "diferente"...
Afinal... qual a graça de "conhecer" lugares sem "esperimentá-los"...?

;D

Mulherzinhas postou 18 de fevereiro de 2010 07:53

Concordo contigo. É muito bom aproveitar os lugares com suas peculiaridades...Fiquei com vontade d conhecer essas cachoeiras, amooooo água.

Curti muito o meu tbm hehehe Só para constar.

engdanni postou 18 de fevereiro de 2010 08:02

No Brasil existe lugar para todos os gostos, mas festa sem som nunca vi hehe... quanto a loja onde as crianças podem mexer em tudo juro que chega a ser um ponto turístico, moro em Curitiba e andar com criança por aqui as vezes parece um crime. Minha filha é extremamente educada, e todos elogiam por isso, mas sinto que sinceramente adoraria vê-la aprontar coisas de criança, é ótimo pegar coisas na mão antes de comprar, imagine em lojas coloridas cheias de coisas diferentes.
Amei a foto e o lugar, se um dia eu puder vou para Penedo, comer chocolate e mexer muito nas coisinhas d lojinha exótica.

mvsmotta postou 18 de fevereiro de 2010 08:07

Ah sim!

O nome da loja é Astral Exotheryca, que fica no Shopping Esquilo.

O Antônio, proprietário da loja recebe todo mundo com uma simpatia inesquecível.

Sem contar essa peculiaridade das crianças poderem mexer em tudo.

Abraços!

@carolnorio postou 18 de fevereiro de 2010 08:57

Passeio muito interessante. Nem tinha idéia que Penedo era assim.
Ótima dica. Meu carnaval foi totalmente o oposto, mas curto também paz e sossego.

Ellen postou 18 de fevereiro de 2010 09:57

Como é bom poder fugir de toda essa agitação e de todo esse "bumbumbaticumbumbrugurundum".

Quando viajamos, desejamos ir fundo, mergulhar de cabeça e aproveitar de tudo o que nos cerca.
Infelizmente ainda existem pessoas que preferem seu "feijãozinho temperado" à descoberta, ao ver o que o mundo pode nos oferecer fora dessa 'bolha' em que vivemos diariamente.

Adorei todos os detalhes sobre sua viagem e com certeza me serviu de recomendação!

Abraços

Mile Reis postou 18 de fevereiro de 2010 10:29

Oie Motta, adorei: "Adoro absorver tudo o que o lugar pode oferecer(...)experiências que jamais esquecerei". Nessas férias tive esta mesma sensação de não querer que essas imagens perfeitas saíssem da minha mente.Achei incrível o "causo" da família sem-noção,kkk...Esbarrei com gente assim nesta viagem q fiz..Gente querendo comer arroz e feijão. Detalhe: estávamos no meio do Oceano Índico!!Vai entender...

Anônimo postou 18 de fevereiro de 2010 11:30

nossa, senti muita saudade daqueles lugares...já passei 14 dias por lá há muitos anos e tb foi num carnaval.
chocolates, leite fresco, queijos, geléias caseiras,chalés,cachoeiras, cavalos...etc...
um perfeito paraíso para todas idades.
sorte sua morar tão perto.

Solange postou 18 de fevereiro de 2010 11:51

A loja deve ser demais mesmo,e talvez o dono veja nas crianças menos terror que os pais...
E as pessoas deveriam aprender a ter prazer numa viagem,em vez de tentar manter regras,manias,horários.Relaxar,curtir e fotografar muito.

Tatiana postou 18 de fevereiro de 2010 17:28

Oi! Você descreveu sua viagem e eu fiquei imaginando a cachoeira,a mata..., lugar sem barulho...que lugar maravilhoso! Meu carnaval também foi tranquilo, porque não procurei bagunça e nem deixei que ela me encontrasse...
Que bom que voltou!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo