Tatuagem: arte na pele

Postado em 15 de set de 2009 / Por Marcus Vinicius

Sábado fui no meu personal tattoo artist, pra decidir mais uma sessão de rabiscos na minha pele. Sim, este direitaço reaça possui sete tatuagens pelo corpo e adora a dorzinha da agulha.

Mentira, adoro nada. Gosto mesmo dos desenhos que ficam depois, aquela dor é um horror com o perdão da rima óbvia.

Sempre que vou a um estúdio de tatuagem, seja pra decorar a minha pele ou para acompanhar alguém que vai decorar a sua, lembro e relembro a primeira tatuagem que eu fiz e todas as dúvidas que eu tinha na hora, tanto que me deu vontade de falar sobre isso aqui, só que sem fazer um "10 mimimis que você não deve fazer no memêmê", prefiro conversar do que listar (mesmo que faça listas às vezes).

Então, a primeira coisa que você deve fazer ao decidir passar para o lado negro da força e virar um tatuado é se você quer mesmo isso. É meio sacal quem chega ao estúdio e começa a fazer perguntas tão inteligentes quanto "não sai mesmo?", "e se eu não gostar depois, o que faço?", "dói?", "sangra?".

Por educação e pelas boas regras do comércio e da educação o tatuador jamais vai te dizer "Se lavar com sabão de coco talvez saia" ou "Se você não gostar terá a opção de gastar 10 vezes mais numa clínica de laser e nem assim sairá tudo" ou ainda "se você não gostar, pode tentar o suicídio".

Sobre dor e sangramento sou eu que te pergunto: o que você acha que uma agulha entrando milhares de vezes por segundo na sua pele para despejar tinta nela fará? Dor, sangramento ou cosquinhas?

Tenho uma amiga tatuadora que mandou fazer uma blusa escrita assim: "dói, sangra e não sai". Acredite na camiseta dela, é tudo verdade.

Ultrapassada a dúvida quanto a inexorabilidade da sua decisão, vem outro ponto crucial: qual desenho faço?

Se você não tem idéia do que quer pintar para sempre na sua pele, creia em mim: o tatuador muito menos. Ele pode te ajudar a escolher a pose da Hello Kitty que você deseja fazer na testa, pode até te dar uma idéia de que na testa não vai ficar muito bom ou que uma Hello Kitty num homem de 40 anos fica meio bicha, mas se você não tiver idéia alguma, primeiro arrume uma para depois aparecer por lá.

Já ouvi histórias bizarras, como a patricinha que leva a amiga junto, pede pra moça abaixar as calças e mostra uma rosa na bunda da amiga dizendo "tá vendo?quero uma igual a dela!".

Ou então um sujeito aparecer e falar pro tatuador "quero fazer uma tatuagem no braço". E ao ser perguntado sobre qual desenho, qual estilo, etc, etc, responde "não sei, o que tem saído mais?". Fail total, concorda?

Outra coisa importante é pensar que se você está apaixonada pelo "Paulo" e pretende comemorar seu aniversário de 2 meses de namoro tatuando o nome dele no púbis, lembre-se que você pode estar apaixonada pelo "Alfredo" mês que vem e ficará estranho, aos 60 anos, você parecer uma lista de convidados de sauna gay, com tanto nome de homem escrito pelo corpo.

Caveiras, demônios e o rosto de um dos integrantes do Jonas Brothers também tendem a ficar sem graça quando passa a adolescência.

E muito, muito cuidado com o tamanho. Um sujeito com uma braçola de 50cm, estilo remador de porta-aviões, fazer uma estrelinha igual a do pulso da Gisele Bundchen fica esquisiiiiiito demais.

Resolvido o desenho, outra dúvida, em qual estúdio fazer?

Bons tatuadores geralmente cobram caro e valem cada centavo do que cobram. Mas não se iluda: nem sempre fama e preço tem a ver com qualidade. Tem muito famoso que cobra 500 reais pra desenhar um símbolo do infinito e que tatua "uzartista da moda" que é simplesmente horroroso. Conheça o trabalho do cara para o qual você vai entregar a sua pele antes de partir pra ação.

Se você gostar do que ele já fez nos outros, provavelmente não se arrependerá do que fará em você. Não conheço tatuador bom que não tenha farto material fotográfico com seus trabalhos anteriores. É o melhor cartão de visitas para ele e, como todo artista, ele também adora as pessoas pagando pau e dizendo "como está maneiro o desenho".

Quando o sujeito é ruim, ele tem duas alternativas: coloca as fotos de lua e estrela que fez na última ex-BBB da moda ou então não mostra nada, afinal, ninguém vai querer se tatuar com um cara que mostra a foto de uma carpa que mais parece uma baleia caolha nas costas da pessoa.

Procure um estúdio, limpo, organizado, profissional, de preferência com alvará e que não funcione junto com uma oficina mecânica de motocicletas. A chance de se deparar com um tatueiro que fará isso em você ali é bem menor.

Tem um site que mostra bem o potencial destrutivo de um tatueiro de calçada, esteja ele na calçada da rua mesmo ou disfarçado de tatuador dentro de um estúdio, vale a pena visitar: http://www.badtattoos.com/

Se o cara da Kombi cobra R$50,00 por uma tatuagem que custa R$250,00 num estúdio, algo está errado, não? Não acredite na balela de "não pago imposto, meu custo é menor". Imagina uma arte que necessita precisão sendo executada na calçada, com pessoas olhando de fora, balançando a Kombi, o sujeito bebendo uma cervejinha, "trocando idéia com azmina". Não pode dar certo.

Se você pretende fazer fotos de pessoas então mais cuidado ainda com quem escolhe, porque o resultado pode ficar tão "bom" quanto este. Acredite, não tem abstração ou boa vontade que te façam conviver bem com uma tatuagem ruim.

Não conheço uma pessoa que se arrependa de uma tatuagem feita por um bom profissional, que represente um desenho que tenha a ver com ela e que seja bem executada.

Essas histórias terríveis de gente que "se arrependeu e precisou conviver o resto da vida com aquilo" só acontecem em 3 casos: dor-de-corno em quem escreveu o nome do(a) amado(a), imagens escrotas que deixaram de ter a ver com você e sua vida, tatuagem mal feita.

No mais, eu digo pra você que me lê o mesmo que falo pra todo mundo que me pergunta o que eu acho sobre se tatuar: faça.

Não tem essa história de "ahhh, mas e quando eu ficar velho?". Quando você ficar velho você terá rugas, pelancas, artrite, uma aposentadoria vergonhosa, pode crer que um desenho na sua pele será a menor das suas preocupações.

E atualmente já tem tanta gente tatuada por aí, em diversos cargos dos mais aos menos importantes, que não ter tatuagem é que vai acabar virando "rebeldia e atitude".

Tanto que é passar atestado de Neandertal propalar frases como "Isso é coisa de marginal", "Mulher tatuada é tudo p*ta!". A menos que pensemos que Robert De Niro, Anna Kournikova, Sandra Bullock, Winston Churchill, Thomas Edson, Franklin Roosevelt e nada menos do que 8 reis europeus também o sejam.

Se você tem vontade, vai lá e faz.

Escolha bem o desenho e o profissional que irá executá-lo e manda ver, te garanto que você não vai se arrepender. Só não pense que vai parar na primeira. Todo tatuado que eu conheço está sempre prestes a fazer a "próxima e última" tattoo.

Vicia mais do que Coca-Cola.

13 Comentários:

Guiga em SP postou 15 de setembro de 2009 07:33

Cara,

o texto é sensacional. Eu sou muito pichado (costas, braços, perna, palma da mão) e já cansei de responder às perguntas que você descreveu no texto. Agora, ao invés de responder, vou passar esse link :)

Parabéns!

Putzgrila postou 15 de setembro de 2009 08:21

Apesar de ser uma humana 'tatoofree' (ainda, por enquanto ou sei lá) achei o texto interessante por tratar sem frescura as dúvidas que nós 'tatoofrees' ainda insistimos idiotamente em ter qdo pensamos no assunto.
Vou guardar o link pra futuras emergências.
PS. Adorei a frase da camiseta!

Putzgrila postou 15 de setembro de 2009 08:22

Apesar de ser uma humana 'tatoofree' (ainda, por enquanto ou sei lá) achei o texto interessante por tratar sem frescura as dúvidas que nós 'tatoofrees' ainda insistimos idiotamente em ter qdo pensamos no assunto.
Vou guardar o link pra futuras emergências.
PS. Adorei a frase da camiseta!

Thais de Oliveira postou 15 de setembro de 2009 08:26

Concordo com tudo.... tudinho...
Mas as caveiras ainda fazem minha cabeça....mesmo depois da adolescência....meu tatuador tb é maluco com caveira....rs
Quando vou no estúdio ele pergunta onde será a próxima?? Ou vai fazer agora só tatoo de menininha!!!???
E realmente vicia muito mais que coca-cola!!!
Uma vez me perguntaram: Isso sai com o tempo?
E eu respondi: Sai sim.....depois que morre leva uns 6 meses para começar a se desintegrar........

Abraço
OBS: Essa conversa deu vontade de fazer mais uma!! rs

Viviane de Campos postou 15 de setembro de 2009 08:57

concordo tb com tudo o q vc disse
adoro tattoo... tenho um monte....
penso no desenho, falo com meu tatuador lindo e preferido...(ah!!!.. ele é um fofo) e lá vamos nós pra mais uma...
tenho o nome da minha mãe e do meu filho no braço e ombro esquerdo....
tenho estrela, caveira estilizada, tribal e outras cositas mas....
tento fazer de 2 a 3 por ano... para não exagerar.
todo mundo q pergunta pra mim, eu tb digo pra fazer, até a dor é gostosinha... é prazerosa...

Suliée Pepper postou 15 de setembro de 2009 09:42

Muito legal...depois me diz qual foi sua nova tattoo...bjs

Calu postou 15 de setembro de 2009 10:35

Impressionada mesmo com a qualidade de seu texto! Excelente! Parabéns!
Aguardo fotos de suas tatoos!
Calufag

Anônimo postou 15 de setembro de 2009 10:51

Adorei o texto! Tenho 2 e pretendo fazer mais uma tattoo, mas ainda não decidi o local do corpo e nem o desenho direito, isso precisa muita calma, né..
Põe aí as fotos das suas tattoos!
Bjos

Paulinha postou 15 de setembro de 2009 11:00

Sensacional o texto. Eu tenho 3 e vou fazer duas de uma vez semana que vem. O meu critério para a escolha são desenhos que eu crio de pessoas ou momentos eternos da minha vida.
Sou apaixonada por cada uma delas, e como você disse, eu não troco meu tatto artist por nenhum outro. Seus traços são impecáveis e ele consegue entender minha loucura e colocar em desenhos maravilhosos.
Beijos e boa semana

Márcia Chaves postou 15 de setembro de 2009 17:58

Vc se esqueceu da mais nova desculpa: http://bit.ly/oJInZ rsrsrs

Tatoo, minha maior paixão. Tenho várias e a maioria delas em locais que não consigo ver sem a ajuda de um espelho. Adoro o segredo de ter uma tatoo que não está sempre a vista e que é uma surpresa para quem não me conhece bem.
E para encerrar, um 'causo' curtinho: quando entrei pela primeira vez no studio do meu tatuador, ele estava de camiseta cavada, bermudas e tinha o corpo completamente fechado. Fiquei impressionada com o estilo badboy e me sentei meio sem graça. Ele se preparou todo e na hora H, p/ se concentrar, começou a ouvir ... Vitor e Leo!!! Quase morri de ri do falso metaleiro. Qdo me disse ser um ex-evangélico (expulso por causa da paixão por tatoos), achei que eu fosse ter um AVC. Mas o cara arrasou, me conquistou e hoje viajo quase 400km qdo quero retocar ou decorar o 'corpitcho'.
Abs

Minina Lee postou 18 de setembro de 2009 07:30

Ótimo texto, boa opinião, impecável, já tou me coçando aqui pra fazer outra rs bj

naosenhor postou 23 de setembro de 2009 12:02

Sempre tive vontade, mas meu pai sempre deixou claro que é absurdamente contra. Acho que já está amadurecendo a ideia na cabeça dele, em breve entro pro clube...

gatinha.pj postou 8 de novembro de 2009 15:42

ameeeeei o texto!
tenho muta vontade de fazer muitas tatuagens mas ainda sou de menor e minha familia é contra.
em setembro do ano que vem finalmente faço 18 anos e ai vou mandar ver!
PARABENS!!!!!!!!!!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo