Me follow que eu te follow?

Postado em 10 de set de 2009 / Por Marcus Vinicius

Sempre que alguém tenta explicar para um leigo o que é o Twitter ou sempre que usuários da rede social estão falando sobre ela, surge esta palavrinha mágica: followers.

O número de followers é mais ou menos como a bunda das modelos: pode ser lindo, mas todo mundo sempre quer mais.

Existem diversos métodos para aumentá-lo. O cara pode usar script para receber vários followbacks, pode adicionar usuários fantasmas como fez o Mano Menezes, ou pode passar uns 2 anos escrevendo sobre o acasalamento das placas de vídeo e esperar que a "relevância" venha a nado. Tanto faz.

Alguns destes são bons se usados direito, como os scripts, outros são estúpidos porque fantasmas não viralizam nem ectoplasma na rede, e finalmente aquele é pregado pela "meritocracia", excelente termo usado pelo Gravz para definir os que utilizam técnicas de SEO para inflar seus blogs com pára-quedistas mas condenam quem usa script no Twitter, é lento demais.

A "luta por followers" já assistiu até a uma celebridade como o Luciano Huck distribuir presentes em troca de mais seguidores. Patético, é verdade, mas o que não é patético nessas celebridades do "Mundo de Caras"?

Poucas coisas conseguem me causar mais a tal vergonha alheia do que esse pessoal. Poucas.

Quer saber de uma dessas coisas? O mendigo de follower.

Desde a fatal orkutização, o mendigo de follow é um personagem perene no Twitter. Por onde quer que se olhe, lá está ele.

"Só faltam mais 13 pra eu atingir 240 followers, me ajudem!" ; "Me segue que eu te sigo?" , "Queridos followers, respondam: devo ou não parar de seguir quem não me segue?"; "Poxa gente, me dá uma forcinha, só faltam 147 followers para eu chegar aos 150!".

Outro dia fui olhar a timeline de um indivíduo destes e de cada 10 twittadas suas, 11 falavam sobre o assunto "follower" ou "me seguir". É uma malice de doer. É uma declaração pública com firma reconhecida dizendo "sou um chato de galochas".

Imagino um cara desses chegando numa menina na noite. Deve ser algo mais ou menos assim: "fica comigo?fica comigo?fica comigo?fica comigo?fica comigo?", "Não? Pô, fica comigo que eu fico contigo!". :D

Preciso dizer mais?

Você pode ter 100 ou 10.000 followers no Twitter, o que vai te tornar interessante ou não para eles e para quem ainda não te segue é o conteúdo do que você escreve ali. Seguir alguém assim, como o carinha do "fica comigo que eu fico contigo" é algo como ir no Mc Donalds, comprar um cheeseburger e pagar a conta devolvendo um outro cheeseburger para a atendente.

Não existe intercâmbio de interesses, não existe aquela coisa do "eu te ofereço o que você quer e você me paga com o que eu quero".

Seguir e ser seguido é isso: você é interessante e em troca as pessoas se interessam pelo que você diz. A diferença pode parecer tênue, mas na prática nem é tanto.

Experimente fazer isso, experimente falar de algo a mais do que "seguir, seguir, seguir" e veja o resultado.

Se não quiser, tudo bem, direito seu.

Mas como bom mendigo que é, me envie seu endereço que eu te mando uma moedinha de 5 centavos pelo correio. Vale menos do que o frete que vão me cobrar, mas com certeza vale mais do que o você tem a dizer.

11 Comentários:

Anônimo postou 10 de setembro de 2009 10:10

Puts, mandou muito bem @mvsmotta. To de saco cheio de ler tantos posts desse ai, ou outros indicando algúem sem ao menos dizer porque devo seguir!!
Faço de suas as minhas palavras!

Merecido RT.
Abçs
@SamuelVigiano

JaqueHarumi postou 10 de setembro de 2009 10:26

Não sou muito seguidora das diversas possibilidades que o Twitter oferece, mas com certeza esta seria uma pessoa que eu e todo mundo não gostaríamos de seguir.
Post digno de RT! ;]

Amanda Mattos postou 10 de setembro de 2009 10:39

Perfeito, você falou tudo!!

É muito irritante gente que fica implorando, sem falar que é ridículo, normalmente quando aparece um assim eu paro logo de seguir, me falta paciência para tal, aff.

Mais um sintoma de orkutilização do twitter, onde isso vai para? #medo


RT!!

uhugalera postou 10 de setembro de 2009 10:42

Oi MVSMotta,

Só pra comprovar a vericidade de suas palavras...

Cheguei a seu blog, e a este post, off course!, por causa de um tweet do @compulsivo, que não é de twitar o que não presta. E já estou a caminho de seguí-lo.

Precisa dizer mais algo?

[]'s @inaciorolim

luull postou 10 de setembro de 2009 12:48

RT merecido!

Daniela Pedrinha postou 10 de setembro de 2009 12:57

Odeio mendigos de followers.. viram e mexe me deparo com uns.

Lendo seu post Marcus me ocorreu o seguinte: a maioria das pessoas "consomem sem pensar", querem ter o que todo mundo tem, mesmo que não precisem ou saibam usar. Isso acontece com o Twitter tb, um bando de gente entrando no Twitter sem saber o que é e de que maneira pode ser utilizado.

Aí entram nessa de mendigar atenção e ostentar um número de seguidores (igual fazem no orkut)como se isso fosse sinônimo de que vc tem conteúdo, é inteligente ou popular.

Não que só os inteligentes possam usar tais ferramentas, mas importunar os outros com bobagens, diário de sua rotina nada interessante ou qualquer coisa só para encher linguíca e dizer que vc Twitta para caramba.. não dá!

Qual é a vantagem de chegar a mil posts, ter mais de 100 mil seguidores. O dia que isso começar a me dar lucro financeiramente falando, posso entrar nessa onda desesperada por followers e posts sem nada a dizer.. hehe!

Cesar Leão postou 10 de setembro de 2009 13:01

Cara, concordo com isso!!!
Esse povo só lota espaço, tem gente que precisa se auto-afirmar atarvés do número de followers, e não pelo conteúdo que oferecem!!!
Eu não sigo ninguém dessa turma, seria só para poluir a timeline!!!
Merece cada RT!!!

naosenhor postou 10 de setembro de 2009 15:14

Mais um post de perfeita análise, como o anterior...

Álvaro Dyogo postou 10 de setembro de 2009 17:31

hehehehe
os buscadores de popularidade virtual te irritam de verdade né?
tá, eles irritam todo mundo, acho...
abraço!

daniela70 postou 11 de setembro de 2009 07:07

Já eu não faço a menor questão de muitos followers. Prefiro ter 5 que me lêem, se importam com o que eu escrevo, do que 100 que só estão lá pra constar. Na minha Bio, acrescentei um "No courtesy follow, please", porque acho isso uma tremenda babaquice.
Acabei tendo uns 100 followers e sei que nem metade dessa se importa comigo. A outra metade só "retribuiu", mas não me lê. Que graça tem isso??? Já cheguei a twitar que não precisava me seguir, mas ELES NÃO ME LÊEM, hahahahaha...

ALLAN LUIS PEREIRA postou 11 de setembro de 2009 09:34

Concordo plenamente. O que faria com 10 mil seguidores? Não pagariam o dízimo, então está descartada a hipótese de abrir uma igreja. Não conseguiria interagir com eles nem se ficasse semanas on line sem dormir. Seguir "celebridades" é o mesmo que seguir uma parede, boa parte delas não tem o dom da interação, por que não lhes foi orientado pelos seus assessores. Isso aí, antes ter meus poucos com qualidade editorial e formação de opiniçao. Abraços

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo