O Egoblog

Postado em 9 de set de 2009 / Por Marcus Vinicius

Andei passeando pelos blogs brasileiros considerados mais famosos e (argh) "relevantes" por eles mesmos.

Sim, o início da distorção é este: são eles próprios que decidem seu peso na blogosfera.

Número de acessos também conta, é claro, mas nunca vi nenhum membro da elitosfera dizer que a Bruna Susfistinha é relevante, apesar de milhares de acessos, livros e o escambau, o que leva a crer que visibilidade, visitação e "fama" não contam muito.

O que conta então? Achismo.

Podem chamar de "choro", tanto faz, não me importa o que digam, mas é um método de avaliação mais ou menos fácil e cômodo. Você aplica a prova, responde às questões e corrige, no final dando um "10" pra você mesmo.

Digamos que um blog "ifluente" da tal bostosfe, quer dizer, blogosfera tenha 10 mil acessos diários e uns mil comentários em cada post. Veja que exagerei, porque alguns que se consideram o último biscoito Bono do pacote não tem nem 10%,20% disto que chutei.

Mas tudo bem, digamos que tenham e coloquemos isto frente ao número de internautas do Brasil e ao tráfego diário da rede: não é nada. É um gueto e só.

Mas como são eles mesmos, junto a algumas empresas que querem passar uma imagem descolada que formam este "mercado", a coisa é extremamente interessante: eles se definem como relevantes e dividem assim o bolo do que vier como "lucro".

Mas não quero fazer aqui muro das lamentações sobre isto, não preciso que ninguém me dê brindes ou mimos, graças a Deus meu trabalho me proporciona o direito de compra-los quando desejo, este não é o ponto.

O que me deixou pasmo é alguns destes blogs não terem em seu conteúdo, o tal conteúdo "relevante" e de "qualidade" que eles tanto apregoam, muito assunto diferente.

Quando não estão fornecendo receitas sobre "como fazer um blog de sucesso", estão listando "10 coisas que se deve fazer para ser relevante" ou contando "o que fiz para ser um blogueiro famoso, influente e ganhar algum dinheiro com isso".

Tem também os posts contando sobre as últimas impressões de algum brinde ou boca-livre que ganharam graças ao fato de andar sobre o tapete vermelho da blogosfera, o que pensam dos outros blogs, o que pensam sobre o que as pessoas pensam deles mesmos, o que pensam sobre o que pensavam quando escreveram um post em 2003(pra mostrar antiguidade) e, claro, mais alguns posts ensinando "como seguir o caminho dos vencedores no...mundo dos blogs!".

Resumindo: eu, eu, eu.

O conteúdo é pobre, talvez por isto não rompam demais a barreira dos sites sobre tecnologia, revistas especializadas e tudo mais que for relacionado ao restrito público de quem se interessa pela blogosfera.

"Mas eu apareci no Estadão!", "E eu fui convidado a palestrar sobre como monetizar o Twitter no BoondoggleCamp 2009!".

Peanuts. Isso não é nada. Representa muito pouco até mesmo para o já restrito público internauta brasileiro.

Podem até falar que é bem mais do que eu já consegui, mas ainda assim é bem pouco e lembro que eu não me dedico a esta função, isso pra mim é catarse, diversão, faço pelos elogios e não por dinheiro ou "influência", logo, pouco importa.

Mas é extremamente desagradável ver gente que tem como principal assunto o "eu", ficar por aí ditando regras sobre o que é válido ou não.

Podem dizer que é direito deles fazer isso, concordo, mas é direito e dever de qualquer um que abomine a mistificação jogar uma luz sobre isso e não aceitar o engodo.

As pessoas tem todo direito de passar a vida falando num blog sobre "como eram verdes os anos da minha infância" ou "foi assim que me tornei xerife do Blogger e delegado no WordPress ", mas não tem nenhum direito de criticar alguém por falta de conteúdo, quando o que produzem é, a rigor, um verdadeiro passeio pelas suas próprias entranhas.

São conceitos relativos, é verdade, mas até mesmo por isso não considero nada do que essa gente diga como lei.

Pra mim, egoblog não é relevante. E ponto final.

5 Comentários:

Álvaro Dyogo postou 9 de setembro de 2009 07:01

concordo em gênero, número e grau! parabéns pelo desabafo, saiu um belo texto! xD

Má B. postou 9 de setembro de 2009 07:20

Concordo em termos. Pior que isso são só os RT's de famosos falando sobre ele mesmos. Cansa. Cansa tanto ego, cansa tanto narcisismo.

Maaaaaaaas...

falar que blog não é pra isso, bem, na verdade, é. O blog não é nada mais que uma forma de você tentar chegar até outras pessoas por VOCÊ. E se você consegue atingir um grande número de pessoas, isso é interessante, porque você percebe que sua palavra tá indo mais longe. E isso alimenta o ego. E é exatamente o combustível de todos os blogs.

O problema não está no narcisismo no egocentrismo mas sim nas palavras que você quer que passam pra outras pessoas. Tem gente que fala fala e não diz nada. E isso é passado pra tanta gente que no final, todos dizem nada.

[www.twitter.com/ma_b]

naosenhor postou 9 de setembro de 2009 10:52

Bravo.

Simplesmente perfeito...

Rafael Reinehr postou 10 de setembro de 2009 08:02

Onde é que eu assino?

Isabel postou 29 de dezembro de 2009 04:45

Bom, o único blog que leio é o seu, rsss, então não tenho como opinar. Mas achei muito interessante a sua colocação. Beijos!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo