Meu "quase" Solio

Postado em 14 de out de 2009 / Por Marcus Vinicius

Sou um maníaco por gadgets. Confesso que tenho esse fraco por gastar meu dinheirinho comprando jeringonças que às vezes vão me servir durante 2 ou 3 dias e depois serem abandonadas no fundo de alguma gaveta, mas fazer o que?

Algumas são mais bem sucedidas como o PSP, o iPod ou um dos 300 pendrives que já tive. Outros como um HD portátil que comprei de um arrependido por módicos 50 reais me fizeram entender porque ele me vendeu algo de 150,00 por cem a menos.

Nessa categoria dos gadgets fail quase entra o simpático, ecologicamente correto e bonito carregador solar Solio.

A idéia é genial: um estiloso conjunto de pequenos painéis solares que recarregam todos os aparelhos eletrônicos que levamos por onde vamos. Desde celular até seu reprodutor de mp3 e afins, o bichinho recarrega tudo utilizando para isso a energia do astro rei.

Ele ainda pode ser carregado na tomada comum e armazenar energia por até um ano, tudo isso contribuindo para que você reduza sua "dívida" de carbono, até o Obama apareceu com um!

Show, né? Não.

Primeiro porque não é lá muito barato, o que me levou primeiro a, contrariando minha filosofia do "barato sempre sair caro", procurar versões xing-ling dele. Desisti porque são feias e a maioria não armazena energia.

Daí fui buscar um Solio original por aí e encontrei um no Mercado Livre por 300 pratas, valor estranho já que um novo custava uns 600. Porque o cara ia me dar esse descontão todo? Hum...

Fui procurar reviews dele por aí e...encontrei. :(

Na Amazon, a esmagadora maioria dos compradores dizia que não compraria de novo e que só não se arrependeram totalmente porque achavam que o Solio era uma "boa idéia". Bem, como não sou o Grande Soldador (quem viu "Robots" vai entender) não quero comprar "idéias" e sim equipamentos que funcionem.

O Resumo de tudo que li diz que o Solio não consegue ser carregado só com a luz solar nem que fique exposto o dia inteiro a ela, que você precisa ficar "girando" o aparelhinho atrás do melhor ângulo entre a luz e os seus painéis (ou seja, tem que fazer pas deu deux com o carregador o dia todo) e que nem assim ele "pega" carga total.

A cereja no bolo foram alguns usuários dizendo que o simpático carregador "fritou" seus equipamentos já que é quase impossível por razões técnicas que algo possa carregar tudo que é gadget sem queimar nenhum, por diferenças de especificação dos circuitos ou algo assim (não sou entendido dessa parte, mas o que importa é: o Solio pode transformar seu iPod Touch num peso de papel queimado).

Unindo-se a isso a necessidade de levar consigo um "kit" com 345655 adaptadores, resolvi deixar essa aventura pra lá e esquecer a idéia de ouvir mp3 ou me divertir com o PSP de forma carbon-free.

Trata-se de uma boa idéia, mas por enquanto comprá-lo ainda é uma péssima idéia, guarde sua carteira.

1 Comentário:

naosenhor postou 14 de outubro de 2009 14:59

A maioria dos produtos ecologicamente corretos ainda é apenas uma boa idéia.

Enquanto a mentalidade eco não atingir os detentores do poder de fabricação, os investimentos não passarão do âmbito da pesquisa.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo