Arnaldo Cézar Coelho, Bono Vox e Karaokê de Stand Up

Postado em 27 de abr de 2011 / Por Marcus Vinicius

Existem péssimos humoristas. Isso, aliás, é meio que uma regra, os bons é que são a exceção. Mas muito pior do que qualquer contador de piada sem graça, são os comentaristas de piadas, que se espalham por esse mundo com a mesma profusão de pombos e flanelinhas.

São uma espécie de Arnaldo Cézar Coelho do riso. Assim como você não está muito interessado sobre o que acontece se o goleiro defender um chute a gol e cair com um cotovelo atrás da linha de fundo, ninguém vai querer saber as especificações técnicas da água oxigenada nas piadas de loiras.

Tudo bem que tem muita piada sem graça, e o maior sinal de que aquela piada que você achava infalível é na verdade um potencial causador de vergonha alheia nos outros é quando precisa explicá-la:

- O cara pergunta se é pra comer porque pavê parece "pra ver", entendeu?

Por favor, poupe-se deste constrangimento.

Mas tem quem seja mais chato até do que gente que faz aspas com os dedos ou então faz aquele sinal de trocadilho com o polegar e o indicador mexendo pra um lado e pro outro, exibindo uma cara de idiota como acompanhamento.

Falo de pessoas que conseguem estragar até momentos de genuína descontração, como se fossem um Bono Vox de mesa de botequim ou professor Pasquale do campo de pelada.

Geralmente é aquele cara que está numa mesa de restaurante, durante um almoço de final de ano, todo mundo bêbado, relaxado, alguém conta uma piada que envolva um bordel e ele resolve aproveitar a deixa pra divulgar uma ONG que combate a prostituição infantil, deixando todo mundo com cara de bunda e sorriso amarelo.


Ou então o chato que passa o tempo todo analisando a piada e discutindo minunciosamente todas as falhas de roteiro que ela possui:

- Dois russos enchendo a cara de vodka dançavam polca e...

- Russo não dança polca, quer dizer, até dança, mas polca é natural da região central da Europa, não tem porque associar com russo.

- Tudo bem, dois poloneses dançando polca...

- Não, cara, polca parece que tem a ver com Polônia, mas é da Austria.

- Tá bom, tente se fixar nos russos e na vodca.

- Mas eram russos mesmo ou soviéticos? Porque se for piada de comunista, não é russo, é soviético.

- Foda-se, deixa pra lá.

Esses geralmente reclamam de tudo. "Olha a homofobia...", "Sabia que meu avô é português e diz que lá também contam piada de brasileiro?", "Você tá rotulando, não é porque o cara é baiano que curte micareta", "Mas pera aí, porque deixaram a galinha solta numa beira de estrada?".

Um sujeito assim é um cretino e se enquadra em duas opções: ou não se acha cretino ou se orgulha de ser.

É aquele cara que tem prazer em irritar os outros, que necessita da contestação mais do que de comida e está sempre preparado para qualquer surpresa:

- Darth Vader e o Batman estavam num baile de máscaras...

- Você tá misturando os filmes.

- Cara, você é metido a entender de tudo, então me diz: porque cabrito caga redondo?

- É óbvio que qualquer um sabe que é por causa dos movimentos peristálticos do intestino dele.

- Ah, vai à merda.

4 Comentários:

Sylvia postou 27 de abril de 2011 13:20

Como sempre, seu texto está perfeito! Não sei como você consegue captar tão bem as impressões que temos quase que secretamente.

alex de souza postou 27 de abril de 2011 13:29

muito bom mesmo.kkkk acho que é isso que devem chamar de o prazer de descepcionar...

Tuka Siqueira postou 27 de abril de 2011 17:18

Putz...você conhece meu marido? É o tipo de mala que vc descreveu...

mvsmotta postou 27 de abril de 2011 17:25

Tuka,

Hahahahahahahahahahahahahahahaha

Coitado do cara...

Beijos

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo