Atletas de férias

Postado em 25 de abr de 2011 / Por Marcus Vinicius

É sempre muito bom conhecer lugares e pessoas novas. Sei, entretanto, que isso não quer dizer necessariamente que as pessoas destes lugares estejam interessadas em nos conhecer. Procuro sempre não atrapalhar muito o processo, mas sei que o mesmo não ocorre com certos turistas brasileiros, que parecem fazer questão de se fazer notar (e gerar antipatia) por onde quer que passem.

Quer encontrar um brasileiro no exterior? Siga o barulho.

Mas não é esse o assunto, ainda que a falta de educação do povo do Patropi sempre renda assunto.

Quero falar é sobre as tarefas que nos impomos quando estamos de férias.

Seja por um curto período, seja por um período mais longo, as viagens de férias se tornaram uma espécie de obrigação social do indivíduo. Quando eu era moleque, passava as férias inteiras na piscina da casa da minha avó ou em frente a um videogame e achava aquilo o máximo.

Um bolo de chuva, um passeio no shopping, uma ida na praia, um lanche no Mc Donald's, tudo isso é assunto para férias de criança.

Depois que crescemos não é mais assim.

Hoje eu preciso me deslocar, rodar pelo mundo o tanto que meu orçamento permita e, uma vez longe de casa, absorver o máximo possível do lugar para onde vou. Sei que quase todo mundo é assim, pois observo nos meus amigos esta mesma tendência ao turismo frenético.


Nossas férias são usadas para ampliarmos nossa bagagem cultural, para justificarmos nossa passagem pelo mundo. Os lugares que você visitou passam a te definir e por isso você precisa conhecer tudo, fazer tudo, saber de tudo.

Nada de descanso, nada de ficar sentado num café a tarde inteira olhando o vai-e-vem das pessoas, isso sim, é um luxo.

Imagina? Você volta de Buenos Aires e alguém te pergunta:

- Conheceu Puerto Madero?

- Sim, claro!

- E Palermo?

- Também!

- Foi ver as exposições do Malba?

- Não deu tempo, nesse dia fui tomar um sorvetinho...

E o outro com aquela cara de desaprovação como se dissesse: "que animal...".

Por isso visitamos museus, galerias, praças, monumentos, andamos por calçadões, fazemos passeios de barco, jangada, buggy, corremos de um lado para o outro em parques aquáticos, fazemos mergulhos guiados, comemos fora, compramos lembrancinhas, sem esquecer é claro de atender aos pedidos dos amigos, afinal, a melhor maneira de todo mundo que fica trabalhando estragar as férias de quem viaja é dar aquela lista de encomendas.

E entre uma coisa e outra tiramos umas duas mil fotografias, de outra maneira pra que serviriam os álbuns de redes sociais? Pega mal colocar foto da pizza de sábado ou do churrasco da sua tia no Facebook (isso é coisa de Orkut), ali só vale férias em Varadero, poses nos Alpes, fotos com aqueles dois polegares para cima em frente à Torre Eiffel ou simulando segurar a Torre de Pisa.

Só tem Donald Trump, Eike Batista e Jorginho Guinle no Facebook.

No final das contas, quando você se dá conta já está tomado por aquele mau-humor característico da volta das férias, sentado no avião quase desacordado e provavelmente mais cansado do que quando saiu.

E a maior ironia de todas é chegar no trabalho na segunda-feira seguinte e ouvir a pergunta:

- E aí? Recarregou as baterias?

8 Comentários:

Claudia postou 26 de abril de 2011 10:07

Ah... mas o cansaço de uma viagem é infinitamente mais prazeroso que o cansaço do trabalho!
Eu adoro ir pra Ilha do Superagui, lugar que se vai para fazer absolutamente nada, pois nada é a única coisa que tem pra fazer lá hahaaha (nada = ficar comendo e bebendo cerveja numa rede na beira da praia o dia inteiro)
Bom demais!

Anônimo postou 26 de abril de 2011 10:49

Na verdade a maioria não faz a viagem para si,faz para os outros.As vezes deixa de ir a Praga por ex,(lugar que adoraria ir)para ir a Paris, porque quem é "cool" viaja a Paris.Falo isso porque já fui uma pessoa assim.Agora se eu quiser ir para a Itália e for apenas a Sardegna, que se danem as pessoas que torcem o nariz porque não fui a Roma.A vida é curta, e a grana também, para desperdiçar mostrando para os outros e não guardando as coisas que realmente importam para si.

Sylvia postou 26 de abril de 2011 11:48

A maioria das pessoas vive para os outros, para mostrar o que pode comprar, os lugares que pode visitar, o que pode comer... mesmo não gostando, mas se é moda, então é obrigação.
Seremos bem mais felizes quando passarmos a nos preocupar menos com a opinião dos outros e mais com as nossas próprias.

Maisa postou 26 de abril de 2011 12:11

Ahhh acabei de chegar de Buenos Aires e conheci Puerto Madero e Palermo..mas nao fui ao Malba...hahaha Mas fui em Tigre que nunca ouvi falar antes e eh lindaaa!! De qq forma a mania de autoexposicao brazuca eh assunto para estudo britanico rsrsrs

Anônimo postou 26 de abril de 2011 14:20

Realmente essas viagens frenéticas cansam mais do que relaxam. Mas creio que o principal motivo de querermos ver tanta coisa em tão pouco tempo é justamente o pouco tempo livre que temos, já que passamos quase o ano inteiro trabalhando como cornos (pelo menos eu!). Queremos conhecer o mundo, mas se fizermos uma viagem internacional por ano, morreremos sem conhecer metado do que desejamos. Agora, às vezes, também é bom um feriadinho pra ficar à toa em casa...

Isabel

Gil postou 26 de abril de 2011 15:54

Ah! Marcus...muitas vezes eu penso que você escreve a minha verdade. Concordo totalmente com você, tornou-se obrigação e exibição.Bjsss! Gil.

MBSantiagoJr. postou 29 de abril de 2011 12:08

:: Atletas de férias me dão preguiça.

Sei apenas que eu sempre reservo uma semana inteira (dos 30 dias) para não fazer nada. Digo, tomar banho e abrir a geladeira é o máximo de esforço.

Vanessa C. postou 29 de abril de 2011 18:09

Olá, Marcus.
Interessante saber que existem outras pessoas que pensam o mesmo que eu. Como por exemplo a exibição no Facebook. É de uma futilidade tão grande o que eu leio lá que prefiro rir daquelas pessoas que na minha opinião são pobres de espírito e sentem necessidade de aparecer toda hora. Várias pessoas fazem questão de colocar aquelas frases que todos possam ter acesso e escrever: - Go to Paris! Em junho estarei em NY e você vai estar onde ? E claro, as fotos colocadas não são a pizza de sábado ou o churrasco na casa da tia, mas sim as fotos de viagens pela Europa e Disney somente. Exatamente como você escreveu " Os lugares que você visitou passam a te definir" e as pessoas fazem questão de mostrar para todos que são bem sucedidas e felizes e que a vida delas é um paraíso. E eu com isso ?
Até mais,abraços

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo