Até que seu celular te salve

Postado em 21 de ago de 2011 / Por Marcus Vinicius

Fone de ouvido é uma espécie de promoção 2 em 1: se o cretino do lado usar um, você não é obrigado a ouvir o hit parade tosqueira dele e se você estiver usando, evita que o mesmo cretino venha puxar conversa. É tanto benefício para a humanidade que pode facilmente ser comparado à penicilina.

Pena que cretino que é cretino parece ter alergia à fones de ouvido. Você entra num trem, ônibus, metrô, seja o que for, e lá está o animal ouvindo funk ou Banda Calypso no talo. Eles parecem querer compartilhar seu maravilhoso gosto musical com o mundo e educar as pessoas sobre o que é "sonzêra de verdade".

Mas o fato é que de qualquer maneira fones de ouvido nos salvam, e você nem precisa plugá-los em nada, basta colocar que já afasta 90% dos aborrecimentos diários, que geralmente chegam no formato de uma singela pergunta como "pode me dar uma mãozinha?". Usando fones você pode fazer um sinal com as mãos de que não ouve nada ou simplesmente berrar um "quê?", que já afasta o perigo.

Foi pensando nisso que lembrei de outros ítens desse kit de sobreviência na selva dos chatos, que são objetos ou atitudes que nos livram, ainda que momentaneamente, da influência deles.

Uma grande ferramenta é o celular. Seja aquele amigo mala dos tempos do colégio que está prestes a cruzar contigo numa calçada, seja o flanelinha insuportável que vem te pedir "cinquinho", o vendedor de loja de sapatos que insiste em andar atrás de você ainda que você já tenha dito umas 17 vezes que só está "dando uma olhadinha", seja o que for, basta uma ligação falsa e todo o aborrecimento vai embora.

- Pode deixar o carro solto que eu tomo conta, doutor.

(ligação falsa)

- Alô? O que? Você não vai me pagar o que deve? Vou aí agora te encher de tiro, seu filho da puta!

(Desliga a ligação falsa)

Vira pro flanelinha e diz:

- O que foi que você disse?

- Nada não doutor...


É tiro e queda. Pra você ter uma idéia do quanto ligações falsas ajudam, existe até um aplicativo do iPhone que gera um monte delas, até vindas do Darth Vader.

Se for smartphone ainda tem a vantagem de você fingir que checa e-mails ou faz algo muito importante, afastando assim o risco de puxarem assunto contigo em filas de banco ou supermercado.

Agora se você não tem um celular em mãos, não se desespere: folhear papéis também ajuda que é uma beleza. Funciona mais ou menos como se fingir de ocupado no trabalho. Você pode não estar fazendo nada, mas se andar de um lado para o outro com cara de quem acabou de descobrir que Papai Noel não existe que vão dizer no final do dia "Fulaninho sim, aquele rala o dia inteiro".

Mexa em papéis, procure coisas na carteira, abra o jornal na parte que fala do mercado financeiro, balance a cabeça negativamente (como se tivesse acabado de perder 10 milhões na bolsa) e depois olhe em volta: não sobra um mala te olhando com a perigosa intenção de vir pedir ou falar alguma coisa.

E como você não vive num filme e nem sempre tem um táxi passando na sua frente no exato momento em que precisa dele, o último objeto do kit é uma chave de automóvel. Você nem precisa ter um automóvel, compre só a chave num chaveiro e ande com ela no bolso.

Aí quando estiver passando na frente de um botequim imundo e um amigo te puxar lá pra dentro para beber cerveja, comer ovo colorido e falar do Corinthians, ou quando você estiver naquela festa chata, cheia de gente estranha e que ainda por cima anunciam um karaokê ou rodinha de violão, você finge que ouviu um barulho, tira a chave do bolso e fala com ar de desespero:

- É o alarme do meu carro, deixa eu correr lá senão roubam!

7 Comentários:

Sofia postou 21 de agosto de 2011 23:24

Simplesmente adorei...
Medidas implacáveis optimas para começar a semana em cheio :) sem chatinhos a consumir a nossa energia

Boa semana :)

Thaise-Joinville-SC postou 22 de agosto de 2011 05:32

muuito bom,boas táticas pra expulsar de vez os chatos.

@patriciabasstos postou 22 de agosto de 2011 05:43

Essa do fone realmente é imbatível hehehe

Vinícius postou 22 de agosto de 2011 08:41

Bem redigido! Só não gostei da Banda Calypso estar entre as músicas de má-qualidade; essa fase já passou!

Mas, concordo que a ausência de um fone de ouvido faz até o Roberto Carlos ficar insuportável num busu ou num trem lotado. ;)

Luiz Fernando postou 22 de agosto de 2011 09:36

As dicas são boas, mas chato que é chato, espera o exato momento em que você fala no celular ou coloca os fones de ouvido pra te encher o saco.

Gustavo Ca postou 22 de agosto de 2011 16:09

Aqui em Sorocity eu vi em alguns ônibus uns cartazes para "conscientizar" as pessoas a usar fones de ouvido, falando coisas como respeito, boa educação e tal. E num mesmo ônibus o que havia? O DJ de ônibus. Muita ingenuidade se achar que um A3 colorido vai conscientizar esses tipos.

Ravick postou 24 de agosto de 2011 13:36

Boas dicas de sobrevivência.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo