Programação do dia: chegada à Paris e almoço no Empório Brasil

Postado em 5 de ago de 2011 / Por Marcus Vinicius

Tem coisa que é muita sacanagem, tipo, finalmente (e sabe-se lá porque) você vai ser entrevistado no programa do Jô Soares (tem quem ache isso uma merda, mas sob certa forma é um parâmetro de "chegar lá" no Brasil).

Só que justo no seu dia de glória, quando você vai avisar para toda a sua família ficar a postos com gravadores na frente da TV para registrar o momento, e o dia que seus inimigos dirão coisas como "ah, se ainda fosse no David Letterman", você acessa o site do programa para ter o gostinho de ver seu nome ali e lê o seguinte:

- Hoje no Programa do Jô entrevista com Fulano de Tal ("Fulano de Tal" é você), com Krong, o mágico das galinhas e com o novo projeto do funkeiro MC Leopardo juto com o grupo de pagode Exaltalhança.

Um lineup de convidados assim vai te fazer sentir como se estivesse num circo de variedades. Se ainda chamassem, sei lá, o grupo de lutadoras no gel da Playboy, tudo bem, mas Krong? O mágico das Galinhas?! Galinhas? E um projeto de funkogode fusion?

Você já imagina seus inimigos rindo "Hehehehe, bem de acordo com aquele bosta...".

Não contei isso tudo só pra você pensar que eu tomei ácido ou qualquer coisa do tipo, é porque me chama atenção como certas coisas podem estragar momentos que eram pra ser mágicos para nós.

É aquela foto do seu casamento onde justo na hora de jogar o buquê aparece sua tia de calça saruel mostrando o cofre, é o sorriso com alface no dente, é o sorteio de um carro zero que você ganha mas que pelo regulamento do sorteio (que você aceitou sem saber) precisa passar um ano com o carro pintado de rosa e laranja e a inscrição "Ganhei no sorteio do Shopping das Calcinhas".

É o "mas" que sempre aparece para ferrar com a sua paciência. Como aqueles elogios cretinos que sempre vêm com um "mas" depois. Tipo "você está linda hoje, mas...essa maquiagem te deixa meio com cara de puta".


Muitas vezes essas situações são compulsórias, não tem jeito, você precisa sorrir (nem que seja um sorriso amarelo) e andar por aí fazendo propaganda do Shopping das Calcinhas durante um ano, mas o que dizer de quem procura isso?

Viajar, por exemplo. Você junta grana, compra dólares ou euros, tanto faz, marca a passagem, tira o passaporte, paga 300 taxas, enfrenta a fila do check-in, frango borrachudo e barrinha de cereal da classe econômica, fila da imigração, jet-lag, fuso horário, aí finalmente chega no seu destino e vai almoçar no...Empório Brasil?

Juro, na minha opinião quem viaja pro exterior e vai comer em restaurante brasileiro deveria ser proibido de deixar o país. É como você participar de uma promoção, ganhar um automóvel e na hora de receber o prêmio dizer "dá pra vir pintado de laranja e rosa com o nome do Shopping das Calcinhas escrito?".

Nada contra curtir seu país, nada contra quem mora (veja bem, mora) no exterior sentir saudade de um feijãozinho, uma caipirinha, um sambinha (ainda que detestasse samba enquanto morasse aqui), mas ninguém morre porque ficou 15 dias sem comer uma orelha de porco ou escutar o Exaltasamba. Sério.

E quem faz isso, na boa, se a Constituição não permitir que seja proibido de deixar o país, pelo menos merecia voltar pra cá num vôo sentado na poltrona do meio, com o mágico Krong de um lado e o MC Leopardo do outro.

4 Comentários:

FelipeBFontana postou 5 de agosto de 2011 05:36

O cidadão me tem uma oportunidade ouro premium de literalmente, ver o mundo de uma forma diferente, conhecer novas culturas, pessoas, gastronomias e simplesmente ele me vai no restaurante brasileiro (que por sinal deve ter um precinho bem camarada também!)
Um extermínio! Exílio nele!

Anônimo postou 5 de agosto de 2011 08:24

É foda, mas é assim mesmo....o brasileiro é um caso triste

Danielle postou 5 de agosto de 2011 08:26

Realmente tem que ser mt fdp pra desperdiçar uma oportunidade de ouro de conhecer outras culturas e ficar falando que sente falta de pagode.
Acho que deus realmente nao dá asas a cobras pq o diia que eu tiver a oportunidade de ir pra lá e nunca mais voltar, o unico feijao que sentirei falta é o da mamãe s2 KKK

**Wendy** postou 5 de agosto de 2011 09:19

parece.. apenas parece.. que a postagem só consegue ver a coisa "ruim".. ok, eu NÃO IRIA no Empório Brasil, MÃS.. ir no Empório Brasil na FRANÇA deve ter outro gostinho tbm!!

Amo tudo que vc escreve MAS... kkk sem "mas".

;-)

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo