As oportunidades perdidas riem da nossa cara depois

Postado em 16 de set de 2011 / Por Marcus Vinicius

Parece que o ser humano foi feito para jamais perder uma boa oportunidade de perder uma boa oportunidade.

A maior delas geralmente é a de ficar calado, mas não é a única.

Digo isso porque quase todo mundo já achou um dia que seria valorizado quando num ataque de honestidade neuro-incapacitante, resolveu confessar para o professor que copiou um trabalho na internet ou para a namorada que deu uns beijos na prima dela naquele final de festa, e no final acabou lembrando porque o ditado diz que em "boca fechada não entra mosca" e não "boca fechada não ganha um beijo de língua da Scarlett Johanson".

E oportunidades perdidas nos perseguem para o resto da vida. Você consegue esquecer o seu aniversário de casamento (supondo, é claro, que você não tenha se arrependido de não ter entrado num avião para a China ao invés de entrar na Igreja naquele dia), mas não esquece aquela garota que te deu mole na 6ª Série e você preferiu ir jogar War com seus amigos ao invés de tentar perder a virgindade aos 12 (e não aos 19 como foi de fato).

E por falar em 6ª Série, lembro que o The Cure veio dar um show no Rio de Janeiro quando eu estava na escola e eu acabei brigando com um amigo (fizemos as pazes depois, mas nunca mais a amizade foi igual) porque ele me pediu para comprar ingressos pra irmos juntos e, em cima da hora, desistiu do show para jogar uma pelada.


No lugar dele, jamais esqueceria o show que não fui (e acabou sendo histórico) por causa de uma bosta de um jogo de futebol na quadra da escola.

Suponho isso porque vivi coisa pior por causa uma bolsa de estudos que ganhei para passar três meses na Inglaterra quando tinha 16 anos.

Imagine só, terra dos Smiths, da realeza, dos Beatles, do Fish&Chips e até dos deliciosos pudins de rim, mas tinha um problema: era nos meses de Janeiro, Fevereiro e Março e eu não queria "perder" o verão.

Resultado: não fui.

Coisas assim me fazem pensar que certas decisões da nossa vida deveriam ser tomadas por uma comissão. Sério, você reuniria umas 4 ou 5 pessoas que fariam um debate e depois tentariam te convencer do que é melhor naquele momento.

Caso a conversa não funcionasse, estariam liberados para te dar uma surra com cabos de vassoura.

Porque no final das contas, hoje nem consigo lembrar o que fiz naquele verão, e só posso imaginar tudo o que teria feito caso tivesse embarcado no avião da British Airways.

E essa oportunidade perdida volta e meia aparece pra rir na minha cara (e quando descobre que eu passei a detestar verão, calor, Carnaval, etc), ela não só ri, como gargalha. E com razão.

Umas vassouradas não seriam tão ruins assim.

10 Comentários:

Bruno postou 16 de setembro de 2011 08:47

Não consigo mesmo acreditar que alguém troque um show do The Cure por futebol! Enfim, ótimo post, ótimo tema.

Frangoman postou 16 de setembro de 2011 11:19

Nesse show, aliás, memorável mesmo foi os cars do The Cure resolverem ir de ônibus daqui pro Rio. Fizeram o motorista parar naqueles restaurantes de boca de estrada pra comer um monte de besteiras do tipo sarapatel, costela (daquelas que ficam dias mergulhadas em banha) etc. Resultado: caganeira em todos eles! Tu se lembra disso?

Luciana postou 16 de setembro de 2011 11:20

Fiquei chocada que você perdeu a oportunidade de ir pra Terra da Rainha! Infelizmente parece que na grande maioria das vezes, as oportunidades aparecem quando não temos maturidade suficiente para enxergá-las.

mvsmotta postou 16 de setembro de 2011 11:46

Hahahahahahahahaha lembrava dessa da caganeira não. Boa oportunidade que eles perderam de fugir de comida trash de beira de estrada.

Abs!

Escorpião Prata postou 16 de setembro de 2011 19:16

É, como eu pensei, esse post tem tudo a ver comigo. Hoje estou melhorzinho. Mas isso de perder oportunidades (principalmente de ficar calado)já agiu em mim quase com os mesmos efeitos de uma dependencia química!(Exageirinho, hahaha)Mas isso é mesmo chato quando se torna desenfreado!
Ótimo post, Marcus!

Anônimo postou 16 de setembro de 2011 23:53

Titulo perfeito, história muito boa...Eu por exemplo sou mais uma oportunidade que vc perdeu no ano de 2006, confesso que as vezes dou boas risadas da sua cara, mas pode deixar que é sempre de uma maneira positiva...adoro tudo que vc posta, e continuo te acompanhando pela internet. Bjs Alguém do passado (será que um dia descobrirá?)

Marcia postou 19 de setembro de 2011 18:42

E eu que troquei uma carreira pelo casamento! Que também fracassou... e hoje corro atrás de recuperar o tempo profissional perdido, enquanto meus relacionamentos afetivos -mal-sucedidos- gargalham da minha cara!

Fany Dimytria postou 20 de setembro de 2011 19:58

É se arriscar, dá a ''cara a tapa'', ir mesmo, pra não se arrepender. Eu achei boa essa de comissão de 5 ou 4 pessoas, mas acho que a gente sempre pesa muito os prós e contras antes de tomar uma decisão, e ,bem, não podemos nos arrepender de tê-las tomando, porque no momento, foi exatamente o que queríamos fazer.
Mas eu concordo... Pensar em como teria sido é inevitável.

Tuka Siqueira postou 21 de setembro de 2011 10:35

É por isso que costumamos nos arrepender mais daquilo que NÃO fizemos...
Aqui no sul usa-se muito um ditado que diz: "Cavalo encilhado não passa duas vezes" pra ilustrar o quanto é importante "montar" na oportunidade que aparece sem pensar muito. Se der errado, pelo menos tentamos, mas se deixamos passar, ficamos a vida inteira pensando em como teria sido.

Abraços amigo Marcus!

Marina Menezes, A MAIS LINDA postou 28 de setembro de 2011 07:54

ahahahahaahaha lembro de você contando dessa oportunidade pra Inglaterra na faculdade,fique tranquilo, em 2012 ESTOU LA POR VOCE!!!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo