Dilma e a "Operação Cavalo de Tróia"

Postado em 8 de mai de 2010 / Por Marcus Vinicius

Através do Twitter do @Gravz recebi este vídeo retirado daqui, que exibo abaixo.

Assistindo isso, fico impressionado com a vaidade de Lula, que entendeu que mesmo ao arrepio da lei, da ética e da liturgia do cargo de Presidente da República tentará batizar essa mulher como sua sucessora. "Sou popular, renego o passado, brinco de descobridor do Brasil, porque não? Dane-se o país".

Só mesmo o PT na sua inesgotável pusilanimidade para se sujeitar a isso e somente um indivíduo já sem a menor noção da realidade para apresentar uma pessoa tão desqualificada e despreparada para ser candidata a presidência.

Espero estar errado, afinal é apenas uma teoria, porém não acho que seja tão mirabolante assim: só consigo enxergar essa mulher como um Cavalo de Tróia. Sério.

Trata-se de uma pessoa que não tem história política e nem biografia para preservar e que muito bem pode vir a servir como o veículo para a guinada à esquerda radical e ao chavismo mais nefasto.

Reinaldo Azevedo já utilizou esse termo para uma outra teoria sobre Lula, Dilma e o PMDB, mas ele é tão apropriado ao que penso, que não o sacrificarei em nome da originalidade.

Se tudo correr como eles planejam, depois de 4 anos de uma presidência fraca, volta o "Grande Mestre", aí sim, do jeito que ele tanto sonha, como um Fidel Castro do acarajé com farofa.

2 Comentários:

Augusto postou 8 de maio de 2010 11:14

Boa tarde, não sou adepto do disrcurso típico da Veja e do resto dos tucanos, embora meu voto seja sempre mais a direita eu me nego a assumir a retórica direitista que é com certeza mais nojenta que a retórica esquerdista.
Sou adepto do argumento lógico, preciso e certeiro, não acredito que a Dilma seja uma cavaleira do apocalipse chavista, porque se o ideal fosse fazer do Brasil uma Venezuela isso já teria ocorrido nesses 7 anos de governo Lula, o que não ocorreu, muito pelo contrário. Falar que uma pessoa não tem história nem biografia é muito perigoso, eu me recuso a fazer pouco da história de qualquer um, seja ele amigo ou não amigo. Ela tem sim uma história, aprove você ou não, assim como José Serra tem outra e Marina outra. Se você gosta ou não isso é uma questão de perspectiva, tem gente que acha que se utilizar de violência contra o estado ilegal é terrorismo esse exemplo cai bem para Dilma e seus críticos que adoram chama-la de terrorista, como tem gente que acha que José Serra simplismente fugiu do Brasil ao fazer o auto-exílio. Tudo uma questão de ótica de como vc se coloca diante da história do outro.
Eu ainda penso seriamente se voto no Mario Oliveira no primeiro turno e se caso ocorrer um segundo turno dou meu apoio ao José Serra. Mas sinceramente não vejo qualidades no Serra que o façam melhor candidato que a Dilma, vice-versa, seria um voto conservador da minha parte de quem apenas que ver uma alternância no poder mas longe de compactuar com ele que fez um geverno estadual medíocre.

mvsmotta postou 8 de maio de 2010 11:27

Lula não deu uma guinada para o chavismo porque não tem certeza de sucesso. Todos seus atos e palavras nos levam a crer que seu sonho seria um poder absoluto, tal qual o dos irmãos Castro, que ele inclusive apóia nos limites da moralidade.

Ela é uma ex-terrorista, sem um único voto em toda sua vida e com uma biografia tão rala que não serviria sequer para qualificá-la para ser prefeita de uma grande cidade, quanto mais presidente.

No que diz respeito aos candidatos deste ano, Serra é infinitamente mais competente, Marina é infinitamente mais inspiradora e Dilma é terrivelmente fraca, despreparada e refém de um petismo da pior espécie, o que a presença de José Dirceu na sua campanha só vem comprovar.

Um abraço

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo