Agredindo e louvando o Senhor

Postado em 5 de jan de 2010 / Por Marcus Vinicius

Hoje li uma tuitada da @giovanaduarte contando que um vizinho seu, membro de uma dessas seitas evangélicas radicalizadas, foi flagrado pelas câmeras de segurança do seu condomínio retirando e destruindo decorações de Natal.

Quando apanhado com a boca na botija, justificou-se dizendo que "sua igreja não permite que se comemore" a data religiosa em questão.

Ato isolado como muitos gostam de dizer? Não. Pode não ser prática da maioria dos membros destas igrejas evangélicas pentecostais, mas é uma prática que se concentra neles. Digamos que nem todo evangélico chute santas, mas todos que chutam santas geralmente são evangélicos.

Primeiro de tudo quero dizer que considero, parafraseando o ex-deputado e jornalista já falecido Márcio Moreira Alves, que tudo que só existe no Brasil e não é jaboticaba, normalmente é besteira.

Sendo assim, aberrações como "Renascer", "Deus é Amor", "Universal", aquela outra do "missionário" R.R. Soares (que até ainda agora eu achava que era J.J.) e mais tantas outras igrejas que crescem em regiões favelizadas das metrópoles ou em grotões do interior são, para mim, só e somente expoentes do nosso subdesenvolvimento e do desamparo que parte da sociedade sente, precisando recorrer a este tipo de charlatanismo para "ter fé".

Não dá pra levar a sério seitas que promovem espetáculos ridículos como este, este e este.

Mas não deixa de ser reveladora e perturbadora esta história que a Giovana, ela mesma protestante e batista conforme me disse, contou.

Isso mostra o grau de intolerância que pregam estas igrejas, numa tentativa de "mobilizar" e "eletrizar" seus fiéis, seja com objetivos pecuniários, seja por pura e simples manipulação espiritual.

É comum lermos noticiários contando agressões por parte de evangélicos neo-petencostais contra umbandistas, católicos, espíritas, homosexuais e outros grupos que eles consideram "desviados".

Lembro uma vez na entrada do Sambódromo, em pleno Carnaval, de um grupo de evangélicos tentando "convencer na boa" alguns foliões a "saírem daquele caminho" e insultando com gritos de "endemoniado!" e "satanás!" os que não queriam perder tempo ouvindo aquela cantilena deles.

Esse tipo de gente dá razão aos ateus e pseudo-ateus, quando estes dizem que "religião emburrece" ou que "toda religião acaba causando conflitos". Assim como as antigas posturas da Igreja Católica na idade média, estes evangélicos de hoje pensam que devem impor a Bíblia na base da força.

Aí abordam as pessoas em pontos de ônibus, calçadas, vão bater de porta em porta, não respeitam sua opinião e sua crença, ofendem as demais religiões, consideram-se portadores de uma "verdade única e incontestável".

Chega ser impossível estabelecer qualquer grau de conversa com alguns deles, porque parece que você é alguém que "deve ser convertido" até que prove o contrário e vá para o inferno.

Não cedo ao politicamente correto, mas também não quero generalizar. Existem igrejas protestantes tradicionais como a Batista e a Presbiteriana que tem um grau de tolerância mil vezes maior do que essas igrejinhas de laje, ainda que também falem muito mal de católicos em certas ocasiões.

O ponto disso tudo é que, seja qual for a religião (até mesmo aquela fábrica de psicopatas, assassinos e terroristas que é o Islã), todas pregam a paz, o respeito ao próximo e a harmonização da vida de quem a pratica.

É uma contradição imperdoável, quase um "pecado mortal" para utilizar linguagem religiosa, que você pregue isso no templo, traga isso consigo nas suas leituras e preces e falhe justamente na hora que mais importa, que é a hora de pôr em prática aqueles ensinamentos.

Boas palavras só valem se acompanhadas de atos concretos, creia você em Deus ou não.

42 Comentários:

Rinaldi postou 5 de janeiro de 2010 07:52

na biblia falam sobre tolerancia e ser justo e tal, e essas pessoas parecem que não leem. apenas recitam fragmentos de versos fora do contexto!

"o senhor é meu pastor e nada me faltará" vivem falando disso, mas tratar uma outra pessoa como igual não rola...


quanta hipocrisia

Eliana / Lu Maria postou 5 de janeiro de 2010 07:54

Lido e assinado embaixo. Faz tempo que eu queria ler uma opinião como a minha.

Eliana

Clau Finotti postou 5 de janeiro de 2010 08:09

Concordo plenamente com seus pontos de vista nesse artigo.
Conviver com essas coisas diariamente (eu convivo no trabalho) ninguém merece!
Se a caneta falha, a culpa em tudo no demônio. rs...
Haja jogo de cintura pra não entrar em atrito com pontos de vista tão diferentes!!!

Agner postou 5 de janeiro de 2010 08:32

Um pouco de sabedoria e vc espanta esses fanáticos do seu pé........só não pode usar a mesma arma que eles...usam.........

Eduardo postou 5 de janeiro de 2010 08:39

E ainda fazem coisas como essa:

http://www.youtube.com/watch?v=g5wT70O1zM8&feature=player_embedded

Surreal... evangélico-trash-traveco-suste ntável (tem como não amar todos esses adjetivos juntos, na mesma pessoa?)
Em tempo:

Tocar piano:FAIL
Uso do chroma key:FAIL
NOÇÃO:FAIL

Anônimo postou 5 de janeiro de 2010 08:43

Concordo em partes , não gostei da citação ao Islã(enfim minha opinião)antes de sair bombardeando algum tipo de religião primeiro a investigue através de fontes fidedignas e não saia postando assunto através de tudo que se encontra na mídia !

Lucas postou 5 de janeiro de 2010 08:45

Muito bom texto! Muitos desses, são falsos moralistas!! E o pior, eles querem defender e impor uma doutrina, usando para isso, práticas que vão contra a própria doutrina! Deus não ensina violência nem atos de julgamento burro. Até mais!

Joaquim postou 5 de janeiro de 2010 08:52

"na biblia falam sobre tolerancia e ser justo e tal, e essas pessoas parecem que não leem. apenas recitam fragmentos de versos fora do contexto!"

a biblia fala de tolerancia?? será? vc realmente leu a biblia?

Juizes 19, 23-24

tenho dó de quem usa a biblia para tirar seus principios morais.

"quanta hipocrisia"

Ana Ferrero postou 5 de janeiro de 2010 09:01

Ponderar é uma sábia maneira de colocar suas opiniões. Seu texto é reflexo da mídia, do relato da sua amiga Batista. A pessoa que apenas identificou-se como "Anônimo" foi feliz em te direcionar para pesquisas fidedignas, louvável e sábio! Tenho amigos que praticam diversos credos, e somos amigos...conheço relativamente bem, várias religiões e credos, mais do que conhecer o determinado em doutrinas, creio sinceramente, que é absolutamente necessário interessar-se e conhecer o outro. Isso também vale para céticos e crentes! Não é a religião que "re-liga" o homem à Deus, mas a natureza e estado espiritual do coração desse mesmo homem. Temo mesmo, sabe Marcus Vinícius, a patrulha em qualquer setor. A exploração para menos ou mais de fatos, isolados ou não. Mas, acho legítimo sua expressão de pensamento, ainda que influenciado por um país que faz apologia forte a idolotria. E isso sim, é outro ponto que temo. Abraços. Anaff_Ferrero

Sara de Cerqueira postou 5 de janeiro de 2010 09:17

Bah, que showzinho ridículo deve ter sido, hein...
Sou Batista, discordo completamente do pentecostalismo.
Uma vez um funcionário pentecostal que trabalhava pro meu pai pediu demissão pq não concordava com os enfeites de natal que colocaram no posto.
Fanatismo religioso é o cúmulo.

Anônimo postou 5 de janeiro de 2010 10:04

jj soares???!!! RR soares!!!!!!!

Bruno Cruz - the Catholic Echidna postou 5 de janeiro de 2010 10:04

Não gosto muito de generalizar as coisas. Acredito que pouca coisa na vida é só preto ou branco: a maioria é cinza. Isto posto, quero dizer que as situações que você apresentou são uma daquelas poucas coisas que se aproximam de uma das extremidades. Se há uma coisa que eu, como cristão, não suporto, é hipocrisia. Citando Jessica Jones: "Não vou fingir que sou uma especialista em religiosidade, ou em 'religião organizada', mas pra mim, a ideia toda por trás de um sistema de crença como este é dar pros fiéis alguma coisa que transforme eles no melhor tipo de pessoa que consigam ser!" E, sem dúvida, o fanatismo faz com que passem bem longe disso!

P.s.: Só uma correção, se me permite: as iniciais do nome do missionário são "R.R.", não "J.J.", como você colocou.

Isabel postou 5 de janeiro de 2010 10:05

O principal ponto é saber aceitar diferenças de pensamento, e essas "igrejinhas de laje" realmente pregam a intolerência. O que vejo de errado é que, muitas vezes, pessoas ruins de caráter acham que ir à igreja rezar apaga todas as canalhices que fazem em seu cotidiano. Certamente essas pessoas acham que podem comprar um pedaço do céu deixando seu dinheiro na igreja e carregando a bíblia debaixo do braço, ao invés de fazer o bem às pessoas ao seu redor. Minha religião é: faça aos outros apenas o que gostaria que fizessem a você.

F r ø y l a n d postou 5 de janeiro de 2010 10:10

A verdade é que a humanidade só começou a evoluir e progredir exponencialmente depois que abandonou a religião. A bíblia é um livro de contos onde cada um interpreta os parágrafos como quiser.

Alex postou 5 de janeiro de 2010 10:13

Rara! Vendo isso tenho que postar essa imagem que explicita bem o contraste comportamental que há dentro e fora do Templo: http://img223.imageshack.us/img223/7272/fjjgjofe5.jpg (Click e veja a foto se você não se importa que sua alma vá por inferno) =D

Fabricio Carvalho postou 5 de janeiro de 2010 10:15

Concordo em termos com sua opinião, pois em tudo há "charlatanismo" vs "verdade" e sempre os certos pagam pelos errados.
A mídia hj é sensacionalista, o mundo ri da desgraça alheia e tudo se torna uma grande comédia.

Isabel postou 5 de janeiro de 2010 10:18

Que bizarro o vídeo que o Eduardo postou, hahahahaha

PIPI postou 5 de janeiro de 2010 10:19

concordo plenamente com tudo aquilo que li...é pena que esses senhores se aproveitem de pessoas fragilizadas quer a nível espiritual quer a nível socio-economico e cultural e façam delas um brinquedo... eu vivi no brasil por uma temporada e fiquei escandalizada com a quantidade de igrejas "inventadas"...enfim o mundo é mesmo podre e as pessoas ainda mais....



gstei do teu blog :-)

bjs
PIPI

Isabel postou 5 de janeiro de 2010 10:29

Eu acredito que tem muito pastor picareta por aí, mas não creio que todas essas pessoas que são enganadas, doando dinheiro que muitas vezes vai fazer falta e participando de todo esse teatro, sejam coitadinhas. Acho que há um interesse recíproco, daqueles que querem ganhar dinheiro e daqueles que querem a "salvação" garantida. Muitas pessoas doam boa parte do dinheiro que ganham com a promessa de que vão "receber em dobro". Se não houvesse ganância, não caíam nessa...
Beijos

BAUER postou 5 de janeiro de 2010 10:33

Concordo com voce e se as "otoridades"não tomar providencias em breve poderemos ser um país de intolerantes, sou católico, mas gostei muito da frase do poeta Ferreira Gullar: "O homem precisou criar um Deus pra justificar a própria criação dele".

Rafaewh postou 5 de janeiro de 2010 10:35

Nossa, parece que é o post mais comentado do seu blog esse ano. Também com esse assunto! Eu penso que esse tipo de pessoa que cometem atos tão insanos, são provavelmente pessoas de "cabeça fraca". Uma religião (seguida de fé) pode "sim" mudar uma pessoa ou situação, mas cabe a pessoa discernir o que é coerente para sua prática de vida. Pois, aquilo que ela crê, provavelmente, será por ela divulgado. Esse tipo de pessoa fica tão bitolada com todas as doutrinas que esquecem que são racionais. No intuito único de cumprir as leis religiosas, afetam as leis morais, sociais e humanas.

Thais postou 5 de janeiro de 2010 10:59

Tenho vergonha alheia. Acontece que hoje a maioria do evangélicos (sim, sou evangélica)padece por cometer um erro grave que está registrado em Isaías 5:13 e Oséias 4:6: a falta de conhecimento. E além de não conhecerem a bíblia e nem os seus princípios, a interpretam conforme lhes convém dando esse espaço gigante pra líderes tão "171".
Jesus Cristo, em sua época (esse cara é o meu exemplo, deveria ser o de todos)era a pessoa que mais influênciava, e ainda continua influênciando, e não tinha aquela "fé cega" que muitos acreditam ser o certo. Ele sabia (lia, conhecia) as Escrituras, falava com propriedade sobre ela, questionava e incomodava os líderes da época, e não tinha medo da verdade. Bem o contrário de muitos líderes atuais.
Adorei o texto. E pra terminar gostaria de acrescentar que a obediência a Deus (como a Bíblia ensina) não é nada cega. Porque só obedece de coração quem realmente entende o que é dito. Quem não entende, além de ser "falso-moralista" fica pagando mico por aí. Tinha muito mais, mas por enquanto é isso. @thatypalhano

@raafael postou 5 de janeiro de 2010 11:10

A hipocrisia corre por todos os lados.

Trabalho com Testemunhas de Jeová que não comemoram o aniversário de NINGUÉM mas comem o bolo mais do que todo mundo.

Quero dizer.. comer o bolo do pecado do aniversário pode?

Drika postou 5 de janeiro de 2010 11:27

Ótimo Post! E para ser sincera, eu tenho medo dessa gente!
Vemos todos os dias o que a mistura de ignorância, desespero e fanatismo religioso ainda faz nos países islâmicos e espero que não aconteça por aqui.
Aliás, só esperar já não cabe mais... é preciso começar uma campanha sincera e honesta de esclarecimento dos mais humildes, que são as presas mais fáceis, para que não caiam na conversa dos tais pastores.

Anônimo postou 5 de janeiro de 2010 11:30

andre...opinião:
,,toda forma de generalização já aponta pra uma certa ignorancia a respeito do assunto...o cara que arrancou os enfeites de natal errou? errou sim,,como muitos protestantes erraram e continuam errando,..o problema a fazer de um qualquer,um modelo...
..talvez queiramos acabar com os protestantes,voltar pra inquisição,deve ser melhor...
á,,e quem fala de "lavagem cerebral",ou coisas do genero pra mim,sem ao mínimo me conhecer,já é só mais um dominado por uma mídia rídicula,ou só um coitado influenciado,,,
..Pra mim,o negócio não está na religião,está na Blíbia,,o Jesus dos Católicos,é o mesmo dos Evangélicos,,falta sim respeito,mas das duas partes,tem hipocrisia sim,mas das duas partes também,,o foda é generalizar,,

Jonatas postou 5 de janeiro de 2010 11:33

onde vc diz "estes evangélicos de hoje pensam que devem impor a Bíblia na base da força." desculpa, mais isso nã chega nem perto de ser biblia, sou Batista, mesmo sabendo que doutrina nenhuma leva Deus, porém levam o mais longe dele.
Jesus Cristo veio ao mundo ensinar oq é o amor e sem ele o mundo jamais o conheceria, veo ao mundo demostrar auteticidade, e um Deus que salva.
Muitas igrejas (oq não deveria se chamar Igrejas) pelo ignificado das mesma, passam longe do q é um puro e real cristianismo.
Infelismente estamos longe de viver oq deveria ser cristianismo, por muitas desss "instituições" que vem pregando e dogmando coisas banais, ridiculas e certamente incubiveis em razões de Deus. O Puro Deus, aquele, que nção cobra nada, não amadronta, nada rouba, nada ilude, nada pede a não ser o coração.
Lembrando, Jesus veio amo mundo ensinar o amor, aquele que não pregar isso, longe esta de "cristão".

mvsmotta postou 5 de janeiro de 2010 11:37

Jonatas,

Você disse algo que compartilho totalmente, que Deus é "aquele, que não cobra nada, não amadronta, nada rouba, nada ilude, nada pede a não ser o coração."

Um abraço!

Marcus

E MUITO obrigado a todos os demais que estão aqui enriquecendo este debate.

o que é Sobrecomum? postou 5 de janeiro de 2010 11:39

Ótimo esse texto como os outros. Por isso venho sempre ler e comentar.

Aqui no Rio de Janeiro, a Supervia, empresa que controla o serviço de trens urbanos tentou acabar com as pregações religiosas dentro dos vagões e perdeu feio na justiça.

A liberdade religiosa permite pregar em trens ou nas portas das boates gays. E também permite que se bata no demônio até ele abandonar o corpo e quebrar s santos das religiões alheias.

A. G. postou 5 de janeiro de 2010 11:48

Você criticou tanto a intolerância dos evangélicos com os outros, mas não perdeu a oportunidade de vomitar a sua intolerância com o Islamismo. Quão idiota é isso?

mvsmotta postou 5 de janeiro de 2010 11:54

A.G.,

Quase a totalidade dos crimes de intolerância religiosa e atos de terrorismo são causados por maometanos, pessoas que juram submissão ao islã e espalhar sua palavra nem que seja "na ponta da espada".

Não sou intolerante, só não sou tolerante em excesso como atualmente se exige que a sociedade ocidental que é ameaçada constantemente pelos fanáticos desta religião o seja.

Idiota é facilitar a vida de quem quer te destruir.

Abs

Marcus

Isabel postou 5 de janeiro de 2010 12:01

A respeito do comentário do Sobrecomum acima, antigamente na barca Rio-Niterói também havia constantemente pregações religiosas. As pessoas cantavam aos berros, incomodando os demais usuários do transporte. Mas finalmente isso acabou e não é mais permitido. Aleluia!! rss

Solange Baumer postou 5 de janeiro de 2010 13:02

Put's,faz tempo que não há tanto comentário.Assunto polêmico.Os prós e contras se degladiando civilizadamente é razoável.O que não dá realmente,é uma religião,seja ela qual for,querer enfiar goela abaixo dos outros,o que "eles" acham correto.Cada ser humano tem seus direitos,desde que não perturbem a vida do outro.Isso cabe a qualquer coisa.Além do que um dia ouvi no filme:"Curtindo a vida adoidado",que todos os ISMOS são radicais."
Concordo com vc,afinal,cadê a tolerância,o amor aos fracos e oprimidos...(ou será que esse texto é do Superman?)

Denise postou 5 de janeiro de 2010 13:18

Qualquer fanatismo é uma bosta. Não sou contra nenhuma religião, mas odeio esse negócio de querer impor suas crenças. Cada um acredita no que quiser, eu não sou obrigada a aceitar nada se não quiser. Acho que é exatamente isso que falta em muitos evangélicos fanáticos, e seguidores de outras religiões: respeito pela opinião alheia. Não existe verdade absoluta, cada um tem a sua. E eu, sinceramente, não tenho interesse em descobrir 'verdades' de fanáticos. Sejam eles evangélicos, sejam testemunhas de jeová, ou qq outra coisa que o valha.

Andrezza postou 5 de janeiro de 2010 13:34

concordo com muito de td que foi dito ate agora, mas da p/ achar q a grande maioria e assim infelizmente ingnorancia existe em todas as religioes e fanatismo nao depende de crença...

Dolores Fernández postou 5 de janeiro de 2010 14:30

Cada um é único...

A experiência do "grande encontro" com a Verdade é pessoal e intransferível, pode vir pelo amor, pela busca interior de uma razão de fé ou pela dor de uma angústia. Não pode ser colocada à força, por ninguém, pois vem da Graça de Deus que nos franqueia o entendimento. E ela liberta mesmo, pois o torna capaz de ter a Fé que edifica, que promove a reforma interior unida à razão e compreender como a humanidade e tantos líderes religiosos das mais variadas tendências se afastaram da única Verdade: JESUS! Você se torna realmente livre de culpas passadas, medos, misticismo etc. porque CRISTO já nos resgatou na cruz do calvário, pelo Seu sangue derramado por nós, e as palavras Dele, a Nova Aliança, é que passam a ser nossa Lei!E você comprova que o agir de DEUS em nossas vidas é sutil e plenamente perceptível se estivermos em comunhão de fé e prática!

Ribeva postou 5 de janeiro de 2010 15:13

Caro xará

Li seu texto e sua resposta ao comentário da A.G. e posso concluir, com certeza, que vc está precisando ler sobre o islamismo, antes de generalizar dessa forma, apesar de achar q não o está fazendo.

Isto porque, nada mais nada menos, o islamismo é uma das 3 religiões com mais seguidores no mundo, o q significa q, se eles quisessem mesmo causar prejuízos ao mundo ocidental, como vc diz, a terceira guerra mundial já teria começado, com sérios problemas para todos nós, o q não é o caso.

O islamismo, apesar de algumas idéias ultrapassadas, q não envolvem violência, é uma religião absolutamente pacífica, que merece todo o nosso respeito.

O problema é q vc está considerando seguidores do Hamas, do Fatah e do Hesbolá, estes sim, malucos de pedra, com os mais de 99% dos seguidores do islamismo, e aí a coisa pega. Não é por aí.

Como pessoa inteligente que vc é, tenho certeza q vc vai se inteirar melhor sobre o tema e rever sua posição, reduzindo-a apenas aos malucos das correntes políticas acima mencionadas. Aliás, as causas da loucura deles vêm da incursão ocidental no mundo deles - EUA, França, Alemanha e Inglaterra, principalmente – e não o contrário.

Leia sobre a segunda guerra mundial e a consequente divisão do Iraque e outras regiões do Oriente Médio, devido à queda do Império Otomano...; sobre a criação de Israel (cuja ONU sacaneou os palestinos, ao não lhes conferirem o território prometido, beneficiando apenas os judeus) e vc vai ver que até a loucura daqueles idiotas (Hamas, Fatah e Hesbolá) que usam a religião como desculpa tem algum fundamento. O problema é a forma irracional como reagem.

Bom, vou ficando por aqui e twittando na medida do possível.

Forte abraço.

extremosulgospel@gmail.com postou 5 de janeiro de 2010 16:54

Infelizmente muitos acham que os evangélicos são ignorantes, sem cultura,etc.
Quero parabenizar o Blog, muito bom por sinal, e quero expressar a minha opinião a respeito do texto:
A ICAR usava estes mesmos argumentos para evangelizar,pregava a pobreza absoluta enquanto no vaticano ostentava muita riqueza;Não vou seguir nesta linha, quero apenas dizer que infelizmente muitos "evangélicos"destas igrejinhas passam dos limites, mas cada um segue uma missão.

mais uma vez parabéns pelo blog.

José Ailton
www.extremosulgospel.com.br

valeria postou 5 de janeiro de 2010 18:58

Repito as palavras do autor ...- Conheço alguns (crença religiosa) que não comemoram o aniversário de ninguém, mas comem o bolo de todo mundo.

Danilo B. postou 5 de janeiro de 2010 20:41

Como dizia George Carlin, religião é besteira. Os países com os maiores índices de ateísmo (exceto quando é forçado pelo regime político) são onde tem os maiores índices de desenvolvimento humano, onde tem as menores taxas de violência e onde tem os melhores sistemas de educação e saúde. Podem pesquisar à vontade.

A religião reflete a ignorância, a ingenuidade, a pobreza e a violência de seu povo.

E outra: o evangélico em questão perdeu a razão quando praticou um ato de vandalismo. Mas para mim, o fato de todas as prefeituras do Brasil usar dinheiro público para enfeitar suas cidades com decoração que remete uma festa religiosa, sendo o Brasil um país laico, é muito mais desrespeitoso do que sair por aí destruindo árvores de natal.

Ronaldo Santos postou 6 de janeiro de 2010 07:54

Isso mesmo... a pior parte é pregar a caridade ao próximo e não ser caridoso com ele.

Perfeito!

Wwebster postou 22 de fevereiro de 2010 11:14

A série pessoas que não entenderam o twitter, ta massa ...
O do msn foi fodaa !

Lidia Angela postou 15 de julho de 2011 07:59

Sou evangelica, nasci em uma igreja evangelica, igreja batista e estudava em um colegio catolico e fui muito perseguida po nao ser catolica. Nao so eu mas minhas amiguinhas q eram espiritas cardecistas ou da umbanda, minhas amiguinhas q eram testemunhas de Jeova, e de outras religioes. ate de castigo eu fiquei pq nao sabia rezar o terço. Eles me chamava de crente da b... quente e as minhas amigas espiritas de macumbeiras e etc... Tinha um amiguinho q tinha tendencias homosexuas q todos o maltratavam por isso e o padre da escola dizia q ele era uma aberraçao, filho do diabo e q ia pro inferno.Conheci tbm pessoas q eram da assembleia de Deus q diziam q nos q nao eramos como eles nao eramos cristaos e q pq usavamos calças compridas, maquiagem e mini saia iriamos queimar no fogo do inferno, testemunhas de Jeova q diziamos q eramos impios pq aceitavamos q era importante uma transfusao de sangue e comemoramos natal, pascoa, aniv. etc... Agora moro na Italia e pra ver o papa de perto ou falar com ele tem q pagar no minimo 50.000 euros, onde o vatincano nao deixa q as pessoas de outras religioes se professem e q diz q homosexualidade e uma coisa do diabo enquanto ferve de padres pedofilos e perversos. Tenho amigos q amo muito q sao muçulmanos e q me mostrarao o alcorao, tenho amigos pentencostais q sao pessoas sabias e maravilhosas, os catolicos de verdade me ajudaram muito qdo precisei, meus amigos espiritas sao muito generosos, enfim, em qualquer lugar onde tem o ser humano, tem o bom e o ruim. Nao podemos generalizar, se assim fazemos, somo tao ridiculos qto as pessoas q criticamos. A religiao basica e amar a Deus sobre todas as coisas e o proximo como a si mesmo e isso quer dizer nao fazer aos outros aquilo q nao queremos q façam conosco.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo