Olé España!

Postado em 12 de jul de 2010 / Por Marcus Vinicius

A Espanha finalmente é campeã do mundo. A Seleção que sempre amarelava desta vez honrou a camisa vermelho-fúria e levou seu primeiro título mundial. Na Copa que será lembrada mais pela bola Jabulani, pelo zumbido das vuvuzelas, pelo decote da Larissa Riquelme e pelas ferraduras do Dunga, a notícia é que o futebol, sim, simplesmente o futebol bem jogado, ainda pode vencer o maior campeonato de futebol de todos.

Futebol que aliás não sai das manchetes policiais também. Seja por causa das investidas do Vágner Love em bailes funk do tráfico, seja por causa das estranhas associações do Adriano com traficantes da Vila Cruzeiro, seja por causa do goleiro-psicopata Bruno, curiosamente todos do Flamengo.

O que quer dizer o fato de todos serem do Flamengo? Nada. Só dá combustível para piadas dos adversários, de resto, nada relacionado ao clube da Gávea e sim ao nível intelectual rasteiro de 99% dos jogadores de futebol brasileiros, verdadeiros asnos com conta bancária recheada.

É o mesmo que dizer que a Holanda é o Vasco das Copas do Mundo. É um exagero e uma injustiça, porque também poderíamos dizer que a Holanda nas Copas é equivalente ao Corinthians na Libertadores, com um agravante: o Corinthians não consegue nem chegar nas finais.

Agora, o personagem marcante mesmo dessa Copa não foi o uruguaio Forlan, eleito o melhor jogador do torneio, não foi o Iniesta, o Villa, o Robben, nem mesmo o Mandela. O maior craque foi o polvo Paul, que acertou simplesmente 100% de suas previsões sobre os resultados dos jogos.

O molusco simplesmente cravou o campeão, o vice e até quem levaria o terceiro e o quarto lugar. Se estivesse num bolão, ficaria rico. Se fosse comentarista de TV, viraria lenda. Isso aliás me leva a pensar: para que tantos comentaristas falando tanta bobagem, sempre com aquele sorriso idiota na cara - os do Sportv então nem se fala - como se o telespectador fosse um idiotizado, se um polvo consegue fazer o trabalho deles melhor do que ninguém?

O polvo aliás seria um excelente substituto pro Galvão Bueno, outro personagem dessa Copa por causa do "Cala a Boca Galvão", que foi o assunto mais falado do Twitter por dias. Ele faz previsões mais corretas do que o Galvão e, como não entendemos um suposto idioma "polvês", não enche tanto o nosso saco com aquele falatório e pregação ufanista.

Mais inútil do que comentaristas de futebol no entanto são comentaristas de arbitragem, sério. Eu lá estou interessado no que diz a alínea b-336 do código disciplinar da FIFA? Alguém mais está? Sei não, aquilo pra mim é cabide de emprego pior do que esses de parente de deputado e senador. E a utilidade é mais ou menos parecida.

Assim como foi inútil o Dunga ter transformado a Seleção Brasileira numa espécie de Coréia do Norte do futebol. Fomos das orgias de Calígula em 2006 para uma espécie de Convento das Irmãs Enclausuradas em 2010.

Mas dizem que a culpa mesmo foi do Lula. Todo time que ele cumprimenta ou toca na camisa perde fragorosamente logo em seguida. Não sei se tem alguma coisa a ver, mas pra um político que adora metáforas sobre futebol e utilizar o futebol em benefício de sua popularidade, acho que seria melhor que ele passasse a se interessar por Golfe - ainda que seja coisa das "zelite" - ou então que passe a torcer pela Alemanha.

Falando de política, gol contra mesmo foi a tal candidata que assinou um programa de governo que previa ataques à propriedade, controle da imprensa e até "comissões da verdade". Só faltava prever "Campos de Reeducação" para quem não quisesse tatuar uma estrela do PT na testa daqui a uns anos.

Depois a dita cuja, uma espécie de Felipe Melo da política, disse que não assinou nada, apenas rubricou. Primeiro não soube dizer a um jornal porque queria ser presidente, depois disse que não assinou algo que havia assinado por puro e simples desconhecimento da língua portuguesa. Eu só me pergunto: quem diz que vai votar numa coisa dessas pra presidente, tem o que contra o Brasil? É o mesmo que o Dunga deixar o Ganso em casa e levar o Felipe Melo para a África. É quase um atentado ao pudor.

Mas a eleição vem aí com força total a partir de agora, para nos incomodar mais do que as vuvuzelas, então pelo menos por enquanto vamos curtir o novo membro do clube dos Campeões Mundiais, um merecido novo sócio.

Foi uma Copa de poucos gols e de jogos entediantes, mas no final das contas venceu o time que não foi para lá testar "táticas de guerra" e nem brincar de inspetor de colégio interno na concentração. Venceu o time que simplesmente foi para jogar futebol.

E provou que esta ainda é a melhor maneira de vencer uma Copa do Mundo.

4 Comentários:

Nego Reggae postou 12 de julho de 2010 08:57

log muito fera, iorado man. Boa postagem.

Aretusa postou 12 de julho de 2010 09:02

Boa!!!! Venceu quem realmente foi pra jogar futebol, pura e simplesmente! Não foi mesmo uma Copa de futebol Arte, de grandes Gols... Mas se serve de consolo, a eliminação do Brasil impediu que o País inteiro continuasse parando de funcionar em função de jogos de futebol quando milhares de pessoas dentro do Brasil continuam sem moradia vítimas das chuvas em Alagoas e Pernambuco... São mais de 50 mortos! E pouco se falou sobre isso durante os jogos.

Dos males o menor, o Brasil hoje estaria novamente em festa, com outro Carnaval fora de época se fosse nossa a Copa 2010, e na boa? Tem muita coisa pra se fazer aqui pela vida do povo Brasileiro antes de pensar em mais um Carnaval...

Bora botar a casa em ordem pra 2014...

Anônimo postou 12 de julho de 2010 09:10

mto bom como sempre...adorei
Gi

Silvio Araujo postou 12 de julho de 2010 09:12

Boas observações... Mas que a Holanda é o Vasco das Copas, isto é! Não dá pra comparar com o Coríntians, já que o mesmo nem chega nas finais... Já o Vasco, tri-vice, é idêntico agora à Holanda nas Copas...

Agora, diz aí: a culpa é do Lula ou do Polvo??? rsrsrsrsrs...

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo