Santo Chuveiro

Postado em 30 de jul de 2010 / Por Marcus Vinicius

Não sei se o fenômeno só acontece comigo ou se é algo como ciúme ou dor de corno, que todo mundo sente pelo menos uma vez na vida, mas basta que eu ligue o chuveiro que começo a divagar mais do que estudante da PUC que curte fumar uns cigarrinhos naturais enquanto ouve forró universitário.

É incrível como resolvemos tudo debaixo do chuveiro. Viramos cantores, líderes mundiais, ensaiamos discursos, compomos canções, pensamos na vida. Eu pelo menos considero a experiência mil vezes melhor do que o travesseiro.

Muita gente deve fazer o mesmo, e tenho até dúvida se não foi assim que o Lula pensou que iria resolver a crise no Oriente Médio. Estava lá passando creme rinse na barba e matutou "vou juntar aqueles árabes em volta de uma churrascada e resolver essa briga". Tudo fica incrivelmente mais simples debaixo do chuveiro, até a complexa simploriedade do nosso presidente.

Quantas vezes você não está doido pra tirar férias no trabalho e ensaia o discurso ali, com direito a réplicas do chefe imaginário e tudo. Pena que já no dia seguinte, quando você pretende colocar em prática aquilo que deu tão certo enquanto estava ensaboado, você pergunta algo como "tem um tempinho livre?" e o chefe responde "não". Assim mesmo, um lacônico "não" que definitivamente não estava nos planos e torna inútil toda a divagação do dia anterior.

E isso vale com a gostosa da academia que você quer chegar em cima e, para isso, fez um diálogo solitário durante mais de uma semana e no final das contas descobriu que ela está afim mesmo é do professor de spinning que trabalha como gogo boy nas horas vagas.

Vale para aquele papo que você vai dar no seu primo recém-separado que chegou na sua casa pra passar "só uma semana" e transformou seu sofá da sala em um misto de kitchnet com almofada de poodle. Você chega decidido a botar ele dali pra fora, pede um minuto pra conversar e antes que você possa falar qualquer coisa ele declara "nem a minha mãe seria tão boa pra mim quanto você está sendo".

Agora me diz, algum cretino é assim tão gente boa debaixo do chuveiro? Que nada! Na cena imaginada durante o banho seu primo te xingaria, diria que sua casa é um chiqueiro, que só ficou ali tanto tempo porque você é um otário e justificaria o pé na bunda que você está doido pra dar nele.

Só que a gentileza é a armadilha do mala, e você acabou de cair numa.

Tem muita gente que vira ator pornô no chuveiro, o único problema é que faz o papel do Rocco e da Tracy Lords ao mesmo tempo.

Sob a espuma do banho eu já invadi a Europa, já fui eleito e reeleito presidente do Brasil umas 20 vezes e já fui até marqueteiro de campanha presidencial americana. Já fui também cineasta, comentarista e técnico de futebol, ritmista de escola de samba (ainda que atualmente deteste qualquer tipo de batuque) e já até separei a Bahia do Brasil, declarando o axé music proscrito em todo o território nacional.

E pensando nisso, acho que certos caras como o Fidel, o Hugo Chávez, 90% dos ongueiros do mundo, comentaristas de arbitragem, fãs de bandas emo-adolescentes e outros indivíduos iguais a estes, tão inúteis quanto o exército suíço, deveriam fazer o mesmo: restringir suas atividades ao período do banho, já que ali ninguém enche o saco de ninguém.

Infelizmente só não posso pedir que os políticos em Brasília façam o mesmo, porque sabe como é, eles vão acabar roubando o shampoo, o sabonete e aumentando a conta da água.

7 Comentários:

Tuka Siqueira postou 30 de julho de 2010 10:56

Excelente!!! Eu particularmente, além do chuveiro, uso uma boa caminhada na rua para pensar e dialogar comigo mesmo. O problema é quando faço isso em voz alta e quem passa por mim acha que sou doida. Talvez eu seja mesmo...

alebasi postou 30 de julho de 2010 12:04

Muito bom mesmo! Eu devaneio muito também no banho... Aliás, os melhores posts surgem nessa hora, hein?

Paulo postou 30 de julho de 2010 12:10

perfeito cara. sinto a mesma coisa, obrigado por falar por mim! rsrsrs @paulohvieira PAULO VIEIRA

TigerGirlSP postou 30 de julho de 2010 12:14

Hum... de ate vontade de tomar banho... heheh seeya!

Meu Universo postou 30 de julho de 2010 20:45

Fino e inteligente! ;)

Meninas do Reino postou 1 de agosto de 2010 16:22

Muito bacana!

Eu costumo dizer que o banho é um MOMENTO, pq não se lava apenas o corpo, por vezes lava-se a alma, as idéias, enfim...acho que em certos momentos o banheiro pode ser um santuário de insights [exagerada...rs]
Tb curto as caminhadas...oxigenam o cérebro e dão um "up" como poucas coisas...


Abraços,

Roberta

Marise postou 2 de agosto de 2010 09:16

O chuveiro é mesmo um lugar de "meditação"!
Eu vou tão fundo nos pensamentos, lembranças e devaneios que às vezes, quando dou por mim estou chorando! Copiosamente!E é bom , porque a água que desce pelo rosto disfarça o chororô.
Beijos

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo