Um dia sem gari

Postado em 26 de nov de 2009 / Por Marcus Vinicius

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, prometeu que deixará algumas áreas da cidade sem coleta de lixo durante 24 horas e sem aviso prévio.

Será que o prefeito ficou maluco? De forma alguma! O que o alcaide deseja é mostrar aos cariocas a quantidade de lixo que eles despejam sem razão nas ruas diariamente, talvez pra ver se as pessoas sejam tomadas de alguma espécie de vergonha e parem de agir como verdadeiros porcos.

A sujeira das ruas do Rio de Janeiro só não me incomoda mais do que favelas e flanelinhas, nesta ordem.

É "normal" a pessoa estar em um congestionamento e assistir à verdadeira chuva de latas de refrigerante, copos descartáveis, garrafas de todos os tipos, papéis, tudo isso atirado pelas janelas dos automóveis e coletivos, numa demonstração de que a sujismundice não tem idade, cor, credo ou classe social.

Nas praias então é pior. Existem não sei quantas centenas de lixeiras dispostas pela orla da cidade, tanto na areia quanto nos calçadões, no entanto o carioca joga seus cocos, palitos de picolé, jornais já lidos e o que você mais conseguir imaginar nas areias das praias, como se fossem oferendas pra alguma "entidade" da porcaria.

Isso porque nem vou falar do hábito de urinar em árvores, postes, calçadas e, se bobear, até no nosso pé. É um péssimo costume que se aprende desde cedo, como já retratei em uma foto no meu Twitpic.

Além disso, aponte-me um fumante que não jogue suas guimbas no chão por onde passe, que eu te aponto um fumante que se preocupa com a própria saúde de verdade.

Daí o que sobra para todos, tanto os porcos que sujam quanto as pessoas que tentam não impactar o ambiente com seu lixo, são as calçadas imundas e fedorentas, que desafiam o tal conceito de "Cidade Maravilhosa" completamente.

E o prefeito só vai deixar alguns pontos da cidade sem coleta de lixo por 24 horas, imagina se deixasse uma semana ou um mês a cidade inteira!?

Fica a dúvida: em quanto tempo o carioca conseguiria ficar soterrado no seu próprio lixo, como fruto da sua falta de educação?

Espero que o tratamento de choque funcione e alguma coisa mude, porque medalha de ouro em porcaria é o máximo que o Rio de Janeiro mereceria hoje em dia.

12 Comentários:

Júnior postou 26 de novembro de 2009 06:56

Sério que o prefeito vai fazer isso? Palmas pro cara... te q ser assim mesmo. O povo adora jogar tudo nas costas do governo porém, ninguém joga lixo no chão de sua casa e se alguém jogar a pessoa vai ficar muito P da vida e não fazer quem jogou o lixo recolher.

Isso vale pra São Paulo tb, outra cidade imunda onde se vê todo tipo de lixo nas ruas aliás, abandonar carro velho virou moda.

Excelente post kra.

abraços

@imcarlosjunior

Carla postou 26 de novembro de 2009 07:08

Péssima idéia...alias, de péssima idéias ele tá cheio! É OBVIO que as áreas que não haverão coleta de lixo serão áreas pobres e não as áreas ricas (Z.Sul/Barra).

Fora isso, essa atitude só vai prejudicar quem realmente se importa e recolhe seu lixo, quem não recolhe, quem imunda a cidade, vai ser como um dia normal.

mvsmotta postou 26 de novembro de 2009 08:00

Carla,

Ele suspenderá a coleta na Av. Rio Branco e na Orla da Zona Sul.

É uma atitude radical com certeza, mas a desordem total do Rio de Janeiro obriga a certas medidas radicais mesmo.

Um abraço!

Naara Celestino postou 26 de novembro de 2009 08:06

Parabéns pelo post e ao prefeito do Rio pela iniciativa, se for verdade mesmo. Seria bem interessante ver em várias cidades como as pessoas se sairíam sem coleta de lixo nas ruas, porque achar a cidade suja e feia é dfácil, difícil é fazer alguma coisa pra mudar isso.

ED postou 26 de novembro de 2009 09:38

É complicado, não é pq em países subdesenvolvidos como nosso as pessoas são culturalmente porcas que o governo deve parar a coleta.
Mas a culpa das enxentes q temos é exclusivamente culpa da população que é porca e vivem reclamando do governo sendo q na maioria das vezes falta-lhe educação.
É cada vez mais percebo q no nosso país o grande problemas q enfrentamos é o cultural, já está no DNA do brasileiro. E outra ctz é q cada povo tem o governo q merece, a população não é porca, quem abe agora elegeram um prefeito porco.
Como diria o dono desse blog, País de Tolos.

Roney Belhassof postou 26 de novembro de 2009 09:51

Não votei nele e discordo de vários projetos e isso certamente interfere no meu julgamento ;)
Pode não ser a melhor forma de conscientizar as pessoas e tem um bocado de uma premissa auto depreciativa (o povo merda tem o país merda que merece) que serve de desculpa para maus políticos, mas concordo que algo tem que ser feito.
Uma coisa que faço com alguma frequencia é pegar o lixo e devolver ao dono. Além disso SEMPRE encaro feio quem joga lixo no chão na minha frente.
Gostaria de ver mais campanhas na midia e até prêmios do governo na forma, por exemplo, de redução de impostos para regiões ou até residências que não produzissem lixo desnecessário.

Solange Baumer postou 26 de novembro de 2009 10:12

Essa idéia do do prefeito já é um lixo.Não sou carioca,mas se fosse daria um jeito de mobilizar muita gente pra cobrar dele outra atitude.Quem vai pagar o pato?As pessoas que lutam pra viver num lugar limpo e digno.porque quem é porcão vai continuar porcão.Não precisa andar a pé ou de carro pra ver gente sem noção emporcalhando tudo.mas isso é questão de EDUCAÇÃO e não de dinheiro.Somos pobres aqui em casa,mas nenhum de meus filhos NUNCA jogou 1 fiapinho de papel sequer nas ruas.
Triste imaginar o quanto o Rio de Janeiro perde com tudo isso.Lamentável!

Denise postou 26 de novembro de 2009 11:12

Olha, isso não é exclusividade do Rio não viu.. Até mesmo na dita ''Europa Brasileira'' chamada Blumenau, entopem os rios de lixo, jogam lixo no chão e bla bla bla.. Acho que isso é defeito do brasileiro mesmo, povo porco, sem educação, que desde cedo vê os pais jogando lixo no chão e obviamente cresce achando isso super lindo.
Será que essa atitude do prefeito daí vai surtir efeito? Acho que quem é porco vai continuar porco, pois o ser humano só se 'conscientiza' de alguma coisa qdo dói no bolso viu.

Isabel postou 26 de novembro de 2009 11:40

Eu não gostava do Eduardo Paes, mas ele tem me impressionado positivamente com algumas atitudes, e essa é uma delas. Acho que é uma iniciativa legal parar a coleta por apenas 1 dia pras pessoas perceberem a quantidade de lixo que vão para as ruas, quando às vezes as lixeiras estão vazias. Parece incrível, mas hoje mesmo vi um sujeito jogando um papel EMBAIXO DA LIXEIRA!! Caramba, a lixeira está ali na cara dele, mas ele joga embaixo. Outra coisa que acho absurdo são homens urinando na rua. Nenhuma mãe deve incentivar que seus filhos façam isso, pois crescerão achando que é uma atitude normal. Se as meninas procuram um banheiro quando precisam, por que os meninos não podem fazer o mesmo? Quanto aos tocos de cigarro, já havia comentado no post sobre lei anti-fumo: os fumantes são extremamente porcos, com raríssimas exceções. Talvez eles pensem que é um lixo pequeno, mas se somar todos os tocos jogados nas ruas do Rio de Janeiro em 1 dia, dá pra entupir muitos bueiros... E depois ainda reclamam das ruas transbordando quando chove...
Ótimo post!
Beijos

Danilo B. postou 26 de novembro de 2009 12:09

Lixo gera emprego pra gari do mesmo jeito que violência gera emprego para policiais, que os virus e bactérias geram emprego para médicos, que a inconsequência gera emprego para terapeutas, que a desatenção gera emprego para funileiros e mecânicos, que a burrice gera emprego para professores, que a ignorância gera emprego para todo tipo de prestadores de serviços e a lista é longa. Tudo isso pode ser evitado, mas uma hora a "perfeição" iria acabar destruindo a economia, o modelo de sociedade como conhecemos etc e pans.

Não dá pra prever se seria pior ou melhor, o que eu sei é que, atualmente, penso que o "mal" é um mal necessário.

Marcio postou 26 de novembro de 2009 12:54

Sem dúvida de que é uma medida polêmica. Não cabe aqui discutir se é certa ou errada. Eu, por exemplo, apoio. Enquanto o porco não se sentir no chiqueiro, nunca vai se conscientizar da sua condição de porco e nunca vai mudar.
Só para ilustrar, eu estive em Madri em 2007 durante uma greve dos funcionários de limpeza do metrô. Depois de alguns dias de greve, se constatou que quase não se notava que ninguém varria as estações. Ou seja, o povo mesmo quase não suja as estações lá. O que havia era poeira, lixo acumulado nas lixeiras, coisas trazidas pelo vento. Tanto que os funcionários em greve começaram a sujar de madrugada as estações pra ver se a greve deles se evidenciava, se a população se incomodava com aquela greve e exigia do governo que eles fossem atendidos. Experimenta não varrer o metrô do Rio durante uma semana. (olha que nosso metrô é até bem limpinho!)

Isabel postou 30 de novembro de 2009 05:08

Comentando o que foi dito acima, não acho necessário emporcalhar a cidade pra ter emprego pra varredor. A questão é que se gasta demais com limpeza, e esse dinheiro poderia ser gasto com outras melhorias para a cidade. Ou seja, o dinheiro circularia da mesma forma, mas seria mais bem aproveitado. Um abraço! :)

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo