O Mickey é o cara.

Postado em 30 de nov de 2009 / Por Marcus Vinicius

Ontem foi realizada no Rio de Janeiro a "Parada de Natal da Disney", na praia de Copacabana.

Não vou usar este espaço pra falar (de novo) da falta de educação do carioca (ou melhor, do brasileiro em geral), que chega ao ponto de empurrar crianças para conseguir uma melhor visão de um evento feito pra elas, as crianças, nem da quantidade de lixo atirada ao chão ou da necessidade de organizarmos urgentemente o sistema de transportes da cidade, que já é caótico e consegue piorar com qualquer atividade que se realize na Orla.

Quero falar da incrível influência que a (o correto seria "o", mas tudo bem) Disney World exerce sobre pessoas de todas as idades.

Lembro que, ainda adolescente, visitei o parque em Orlando e meio que não entendia porque os adultos pareciam curtir aquilo tudo bem mais do que nós teenagers ou as crianças, mas hoje eu entendo perfeitamente: todo o mundo de Walt Disney nos faz voltar às melhores lembranças de nossa infância, à inocência, à proteção do nosso lar e por fim, calam fundo em nossa alma, nos levando a lugares queridos do nosso consciente e subconsciente.

Ontem fui eu que me emocionei mais do que as duas criancinhas que levei para assistir à Parada da Disney e pude compreender a força que essas lembranças tem em todos nós.

Mas o que chama a atenção também é que mesmo com tantos personagens novos presentes, como os da Toy Story, High School Music, Rei Leão e até as 3 Princesas que foram tão bem repaginadas para esta nova geração de crianças (quem tem menininhas na família sabe o que falo quando menciono a "loucura" que elas sentem pelas Princesas), mesmo com tantos novos habitantes do Mundo Disney, todos, crianças e adultos gostam mesmo é do bom e velho camundongo de 81 anos, o Mickey Mouse.

Pela gritaria dos miúdos dava pra perceber que "alguém importante" vinha em uma das alegorias, e qual não foi minha surpresa ao saber que era pelo octogenário ratinho que elas faziam tanta festa.

É um fenômeno bastante curioso e digno de registro, por isso resolvi falar sobre esse assunto hoje.

Outra coisa interessantíssima é a quantidade de "anti-americanos" que não abrem mão do seu Mc Donald's, da sua coca-colinha gelada e que choram, riem e aplaudem um simples camundongo de desenho animado, expoente inconteste da cultura daquele grande país do norte, praticamente um porta-estandarte do "imperialismo". (risos)

Trata-se de um ícone social, cultural, emocional que transcende fronteiras, ideologias e preconceitos. Provavelmente suas camisetas vendem mais até do que as do Che Guevara e dizem por aí que até o aiatolá Khomeini usava um reloginho com ele no pulso.

Se isso é verdade ou mito, não sei, mas de uma coisa eu tenho certeza: o Mickey é o "cara".

7 Comentários:

Marise postou 30 de novembro de 2009 06:15

Sou suspeitíssima, pois sempre adorei o Mickey.Quando fui tirar meu visto para ir pela primeira vez lá em Orlando, o Consul perguntou o que eu estava indo fazer lá e eu resxpondi sem pestanejar: vou ver o Mickey.rsrsr
Realmente, tirando a coisa da falta de educação , que pelo que parece temos muito trabalho a fazer, ou seja, acho que vai durar algum tempo para a conscientização do povo, a Parada da Disney me fez chorar logo no começo, quando passou a banda de abertura.
Lembro que da primeira vez que coloquei meus pés no Parque Enacantado e vi o Castelo da Cinderela que tanto povoou meus sonhos de criança, chorei.
Meus filhos não entenderam o motivo do choro( naquela época), mas hoje também se emocionam ao rever os personagens queridos e o nosso Mickey, sempre com cara de esperança, de infância e alegria.
Valeu pelo registro. Bjs

Solange Baumer postou 30 de novembro de 2009 07:58

Qual casa hoje em dia não tem uma coisa que seja com a imagem do nobre ratinho?Mickey acaba sendo uma unanimidade com certeza.Ainda sou do tempo que esperava ansiosa começar na tv o Clube do Mickey e ouvir o refrão:"Seja sócio desse clube como todos nós/ Ele é meu, ele é seu/ É do Mickey Mouse".
Quem me dera meus filhos cresçam e consigam ir à Disney...
E parabéns a vc que teve a boa vontade de levar crianças a um desfile.Conheço muitos pais que não fazem isso...

mvsmotta postou 30 de novembro de 2009 08:12

Solange,

Eu também lembro do Clube do Mickey na TV!

E levar as crianças pra passear é diversão que troco por muito pouca coisa, adoooooro.

Beijos!

mariotellesfilho postou 30 de novembro de 2009 08:22

Sou mais o Tom e Jerry!

A Madrasta Má postou 30 de novembro de 2009 08:23

Eu amoooooooooooo! Hilário sobre os anti-americanos hahahahaha!
Bjinhos da Madrasta!

Isabel postou 30 de novembro de 2009 08:43

Engraçado, eu nunca tive esse fascínio pelo mickey. Sempre me encantei muito mais com a Cinderela ou a Bela Adormecida, rsss. Inclusive, adoro o nome Aurora justamente por causa da princesa...
Eu não consegui ver quase nada da parada, com um paredão de pais suspendendo seus filhos no ombro. Mas valeu a pena pela Laura, que vibrava em cima do meu ombro (e do seu)! Beijos

Fernando postou 30 de novembro de 2009 11:02

Eu nunca achei o Mickey Mouse grande coisa, mas confesso que ele já é um personagem que entrou para a história.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo