Brasileiro: feliz apesar dos problemas (Será?)

Postado em 16 de dez de 2009 / Por Marcus Vinicius

É senso comum que o povo brasileiro é "bom". Feliz e hospitaleiro a despeito de sua vida difícil.

Mas o brasileiro na verdade não é um povo "bonzinho" e nem cordial. Ele é um povo apático, torporoso, porém esquizofrênico.No geral tem uma vida difícil, recebe muito menos do que um profissional do mundo civilizado para exercer a mesma função e com mais cobrança, mora num país corrupto, com cidades violentas, imundas, poluídas, favelizadas, mas ainda assim faz micareta, carnaval e acha graça disso tudo.

Essa fama "bondade" é derivada desse torpor esquizofrênico, dessa apatia generalizada que não reage a nada e só demonstra mobilização para o escraxo.E como toda gente apática, que não luta por seus direitos e vive engolindo tudo, vendo os ladrões que o assaltam e dificultam sua vida em Brasília e nos demais palácios do país vivendo como nababos, tornam-se rancorosos.

Mas um rancor camuflado, escondido, afinal, aqui quem reclama é "amargo", "anti-patriota" e daí isso é canalizado para a desonestidade menor, como não devolver troco dado errado, ser agressivo no transito, deixar o cachorro cagar na porta do vizinho, "achar" coisas e não procurar seu dono, comprar artigos piratas, falsificar carteiras de estudante, enfim, tudo que faz parte desse "show" cotidiano brasileiro.

Faz-se fofoca da vida alheia, fala-se do filho do vizinho como se o nosso fosse perfeito, daí a preferência e o vício generalizado em reality shows e novelas: adora-se viver a vida alheia aqui e, como diz o ditado, olha-se muito pouco para o "próprio rabo".

Existem exceções, é claro. Desonestidade e ignorância não são patrimônios nacionais e nem a tal malandragem do "jeitinho brasileiro". Mas é fato que essas exceções são, tautologicamente, minoritárias.

Geralmente quando não somos afetados por um, a desonestidade, é a ignorância que nos "pega" logo ali adiante.

E mais triste ainda é que nem todo mundo tenha essa noção e o país assim vai caminhando na mesma ladeira, de forma descendente desde praticamente quando surgiu, esquecendo escândalos, desvios, problemas e parando uma vez por ano, durante quatro dias, para comemorar sabe-se lá o que.

5 Comentários:

Fernand Alphen postou 16 de dezembro de 2009 06:43

"pra acabar com a maladragem, tem que prender todos os otários" diria J. Ben

Solange Baumer postou 16 de dezembro de 2009 07:30

Somos bonzinhos do tipo babaca que vê os políticos saqueando nosso país e não fazemos nada.E fazer o que,se a maioria ainda escolhe errado?Se esses crápulas aparecem na mídia com dinheiro enfiado até no...e logo estarão aí novamente batendo nas costas do povo humilde,e novamente receberão aquele voto de "confiança".Brasil...meu Brasil brasileiro...e tudo acaba em samba e futebol...

josi postou 16 de dezembro de 2009 11:23

sabe o que é pior? é quando você, mesmo convivendo com esta roleta russa toda, NÃO desconta em nada! é, porque você acha que tem que ser honesto, tem que juntar os cocôs do seu cachorro, tem que lutar por um trânsito menos caótico. e ainda, em escala máxima, precisa conviver com este sistema ridículo, asfixiante, falho. e podre.

talvez a comemoração seja esta: a de sobreviver.

Marcelo K postou 16 de dezembro de 2009 11:31

Quando vejo algo errado ou me sinto lesado e reclamo, me acham implicante ou rabugento. Na verdade só estou procurando um mínimo de civilidade ao exigir o troco certo ou pedir para a prefeitura fechar um buraco na rua no meu caminho. Mas para quem é acomodado com a situação é mais fácil só reclamar e não fazer nada. E chamar quem faz de chato.

luallessi postou 16 de dezembro de 2009 13:38

Grande problema do brasileiro é achar que 'ah, mas todo mundo faz' ao invés de tomar pra si a responsabilidade das besteiras que faz...
Além de que gasta muita energia em coisas 'menores', afinal, quebra tudo por causa de jogo, por que o ônibus atrasa...JÁ na hora de cobrar pelos seus direitos de cidadão, como educação e saúde, só faz reclamar com os colegas.
E tem a mania de achar que 'ah, política é chata...Político é tudo igual' e aí acaba reclamando só no bar,na praça ou no teclado ao invés de tomar pra si a responsabilidade de votar e principalmente cobrar.

Brasileiro é bom sim...é solidário, é generoso, é esforçado. Mas em algumas situações, como em relação a política, esse 'bom' acaba virando 'otário'.
Mas a palavra 'bom' ganha ares de 'vergonha nacional' é quando o brasileiro é 'bom de desrespeitar as leis'.
Seja no transito, seja no comércio brasileiro é 'bom' pra bancar o 'esperto'.

Eu sou apaixonada pelo Brasil, pelo povo brasileiro...Mas confesso que as vezes eu acho que 'bom' pro país era exportar alguns pra bem longe daqui!

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo