Favela é problema e nunca será solução

Postado em 3 de dez de 2009 / Por Marcus Vinicius

Já em 1930 o arquiteto francês Alfred Agache reclamou da burocracia urbana do Rio de Janeiro, que levava o operário pobre a erguer choupanas junto aos sem-teto. As favelas, mais ou menos no mesmo período, foram muito bem definidas como um flagelo, a lepra da estética.

Infelizmente nos dias de hoje, já no século XXI, cá estou eu ainda falando deste assunto e para dar uma triste notícia aos que viveram naquela época, estejam onde estiverem: a lepra se alastrou e como remédio, o máximo que a cidade conseguiu produzir foi passar maquiagem por cima dela.

Virou moda governante dar certificado de propriedade à ocupação ilegal de favelas. Muitas até mesmo acima da tal cota 100. Gastam-se milhões com um PAC das Favelas que, a rigor, fará maquiagem nas invasões e distribuirá títulos de propriedade, perpetuando o problema e delegando às futuras gerações essas cidades feias que vemos por todos os lados.

Ao invés de remover este cancro dos morros e dos bairros populosos, adotam este paliativo ridículo de urbanizar, o tal "favela-bairro". Populismo barato e covardia de governantes que não querem se indispor com a baderna generalizada somente para não terem custos políticos.

Alegam que como aqueles amontoados de barracos estão ali há vários anos, a favela é fato consumado e é "direito" de quem mora ali assim permanecer.

São agressões para a estética e o meio-ambiente e encubadoras do crime, porque aquele ambiente claustrofóbico e caótico é ideal para servir de esconderijo para marginais que acabam ganhando um ponto elevado e privilegiado para defender suas empresas do crime.

Aliás, permanecerem nas encostas é somente mais uma das excrescências deste fenômeno das favelas, já que na maioria das cidades do mundo as encostas são terrenos valorizados enquanto que por aqui são tomados por invasões que destróem a natureza e a estética das cidades.

É claro que 100% dos moradores de favelas não são "bandidos"como os coitadistas adoram falar, generalizando e tentando colocar quem critica esse monumento ao horror do caos urbano e do estupro urbanístico na defensiva, mas não é esse o ponto, o ponto é que partindo do princípio da organização das cidades e da qualidade de vida do cidadão, contribuinte que paga impostos e sustenta direta ou indiretamente grande parte dos moradores das favelas com seus gatos de luz, TV a cabo, furto de água e assistem à desvalorização dos bairros onde moram, a favela é um crime primário, originário de todos os outros, quase um "pecado original".

Deixar ocupar uma área, permitir impassível a sua favelização e depois "legalizá-la" é a cultura do jeitinho, do arranjo, é o mesmo que o cara estuprar uma mulher todo dia e num dado momento o estado resolver casá-la com o estuprador, afinal, o estupro já é "fato consumado"mesmo e este é o remédio mais fácil.

A favelização é um estupro da cidade enquanto ambiente coletivo, a lepra urbanística e até aqui nosso remédio tem sido casar a vítima com o estuprador e passar pó compacto nas feridas.

2 Comentários:

Solange Baumer postou 3 de dezembro de 2009 07:24

Para esses governos assistencialistas é conveniente manter o povo pobre e dependente das cestas e Pac's da vida.Não fosse isso logo que alguém começa a armar o "barraco" numa área verde ou de preservação,já deveria aparecer os órgãos ditos "competente´s,pra tirar as pessoas dali.Minha cidade tem muito mangue,áreas de preservação permanente.Denunciaram várias vezes e ninguém impediu o primeiro a construir seu barraquinho.Agora já virou piada,estão chamando de condomínio fechado,pois colocaram até tapume,para ninguém perturbá-los.Mas é dever de quem impedir a invasão dessas áreas?Minha?Sua?Se nos fosse dado esse poder,com certeza faríamos algo,pois não nos interessa uma cidade favelizada.Mas quais seríam as promessas dos candidatos,para uma cidade com ruas trafegáveis,esgoto tratado,saúde,educação e moradia dignos?Não sobraria o que prometer.Pura conveniência!
Desculpe alongar tanto o comentário...beijos

Jamila Costa postou 10 de dezembro de 2009 10:29

Os governantes deveriam assistir o filme B-13 (bairro 13) sou a favor de fazerem a mesma coisa...botar todos pra fora e explodir aquilo tudo.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo