Seremos robôs?

Postado em 30 de dez de 2009 / Por Marcus Vinicius

Quem já me conhece sabe, mas pra quem não conhece muito permita-me começar este texto com meu segredo de Polichinelo: sou usuário do Twitter. Assim mesmo, com essa conotação de usuário de substância ilícita.

Adoro o vai-e-vem de informações que acontecem ali e posso dizer que o Twitter ajudou em vários aspectos da minha vida, inclusive me dando a motivação suficiente para começar este blog.

Só que passear pelo Twitter também proporciona aquele gosto amargo de deparar-se com a idiotice, a incipiência cultural, o espírito de gado da maioria das pessoas e, finalmente, a constatação de que quanto mais o tempo passa, mais a nossa assim chamada juventude vai ficando idiotizada.

Antes um serviço pouco acessado pelo grande público e mais restrito à "turma" da comunicação, o Twitter viu seu perfil mudar de "gente informada, descolada, acima da média" para o "povão, miguxo, pré-adolescente, jogo do add".

Sei que vão me chamar de chato, elitista, rabugento e, claro, "preconceituoooooso!", mas tudo bem, é um preço que pago por não me sujeitar à ditadura da estupidez. Para estes deixo o meu "dane-se" e só porque evito utilizar aqui os termos que utilizaria normalmente.

O maior medo dos early adopters do Twitter era que este virasse um Orkut. Particularmente não acho que o Orkut só tenha coisas ruins, mas compartilhei do medo de que os "joguinhos", "brincadeiras" e demais comportamentos repetitivos orkutianos acabassem tomando conta do site.

E foi o que ocorreu. Vou citar somente os que consiga lembrar, mas vamos lá: Buytter, Vampire Twitt, as infernais Quizzes e agora mais recentemente o tal do Formspringme (um site no qual as pessoas perguntam anonimamente e o dono do perfil responde).

Todas essas imbecilidades funcionam a partir de um pensamento básico: ajudar um cabeça oca incapaz de produzir qualquer conteúdo a rechear sua timeline (o espaço onde ficam as tuitadas da pessoa arquivadas para que os demais possam ler) de porcarias que dêem ao cérebro de vento a ilusão de que ele é "ativo".

Aí o cara passa o dia respondendo babaquices como "Onde ce vai passar a virada?R:passa ano novo acho q aqui msm" ou "Took the "Que personagem/famoso voce se parece?" quiz & got: Cristiane F!" e pensa que está arrebentando. Assim mesmo com essa grafia de "alto" nível.

Além disso, temos as campanhas imbecilóides do tipo "Vamos colocar a Lady Gaga/NX Zero/Meu Atual Idolo Emo-Gay nos Trending Topics!".

Pra quem não sabe os trending topics são os assuntos mais "populares" do Twitter e ficam expostos em sua página principal. Por alguma razão, os brasileiros acham que colocar um termo ali pela sua repetição enfadonha pura e simples (digo isso pra não chamar de flood ou spam) é uma "demonstração de força e importância".

Vai entender.

E assim o fato é que, infelizmente, 80% dos brasileiros que usam o Twitter podem ser muito bem resumidos pelo português idiótico que eles utilizam em pérolas como "só sigu qm eu conhesso" ou "o formspring ta temçoooo" e se eu tivesse que escolher uma imagem representativa desse pessoal, essa imagem seria a risadinha que eles vez por outra postam: KAOSKASOPKASOPKASOKAS.

Sim, esse amontoado de consoantes é uma risada. Imaginem a baba escorrendo da boca de um indivíduo enquanto ele ri dessa forma. Essa é a imagem desse pessoal.

O mais incrível de tudo é que esse é um comportamento quase padronizado, me fazendo até pensar que não são pessoas, mas algum tipo de andróide programado para agir o tempo inteiro como um misto de personagem do Chapolin com o filme Debi & Lóide.

Tem que rir mesmo, porque do contrário só chorando.

19 Comentários:

Daniel_gs postou 30 de dezembro de 2009 08:41

Realmente tb preferiria que o Twitter continuasse como antigamente, mas, fazer o que, invariavelmente esse parece ser o destino de quaisquer redes sociais que se tornem famosas. Foi assim com o Orkut, está sendo assim com o Twitter e provavelmente será assim com o Facebook daqui a alguns anos.

Marina Almeida postou 30 de dezembro de 2009 08:49

O post de hoje expressa a mais pura e simples verdade. Claro que essa verdade hoje é mais visível e perceptível no mundo virtual, mas ela sempre existiu.
A programação mental de lixo e porcaria também acontecia e acontece em relação a um outro veículo de comunicação: a televisão.
Acho que a percepção do "espírito de gado" em relação ao twitter, orkut, facebook, etc, foi bem observada, mas é preciso reiterar que essa mentalidade advém já de outros tempos, sendo o meio virtual apenas mais um reflexo desse comportamento padronizado e quase robótico como você mesmo disse.
É preciso um alerta, uma abertura de olhos. A enxurrada de lixo é tão brusca e tão densa que se não tomarmos o devido cuidado, também somos arrastados por ela.
Fico feliz de ver posts como esse! É sempre bom ouvir uma voz de sabedoria no meio do turbilhão das imbecilidades.

Romário postou 30 de dezembro de 2009 08:58

É o feito "Inclusão Digital". Isso é um perigo, eles pegam confiança, escrevem de qualquer jeito e acham que são os intelectuais. Fazem pesquisa no Wikipédia, acham o que está escrito em Blogs são o suficiente, e acaba tendo informações pela metade e formando opiniões desconexas.
O piores são as abreviações criptografadas e símbolos subjetivos.
Tento por tudo, o fim da informação rápida e sim um jogo de adivinhar: o que é o que é?

CABELO postou 30 de dezembro de 2009 09:28

Acho que a tendÊncia é essa. Inventar ferramentas para continuar alienando agrande massa, assim como foi com a TV aberta. E eu fico pasmo como o Brasil está sempre liderndo esseas coisas. Tudo que não presta o Brasil ta em primeiro lugar. Ngm mostra uma pesquisa dizendo o indice de leitura ou ida ao teatro aumentou.

Enfim, acho queé daí pra pior.

Nina postou 30 de dezembro de 2009 09:49

e como todo grande veiculo de massas, temos mais que nunca saber separar o joio do trigo. o negócio e voce levar a sério quem merece relevância. me segue que eu te sigo vai ter sempre em qualquer lugar... só adiciono com scrap, adorei seu blog, passa no meu... a internet ta cheia disso, infelizmente, mas pra nossa graca, tambem tem muita coisa boa ;]

Ana Beatriz postou 30 de dezembro de 2009 09:53

Tenho percebido essa mudança nos textos também, mas eu pensava que era porque o pessoal mais maduro e com alguma coisa a dizer estava fora do twitter por causa das festas de final de ano. Não é elitismo ou preconceito, encontro pessoas bem jovens com coisas importantes para dizer. Porém, existe um grupo teen irritante que passa o tempo todo dizendo pérolas do tipo "meu pai chegou, minha mãe saiu, tô com fome" etc. É de doer...

Fernanda Lizardo postou 30 de dezembro de 2009 09:55

Olha... Nem sei se o Twitter "de antigamente" também funcionava tão bem. Explico: conheço pessoalmente muitos twitteiros "famosos" ou bem cotados na rede e na vida "real" 80% deles são falsos intelectualoides ou chorões mortos de fome que se acham acima do bem e do mal só porque não escrevem "axim". Poucos realmente me acrescentaram algo de bom fora da timeline. Mas seguindo a linha do seu argumento, penso que talvez o maior mal atual seja o tal botão de Retweet, que faz aparecer na sua timeline asneiras de quem você não segue (de uma forma bem mais agressiva do que o RT "antigo", pois dependendo do gadget usado os RT's se confundem com as twittadas de quem você segue mesmo e sempre aparece a dúvida: "Hein?! Estou mesmo acompanhando essa criatura?")
Abraço!

Ricardo MB postou 30 de dezembro de 2009 09:58

Muito bem escrito. Só queria deixar aqui mais uma ideia: o povo brasileiro é assim, gado, porque é um povo aculturado. Isso mesmo, é um povo sem cultura. Um povo que não conhece a própria história, e assim está fadada a repetir os mesmos erros do passado, e mesmo assim chamar os outros de cafona, antiquado (divido que usem essa palavra, é complicada demais - alguns diriam "em demasia", mas poucos entenderiam). Enfim, por isso, tem essa noção de que, ao fazerem o mesmo miguxes que o ser ao lado, serão populares ou aceitos pela massa.
Falta de conhecimento vs informação em excesso acentuam essa diferença, dando a falsa sensação de se consegue suprimir a educação com informação. A educação ajuda a pessoa a relacionar as informações, e torná-las úteis, coisa que essa nova geração não está se tornando apta a fazer. E, com tristeza, tenho que concordar com o CABELO: também acho que é daí pra pior.

luallessi_ Conversadeliquidificador postou 30 de dezembro de 2009 10:07

'É o feito "Inclusão Digital". Isso é um perigo, eles pegam confiança, escrevem de qualquer jeito e acham que são os intelectuais. Fazem pesquisa no Wikipédia, acham o que está escrito em Blogs são o suficiente, e acaba tendo informações pela metade e formando opiniões desconexas'.

Relamente o Romário 'é o cara'!

luallessi_ Conversadeliquidificador postou 30 de dezembro de 2009 10:11

E como disse a Fernanda Lizardo 'o maior mal atual seja o tal botão de Retweet, que faz aparecer na sua timeline asneiras de quem você não segue'

E pensar que eu quis tanto (no meu twitter demorou pra aparecer)

Mas o povo aperta aquilo pra qualquer bobagem, tem gente que da Retweet várias vezes seguidas principalmente quando é um tweet 'puxa-saco' ou quando está incluso num #FF...


Enfim...o povo já mandou tão bem nos comentários que eu daria RT em quase tudo dito aqui :)

rafa postou 30 de dezembro de 2009 10:15

" 'KAOSKASOPKASOPKASOKAS'

Sim, esse amontoado de consoantes é uma risada. Imaginem a baba escorrendo da boca de um indivíduo enquanto ele ri dessa forma. Essa é a imagem desse pessoal."

Muito boa essa parte! E triste saber que é daí pra pior. Mas infelizmente no Brasil é assim. Pô, vivemos num país onde os cd's mais vendidos são os de um padre e de uma Banda "Calypso-da-vida". Fala sério!

Tio Tom postou 30 de dezembro de 2009 10:22

Discurso dizendo que ferramentas como o Twitter foram criadas para a alienação das pessoas e principalmente dos jovens, é coisa muito ultrapassada. Acusar redes sociais por comportamentos que são de usuários é no mínimo falta de inteligência e repertório.

solfirmino postou 30 de dezembro de 2009 10:55

"Imaginem a baba escorrendo da boca de um indivíduo enquanto ele ri dessa forma. Essa é a imagem desse pessoal."
Adorei essa frase. O twitter tem coisas que há no orkut, facebook, myspace ou qualquer rede social: gente legal e gente estúpida, porque é assim a humanidade, composta de bobos e inteligentes. Imagine quando ficar em português também, como as outras redes que ficaram? Vai ter mais estupidez ainda... E mais e mais adolescentes...
@_solange_star

ninat postou 30 de dezembro de 2009 11:48

Agora, meus caros, imaginem esses jovens seus alunos universitários... Não se oferece a mínima base de educação/cultura/raciocínio mas dão computadores...acesso ilimitado à net.. Pronto: somos inundados pela média...medianos....medíocres

uhugalera postou 30 de dezembro de 2009 13:07

Que maravilha de post!

Cheguei a "babar uma baba elástica" com a onda da risada tosca!

[]'s @inaciorolim

Caroline postou 30 de dezembro de 2009 15:27

Que texto maravilhoso, até que enfim encontro alguém no twitter, falando as verdades do Twitter!!!

Como esse site foi invadido por gente tosca... "Estou lavando louça", "Essa pizzaria tem poucos sabores"... quando eu vejo as pessoas deixarem seus passos no Twitter a cada 10 minutos, fico imaginando o que desejam com isso?

Sinceramente, não entendo ainda a utilidade do Twitter na minha vida, não vejo sentido certas conversas e postagens, mas adoro as bem-humoradas, as inteligentes e debochadas... postagens que não é feito pela maioria, uma vez que a maioria é o "povinho idiotilde que usa um português indecifrável".

Maaaaas, viva a tecnologia ao acesso de todos...

Seu blog está cada vez melhor!!! :)

o que é Sobrecomum? postou 31 de dezembro de 2009 07:19

Quem me apresentou o twitter me falou que só existem 3 tipos de pessoas nesse site: as que propõem assuntos, as que retwittam e as que respondem. Mas agora existe um quarto tipo, pessoas que não tem assunto mas querem ser seguidas. Depois desse seu post no blog vou deixar de seguir muita gente.

Isabel postou 4 de janeiro de 2010 06:21

Por essas e outras que nunca quis participar do twiter, mas me divirto lendo seus relatos! Beijos

Karla postou 18 de abril de 2010 20:02

Olá, conheci o seu blog pelo twitter, e acabe lendo muita coisa nesses últimos dias (tanto que estou em um post bem antigo). Eu entendo e muito o seu ponto de vista. Infelizmente isso nao é uma novidade.A tecnologia sempre terá duas faces e sempre teve. Da energia nuclear que pode ser usada para coisas ótimas e também para bombas. A cura de uma doença que poderia ajudar milhões de pessoas e acaba ajudando algumas.E o twitter que é uma excelente ferramenta de comunicação,usada para coisas fúteis. Parece ditado pronto, mas a única coisa que podemos fazer é a nossa parte. O seu blog é um exemplo disso.
Quem sabe assim levamos um pouco de cultura para quem não tem?

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo