Mochilão pelo mundo

Postado em 14 de dez de 2009 / Por Marcus Vinicius

Difícil conhecer alguém que nunca olhou pela janela do seu escritório durante um dia de trabalho e se imaginou num avião indo pra bem longe, conhecer lugares novos.

O tédio do dia a dia é um combustível a mais para a paixão de quem, assim como eu, é louco por viajar.

Costumo dizer pra todo mundo que se ganho na Mega Sena, Loteria Esportiva, Raspadinha ou seja lá o que for uma bolada, não compraria iates, casas, jóias, nada disso. Simplesmente passaria a vida viajando, só parando de vez em quando em alguma base que eu estabelecesse para recarregar baterias, antes de partir novamente.

Bancos, financeiras, o Fisco, o governo, etc, podem tomar uma boa parte do nosso dinheiro, podem confiscar propriedades, carros, mas nunca podem roubar memórias e sensações que tivemos.

Sentar num café observando as pessoas indo e vindo, preocupadas, enquanto você está ali na maior tranquilidade, não tem preço. Mergulhar num mar azul, límpido, refrescando-se no meio da tarde de um dia útil, enquanto todos os outros estão fazendo coisas diferentes e bem menos prazeirosas também.

Sempre que volto de alguma viagem fico com o pensamento fixo de que adoraria "mudar para lá" e ainda bem que no final das contas não mudo, porque isso na verdade somente estragaria a magia que o lugar exerceu sobre mim.

Um viajante "paira" por sobre a cidade que visita.

Ele até encontra e enfrenta muitos dos seus problemas, mas o caráter de lazer da sua estadia e o pouco tempo que tem para ver tudo, fazem com que não mergulhe realmente no cotidiano e, por fim, extraia somente o que viu de melhor, enxergando coisas que, às vezes, nem os próprios moradores conseguem perceber.

Por isso é tão bom rodar quantas cidades e locais forem possíveis durante a nossa vida. Não interessa se de primeira classe, de classe econômica ou pegando carona. Não faz diferença se numa suíte de um hotel 5 estrelas ou fazendo um mochilão por aí, viajar é um luxo por si só e dispensa penduricalhos.

Tanto acho isso que sou um viajante meio sui generis e enquanto a maioria adora comprar, trazer souvenirs, camisetas, sacolas e mais sacolas, eu passo todo o tempo sorvendo cada sabor, cheiro, cada minuto que eu possa viver o local em que estou e também fotografando o óbvio e o nem tão óbvio assim.

Viajar é crescer interiormente, é dar asas ao sonho, à curiosidade e ao que existe de melhor na natureza humana. Já perceberam como praticamente todo turista está vários níveis de felicidade acima dos demais "mortais"?

Por isso falo que mais do que casas, carros, bens, quem investe em rodar o mundo de cabeça aberta e com disposição para conhecer e viver tudo o que vier pela frente é o verdadeiro rico.

Na minha opinião, não existe investimento melhor.

8 Comentários:

tekuinha postou 14 de dezembro de 2009 07:01

Lendo isso ..me remeteu a algumas viagens que eu fiz...e é tão bom..a sensação é exatamente essa...como é bom se desligar!

Menina Digital postou 14 de dezembro de 2009 07:04

Concordo na íntegra quando vc disse que se ganhasse na megasena viveria viajando! Eu já disse a todos...eu ganhando meu endereço seria O MUNDO! Tem coisa melhor do que ver outros povos, ter a experiêcia de experimentar comidas novas, climas diferentes, ver paisagens de filmes e de sonhos? Viajar é BOM DEMAIS!!
Acho que quem fala que não gosta de viajar é quem nunca foi...basta ir uma vez que muda de idéia..
mas também a melhor coisa de se viajar é ter aquela sensação única do voltar para casa...maravilhoooosa=)!

Manzaro postou 14 de dezembro de 2009 07:08

Puta que o pariu, to saindo do trampo agora só pra ir viajar... hahaha.. brother muito bom o texto, muito bom msm
Enquanto lia, lembrei de várias viagens que já fiz.
E quanto a morar no lugar para onde viajamos e nos encantamos, realmente não da certo, pois a rotina nos cansa.

Solange Baumer postou 14 de dezembro de 2009 07:14

Viajar...Ultrapassar as fronteiras de nós mesmos em busca do desconhecido.Realmente não há coisa mais gostosa!Infelizmente,a maioria depende de grana,fazer o quê não é?Mas este é o segundo conselho que dou ao meu filho.O primeiro é básico:estudar para se colocar profissionalmente(desde que tenha vocação).Depois,todo mês,usar uma parte do dinheiro,e 1 fim de semana ao menos,para viajar.Mesmo que seja um bate-volta.Já repito isso a tanto tempo pra ele,que anda desconfiado que quero me livrar dele.Mas é porque sei que assim como o aprendizado dos livros,o que aprender na vida,também ninguém lhe tirará.O prazer do vento batendo no rosto,enquanto na janela do ônibus(porque não?)surgem diversos tipos de paisagens.A geografia do nosso planeta alí,na real.Comer coisas diferentes,conhecer hábitos diferentes.Sentir saudades de casa...porque não?
Belo tema.Ainda mais pra mim,que durmo em qualquer lugar,me adapto rápido a qualquer situação...AMO viajar!

Renata postou 14 de dezembro de 2009 07:55

Adorei, esse texto deveria ser publicado na revista VIAGEM...
Tô aqui trabalhando como louca e leio esse texto, que vontade que dá de jogar tudo pro alto e mochilar!!!
beijos

Riane postou 14 de dezembro de 2009 09:56

Well said!!!
Quem dera poder viajar mais.
Enquanto lia o texto me lembrei de muitos lugares, pessoas e sentimentos.
Tks por me fazer reviver momentos únicos!

Abs..

Julia postou 14 de dezembro de 2009 10:49

Adorei o post,sou apaixonada por viagens,acredito que não há nada melhor que conhecer novos lugares e pessoas..
São experiencias únicas e inesquecíveis.
Parabééns.
Beijos.

Marise postou 14 de dezembro de 2009 14:45

Eu sempre disse:as emoções que vc sente numa viagem, podem até ser contadas, mas sentidas, só por cada um e a sua maneira.
Se é o melhor investimento? Disparado!Depois de feita a sua viagem,não tem confisco, não tem crise, não tem nada que tire a sensação de você.
Muitoooo bem lembrado este assunto dehoje!
beijos

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo