Faça você mesmo

Postado em 9 de dez de 2009 / Por Marcus Vinicius

Se fosse tão fácil, provavelmente você também já teria feito.

Quantas vezes nós já não tivemos esse pensamento, não é? Eu pelo menos vivo tendo.

O sujeito senta na sala de casa e fica olhando pro ventilador de teto pensando "colocar isso aí é mole". Até o dia que resolve tentar colocar um no escritório e descobre que, de perto, a montanha é mais alta do que parece.

Dizem que todo brasileiro é um técnico de futebol, mas eu acho que isso é mentira. Todo brasileiro é técnico de futebol, médico, pedreiro, eletricista, mecânico, engenheiro, economista, dentista, advogado e mais o que você puder imaginar. Todo mundo tem um palpite "infalível" pra dar sobre tudo e, no fim, não sabe de quase nada.

Atire a primeira pedra quem nunca perguntou pro balconista da farmácia qual o "remedinho infalível" ele recomenda pra sua unha encravada.

Eis uma cena clássica: o carro dá uma rateada, sai uma fumacinha do motor e o "MacGyver" de ocasião sai do carro de peito estufado, achando que sabe mais do que mecânico da Ferrari.

Abre o capô, e aí nesse momento lembra que todas aquelas engrenagens, borrachas, mangueiras, fios, ligações, etc, ainda não foram devidamente apresentadas a ele e que são "só um pouquinho" diferentes das correias de bicicleta que ele colocava no lugar quando era criança.

Quem possui seguro e pode chamar o mecânico/guincho, perfeito. Quem não tem, senta e chora.

É mais ou menos quando a faxineira do escritório falta e a gente descobre que o lixo das salas não vai pro caminhão sozinho e que o banheiro não é auto-limpante.

Existe sempre um trabalho sujo e alguém precisa fazê-lo, mas de preferência que esse alguém não seja a gente.

Daí essa nossa mania de palpitar em tudo, desde que não tenha que colocar a mão na massa pra fazer nada, o que às vezes é até bom e evita curtos-circuitos e desmoronamentos, tipo aquela churrasqueira que o seu tio jurou que sabia construir melhor do que o "pedreiro ladrão que cobrou os olhos da cara" e que terminou soterrando picanhas, lingüiças e coxas de frango quando resolveu cair em cima do churrasco, lembrando ao seu tio que "cimento também se usa em churrasqueira".

A moral disso tudo é aquela história do técnico em informática que foi resolver um problemaço na empresa de um milionário que estava com um potente computador encostado e ninguém descobria qual era o problema.

O técnico vira pra ele e diz: "eu sei qual o problema, é preciso apertar um parafuso que está solto, o conserto custa R$1.000,00". E o empresário "Mas mil reais para apertar um parafuso? Isso é um absurdo! Isso é um roubo! Até eu sei apertar um parafuso e não cobraria mais de 10 reais!".

E o rapaz responde "Eu também cobro só 10 reais para apertar o parafuso, mas cobro R$990,00 pra dizer ao Senhor qual parafuso deve apertar".

2 Comentários:

Anônimo postou 9 de dezembro de 2009 06:09

É a pura realidade. O mais interessante é qdo o tonto quer "ser médico". É impressionante. Eu dou muita risada. Esse é um país em que mais de 80% apóia lula, não se esqueça disso.
Abraço.
Marcos

Solange Baumer postou 9 de dezembro de 2009 09:30

De médico e louco todos nós temos um pouco kkk
Mas na real,sei consertar fogão,instalar tomadas,lâmpadas,fazer encanamento.Mas aprendi olhando e não palpitando.Então quando preciso vou e faço.mas é chatérrimo ter alguém apitando no ouvido,embora na hora de por a mão na massa como vc mesmo disse,ninguém queira.
E essa do parafuso é a mais real de todas.Afinal,quem estuda pra tal coisa sempre sabe um bocado a mais de quem se mete a saber.

 
Template Contra a Correnteza ® - Design por Vitor Leite Camilo